A XV Gala AUDIÊNCIA decorreu no passado dia 3 de fevereiro, no Teatro Ribeiragrandense, na Ribeira Grande, na Ilha de São Miguel, e reuniu mais de 400 pessoas para distinguir personalidades e instituições que se destacaram ao longo do ano de 2019. O evento contou com a presença da Câmara Municipal da Ribeira Grande, da Câmara Municipal da Trofa, de presidentes de Juntas de Freguesia ribeiragrandenses e gaienses, da Reitoria da Universidade dos Açores, de representantes do exército açoriano, do Comando Operacional dos Açores, da GNR e da POL-NATO de Ponta Delgada, e proporcionou uma noite memorável, repleta de música e emoção.

O relógio marcava 20 horas quando se deu início à XV Gala do AUDIÊNCIA e se começou a ouvir o som dos instrumentos e das vozes do Rancho Folclórico de Vilar do Paraíso, oriundo de Vila Nova de Gaia, que, através da música e da dança, partilhou com a plateia a cultura e as tradições gaienses.

Após a atuação, os convidados foram agraciados com a presença das apresentadoras do evento, Manuela Bulcão e Maria dos Anjos Avelar, que os conduziram ao longo de uma noite sublime e divulgaram, sem demoras, o primeiro premiado. Neste seguimento, o primeiro prémio a ser atribuído foi o Troféu Dedicação 2019 ao presidente do Rancho Folclórico e Cultural de Nossa Senhora do Monte, Manuel Pereira da Silva, pelos 34 anos que dedicou à coletividade gaiense. De seguida, procedeu-se à entrega do Troféu Vida 2019 a Fernando Caldeira, que abriu em 1990 a famosa Quinta da Boucinha, em Vila Nova de Gaia, que ainda hoje é dos estabelecimentos mais conhecidos do concelho. Já o Troféu Associativismo 2019 foi concedido a Dário Silva, presidente da Junta de Freguesia de Oliveira do Douro, pela ligação que tem tido com o movimento associativo local ao longo da sua vida.

Ao nível do desporto, o Troféu Clube Desportivo 2019 foi conferido ao Clube de Karaté Shotokan de Rabo de Peixe, pelos resultados alcançados pelos treinadores, dirigentes e atletas, nomeadamente pela recente conquista de 13 medalhas no Campeonato de Ilha de Associação de Karaté dos Açores. E, este ano, o Troféu Desporto 2019 foi conquistado por Valentim Miranda, presidente do Clube Fluvial Portuense, pela sua dedicação ao desporto e a uma instituição que comemorou 125 anos de existência.

Por sua vez, o Troféu Solidariedade 2019 foi entregue à Confraria da Pedra da Madalena, por perpetuar a memória do pedreiro e pelas ações de âmbito social, cultural e solidário que realiza. Enquanto o Troféu Tradição & Inovação 2019 foi dado à Confraria da Carne Guisada da Maia, por ser um exemplo de tradição e inovação, ao envergar com orgulho o traje que define as cores da Freguesia da Maia, da carne e do Espírito Santo. O Troféu III Concurso da Francesinha foi concedido ao Chef Fernando Jorge, proprietário do Francesinha Café, por ter confecionado a iguaria portuense vencedora do 3º Concurso da Francesinha organizado pelo Jornal AUDIÊNCIA. O Troféu Filarmónica 2019 foi atribuído à Sociedade Recreativa Filarmónica Santíssimo Salvador do Mundo, por ser uma escola de formação de jovens e uma instituição de mérito reconhecida no concelho da Ribeira Grande, que preza a excelência musical. O Troféu Ideias & Projetos 2019 foi dado ao Botequim Açoriano, por prezar a gastronomia e os produtos regionais.

Em relação ao Troféu Sinal dos Tempos 2019, este foi concedido à gaiense Lucília Amorim, pelos anos de carreira e de trabalho ligados à moda e pelo carinho que toda a equipa do AUDIÊNCIA tem por esta personalidade. O Troféu Geração de Hoje 2019 foi entregue a Gisela Rodrigues Paz, por ser uma mulher na liderança e por conduzir os destinos da Junta de Freguesia da Conceição, na Ribeira Grande. O Troféu Educação & Ensino 2019 foi atribuído ao Colégio de Gaia, por continuar ao longo destes 87 anos a educar os mais novos e a formar cidadãos para o futuro. O Troféu Instituição 2019 foi oferecido ao Município da Trofa, por continuar a desenvolver a cidade e a levar cada vez mais longe o nome do concelho e dos seus habitantes. O Troféu Excelência 2019 foi dado a César Gomes de Pina, pela sua força e pela sua dedicação à Academia do Bacalhau do Porto e à realização de inúmeras ações sociais e filantrópicas no norte do país. O Troféu Gastronomia & Lazer 2019 foi conferido a Mónica Silva, pela sua dedicação, talento e trabalho na área da confeção de todo o tipo de bolos e doces e por levar o nome dos Açores e da Ribeira Grande mais longe.

Na área do empreendedorismo, o ano de 2019 foi marcado por Victor Câmara, que foi distinguido com o Troféu Empreendedorismo 2019, por investir nos Açores, mas em particular na Costa Norte de São Miguel, nomeadamente com a inauguração do Hotel Verde Mar, na Ribeira Grande.

Por outro lado, no que concerne ao Troféu Presidente de Junta de Freguesia 2019, este foi atribuído a Hernâni Costa, presidente da Junta de Freguesia da Ribeira Grande – Matriz, pelo trabalho desenvolvido à frente dos destinos da freguesia. O Troféu Cultura & Espetáculo 2019 foi concedido a Vânia Dilac, que é uma das maiores vozes da música açoriana, pelo seu percurso e talento. O Troféu Autonomia 2019 foi dado à Caixa Económica da Misericórdia de Angra do Heroísmo, por ser um verdadeiro exemplo de autonomia, trabalho e empreendedorismo, mas também pelo auxílio e serviços prestados aos seus clientes. O Troféu Prestígio 2019 distinguiu Jorge Tormenta, por ter conseguido através do seu esforço e dedicação colocar em 1988 a equipa de andebol feminina do Colégio de Gaia na 1ª Divisão Nacional, de onde não saiu até aos dias de hoje, por ter conquistado inúmeros títulos nacionais e por ter participado em diversas competições internacionais. O Troféu Gestão & Ambiente 2019 foi conferido a Miguel Lemos Rodrigues, administrador da Águas de Gaia, por se ter dedicado a um projeto que visa a melhoria do quotidiano da população gaiense e pelo trabalho e dedicação na área do tratamento de águas residuais. O Troféu Portugalidade 2019 foi oferecido a Isabelle de Oliveira, por manter viva a língua portuguesa não só na França, mas no mundo, e por todo o seu esforço em prol desta causa.

Para último, ficou a distinção de um prémio importante: o Troféu Personalidade 2019, que foi atribuído a João Luís Gaspar, Reitor da Universidade dos Açores, pela capacidade de liderança, de gestão e de coordenação.

Intervenções

Ao longo da XV Gala AUDIÊNCIA foram inúmeros os convidados que tiveram a oportunidade de pisar o palco do Teatro Ribeiragrandense e aproveitaram a ocasião ora para agradecer a Joaquim Ferreira Leite, diretor do Jornal AUDIÊNCIA, ora para oferecer lembranças, isto é, símbolos representativos de locais ou de instituições e foi neste contexto que Manuel da Silva Pereira entregou a Joaquim Ferreira Leite, diretor do Jornal AUDIÊNCIA e a João Dâmaso Moniz, presidente da Junta de Freguesia da Ribeira Seca, um quadro referente às tradições do Rancho Folclórico de Nossa Senhora do Monte, e que Valentim Miranda, presidente do Clube Fluvial Portuense, ofertou ao diretor do AUDIÊNCIA um cachecol e uma recordação da instituição que representa.

Joaquim Ferreira Leite enalteceu durante o evento que “ao fim de cinco anos do AUDIÊNCIA Ribeira Grande, já conseguimos uma noite como esta e transportar até à Ribeira Grande, em São Miguel, 300 visitantes, 300 convidados que estão hoje aqui presentes”, ressaltando que “eu preciso que a Ribeira Grande e a Região Autónoma dos Açores me surpreendam, para que na próxima eu possa ter estes grupos em Vila Nova de Gaia ou na Trofa, lanço já o desafio ao município da Trofa, para arregaçar as mangas e colaborar neste projeto”.

Seguidamente, o diretor do Jornal AUDIÊNCIA passou a palavra a Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, que salientou que “esta é a 15ª edição desta Gala AUDIÊNCIA e ao fim de cinco anos na Ribeira Grande, já começa a trazer frutos, os seus filhos, se nós virmos que desde a sua primeira edição temos aqui pessoas que nunca faltaram”, destacando que “estas edições das Galas do AUDIÊNCIA têm permitido também à Ribeira Grande, usar o AUDIÊNCIA no sentido da palavra. Recordo aqui que alguns intercâmbios culturais já foram possíveis, desportivos também. Falo concretamente também que este ano, pela primeira vez, no nosso Festival Internacional de Folclore de Porto Formoso vamos ter um grupo de Gaia que esteve aqui o ano passado e isto só foi possível por causa do nosso Jornal AUDIÊNCIA. Gostaria também de aproveitar esta oportunidade para dizer em primeira hora que vamos ter em julho deste ano, aqui na Ribeira Grande, aquando das Festas do Divino Espírito Santo, que vão ser organizadas pela Câmara Municipal, o Miguel Bandeirinha num formato diferente daquele com que nos tem presenteado, mas também foi fruto do contacto, deste intercâmbio, que nós temos conseguido levar a efeito, também fruto deste trabalho do Ferreira Leite”.

O presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande lançou ainda “um desafio às entidades aqui presentes, nomeadamente aos senhores presidentes de Junta de Freguesia e aos senhores vereadores, para que possam também usar da nossa boa vontade, os intercâmbios culturais, sociais e económicos. Também tenho acompanhado que têm havido alguns intercâmbios quer com as nossas instituições, através das Casas do Povo, mas também das Juntas de Freguesia, e eu acho que isto é de salutar e, aliás, nós somos ambos povos do norte e se calhar é mais o que nos une do que aquilo que nos separa. Portanto, lanço aqui este desafio, a Câmara Municipal está sempre aberta a estas ligações e com certeza que temos muito a ganhar ao estreitarmos ainda mais estas ligações”.

Neste sentido, Joaquim Ferreira Leite realçou que “este é um evento para ligarmos, para sentirmos, para conversarmos e este paraíso, aqui plantado no coração do Atlântico é um local estratégico, altamente privilegiado. Para os continentais que nos visitam, eu digo: «não fiquem muito tempo, porque se ficarem mais de três dias nunca mais voltam ao continente»” e introduziu a escultora e criadora do Troféu AUDIÊNCIA, Margarida Santos, que afirmou que “eu vim porque o Ferreira Leite me disse que as pessoas gostariam de me conhecer pessoalmente, de saber quem foi capaz, quem teve a ideia de conceber o nosso Troféu”.

“Um troféu, normalmente, tem a intenção de homenagear aquilo que de melhor as pessoas são capazes de fazer na sua área, no seu exercício, no seu labor”, referiu a escultora, explicando que “eu inspirei-me na antiga imprensa, naquela que é a da folha de papel de jornal impresso em tinta preta, pensei nas folhas de papel a correrem nas máquinas”, “então pensei numa folha de papel que fosse de boca em boca” e “ fiz uma folha de jornal ao vento e escrevi de um lado o logótipo AUDIÊNCIA e por trás da folha a tinta preta. Isto é o conceito daquele objeto que corre o mundo na vossa mão e está nas vossas prateleiras e que me dá a mim muito gosto a apresentar”.

A escultura usufruiu ainda do momento para oferecer o seu último livro, intitulado Do Barro ao Bronze – Assim nasce uma escultura”, a Alexandre Gaudêncio.

Posteriormente, Joaquim Ferreira Leite voltou a intervir, revelando que “eu quero que sintam que os Açores são apaixonantes. É preciso compreender os Açores, viver os Açores e depois não há elo que jamais possa partir. Por isso eu vou convidar os Presidentes de Junta de Freguesia de Vila Nova de Gaia aqui presentes, Dário Silva, presidente da Junta de Freguesia de Oliveira do Douro, Filipe Lopes, presidente da Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo, Cipriano Castro, presidente da Junta de Freguesia de Avintes, e Domingos Oliveira, representante da Junta de Freguesia de Mafamude e Vilar do Paraíso e vou entregar-lhes uma aguardente única para levarem para Vila Nova de Gaia, oferta da empresa Eduardo Ferreira e Filhos Lda.”.

Após a entrega da oferta, os agraciados reconheceram Joaquim Ferreira Leite e o Jornal AUDIÊNCIA. Assim, Domingos Oliveira, representante da Junta de Freguesia de Mafamude e Vilar do Paraíso, mencionou que “em nome da Junta de Freguesia de Mafamude e Vilar do Paraíso eu queria deixar umas pequenas lembranças ao Jornal AUDIÊNCIA, ao Diretor Regional da Juventude, Lúcio Rodrigues, em representação do Governo Regional dos Açores, e também para a Câmara da Ribeira Grande”.

Por seu turno, Filipe Lopes, presidente da Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo, declarou que “eu tenho sido uma presença constante das Galas do AUDIÊNCIA na Ribeira Grande” e deu “apenas uma breve palavra de reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pelo Jornal AUDIÊNCIA, pelo Joaquim Ferreira Leite e uma palavra especial ao senhor Manuel Pereira da Silva, de Pedroso, que recebeu aqui um prémio e também é sempre um privilégio para nós ter pessoas de pedroso e Seixezelo a serem reconhecidas pelo seu trabalho”.

Também Cipriano Castro, presidente da Junta de Freguesia de Avintes, agradeceu a Joaquim Ferreira Leite pela oportunidade e asseverou que “eu sou o assinante número um do AUDIÊNCIA, por isso já há muitos anos que eu sigo o AUDIÊNCIA, no tempo em que ele estava radicado na freguesia de Avintes, por isso trago aqui uma lembrança daquilo que melhor nós temos em Avintes, a Broa de Avintes. Ontem ofereci uma ao senhor presidente da Câmara da Ribeira Grande e hoje quero oferecer uma ao Ferreira Leite e outra ao representante do Governo Regional”.

Por outro lado, Dário Silva, presidente da Junta de Freguesia de Oliveira do Douro, fez questão de partilhar com os presentes alguns dos momentos mais incríveis e mais embaraçosos que passou com o diretor do Jornal AUDIÊNCIA. “O Ferreira Leite foi um fiel e nobre adversário político durante muito tempo na minha freguesia, nós já nos conhecíamos antes, mas aprofundamos a uma amizade, o que hoje na política é muito difícil, independentemente de sermos adversários políticos”, garantiu o presidente da Junta de Freguesia de Oliveira do Douro, acrescentando que “de facto o Ferreira Leite tem tido um papel muito importante na Freguesia de Oliveira do Douro”, ele “é um amante da Freguesia e tem sido um promotor muito grande desta Freguesia, que é Oliveira do Douro, e de uma forma mais alargada, do concelho de Vila Nova de Gaia, e da Ribeira Grande”, por isso, a Freguesia gostava de lhe prestar uma homenagem e de lhe agradecer tudo aquilo que ele tem feito pela divulgação da Freguesia, pela cultura, pelo desporto, e sobretudo também, por poder partilhar esta amizade com ele. Trouxe-lhe uma peça especial, porque este ano nós comemoramos os 300 anos dos Arcos do Sardão” e “mandamos fazer um conjunto de peças limitadas em cerâmica, pintadas à mão, com aquilo que é o ex-líbris da nossa freguesia”.

Por fim, Joaquim Ferreira Leite convidou o representante do Governo Regional dos Açores, Lúcio Rodrigues, Diretor Regional da Juventude, a participar nas intervenções da noite. “Permitam-me que a primeira nota seja agradecer o convite em nome do senhor Vasco Cordeiro, presidente do Governo Regional, para estar aqui presente. Naturalmente, para mim é uma honra muito grande estar aqui presente por duas razões em particular. Primeiro porque já percebi, ao longo desta noite, a importância que esta Gala tem em valorizar e prestigiar as pessoas e as instituições e em particular também em valorizar as autarquias e o poder local”, disse Lúcio Rodrigues, reconhecendo “o senhor Joaquim Ferreira Leite pelo trabalho desenvolvido”.

Momentos Musicais

Como tem vindo a ser tradição, a noite não se faz só de troféus, mas também de momentos musicais que complementaram esta noite que foi emblemática. Na música passaram pelo palco vários artistas como Miguel Bandeirinha, acompanhado pelos músicos André Mariano e Rafael Carvalho Júnior, Vânia Dilac, o grupo TOCACRAV, o Rancho Folclórico de Vilar do Paraíso e a Tuna Académica da Universidade dos Açores, que encerrou o evento de uma forma sublime.

A XV Gala do AUDIÊNCIA chegou ao fim, mas ficou um desejo no ar. Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, e Renato Pinto Ribeiro, vereador da Câmara Municipal da Trofa, sublinharam que anseiam a realização de uma Gala AUDIÊNCIA na Trofa e em Vila Nova de Gaia.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com