A Associação Montepio Vilanovense de Socorro Mútuo “Costa Goodolfim – Associação de Socorros Mútuos comemorou 100 anos no dia 8 de junho. No dia 12 de junho realizou uma pequena cerimónia de evocação do centenário no Auditório da Liga das Associações de Socorro Mútuo de Vila Nova de Gaia. A pequena cerimónia contou com cerca de uma dúzia de pessoas e além da intervenção do Presidente da associação e do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, teve direito a bolo, parabéns e brinde.

 

 

A Associação Montepio Vilanovense de Socorro Mútuo “Costa Goodolfim – Associação de Socorros Mútuos é denominação adotada em 1921, aprovada por alvará de 8 de junho desse ano, por fusão de três Associações estabelecidas em S. Cristóvão de Mafamude, que se chamavam “Associação de Socorros Mútuos Beneficência dos Artistas de Mafamude”, “Socorros Mútuos de Mafamude” e “Comércio e Indústria de Gaia”.

O nome Costa Goodolfim foi uma homenagem que as três associações quiseram prestar ao sociólogo propagandista do associativismo e mutualista que foi José Cipriano da Costa Goodolfim. Foi um estudioso e militante das causas sociais, principalmente na área sindical e mutualista, tendo escrito e feito conferências sobre esses temas. Esteve também na génese das Caixas Económicas, designadamente na extinta Caixa Económica de Vila Nova de Gaia, anexa à Associação Vilanovense de Socorro Mútuo, Oliveirense Associação de Socorros Mútuos e às três acima referidas, cuja posição, também, como a da Liga, foi assumida pelo Montepio.

O alvará data o dia 8 de junho de 1921, por isso, completou no dia 8 de junho do presente ano, 100 anos de existência. A cerimónia de evocação do centenário da associação aconteceu no dia 12 de junho, no Auditório da Liga das Associações de Socorro Mútuo de Vila Nova de Gaia. A pequena cerimónia contou com a presença de cerca de uma dúzia de pessoas e com a intervenção apenas do Presidente da Associação Montepio Vilanovense de Socorro Mútuo “Costa Goodolfim, Manuel Monteiro, do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, e apenas umas palavras finais no encerramento do Dr. José António Baltazar Ferreira da Silva, Presidente da Mesa da Assembleia Geral. A cerimónia terminou com a pequena homenagem ao sócio mais antigo e ex-presidente da associação, Carlos Esteves, e, como não podia deixar de ser, seguiu-se um Porto de Honra, com direito a bolo e parabéns. João Paulo Correia, Presidente da União de Freguesias de Mafamude e Vilar do Paraíso, bem como Luís Amorim, Presidente da Liga das Associações de Socorro Mútuo de Vila Nova de Gaia, fizeram questão de marcar presença entre os convidados.

Manuel Monteiro assumiu a liderança da Associação Montepio em janeiro de 2021 e confessou que foi difícil assumir as rédeas com um evento tão importante como o centenário prestes a acontecer. Ainda assim, o mesmo realizou-se nas condições que foram possíveis, devido aos constrangimentos da situação de pandemia que o país e o mundo atravessa atualmente.

“Não só comemoramos o nosso centenário como também homenageamos todos os que antes de nós contribuíram para que o movimento mutualista tenha sobrevivido até hoje. Durante este penoso, mas gratificante percurso é certamente difícil quantificar o número de exemplos de homens e mulheres que contribuíram com o seu melhor empenho e dedicação, para que hoje possamos estar aqui a comemorar os cem anos desta humilde, mas dedicada associação”, foram as palavras iniciais de Manuel Monteiro que ainda deu o exemplo de um nome que ficou na memória de todos, o de Costa Goodolfim, mas salientando que tantos outros anónimos também foram importantes na história da associação.

O presidente da Costa Goodolfim também fez uma análise à vertente solidária das associações mutualistas, que na sua opinião continuam a ser o caminho a seguir.  “Na minha sensibilidade, o mutualismo não pode nem deve ser alterado no seu principal objetivo: a solidariedade. Haverá quem possa pensar o contrário, acredite que os tempos mudaram e que é altura de passar para uma prática diferente, mais mercantil. Não entendo assim. Entendo que a mudança deve coincidir mais na aplicação dos recursos a novas propostas de serviço e na melhoria dos cuidados com os associados e os seus familiares. Só assim entendo ser possível voltar a ter um mutualismo forte”, disse Manuel Monteiro.

Eduardo Vítor Rodrigues, Presidente da Câmara de Gaia, fez um longo discurso sobre a história mundial e nacional nas políticas socias, lembrando que Portugal estava longe destas discussões quando o assunto era já tema na Europa. “Há 100 anos estávamos aqui. Estávamos a discutir na Europa um modelo de reforço económico e de políticas sociais, e em Portugal estávamos a tratar de ajudar a fazer o funeral às pessoas”, disse o autarca.

“100 anos, que numa instituição não é muito, quero dizer, se deus quiser, a Costa Goodolfim há-de fazer 300, são instituição que passam para além das pessoas, e o mutualismo assim é”, referiu o autarca gaiense acerca do centenário da associação.

Em declarações finais ao Jornal AUDIÊNCIA, Manuel Monteiro disse que, na sua opinião “perdeu-se muito o sentido do associativismo mutualista. As necessidades das pessoas antigamente eram outras”. Deu como exemplo a Caixinha Económica que existia na Associação de Socorros Mútuos de Coimbrões que foi agregada a Montepio. A Caixa Comunitária servia para as pessoas pedirem dinheiro e depois irem pagando em prestações. Essa funcionalidade foi uma das que se perdeu ao longo dos anos, foi substituída quase por completo pelos bancos. Há poucas associações que ainda o fazem, nomeadamente uma ou duas no Porto, disse Manuel Monteiro.

A Associação Montepio Vilanovense de Socorro Mútuo “Costa Goodolfim” tem poucos associados, cerca de quatro mil e um valor de cota anual de seis euros. Baixa segundo o seu presidente que, no entanto, diz não ver a necessidade de a aumentar dada a situação atual. Os sócios da Costa Goodolfim têm acesso a todos os serviços que a Clínica da Liga oferece com os respetivos descontos, mas não contém o subsídio de funeral apontado por Eduardo Vítor Rodrigues como razão de existência destas associações quando foram criadas. “Estas associações mutualistas hoje em dia viradas para a vida e não para a morte como antigamente, isso é um passo importante que foi dado. Preocupamo-nos com a vida das pessoas” foi a declaração final do Dr. José António Baltazar Ferreira da Silva, Presidente da Mesa da Assembleia Geral.

Eduardo Vítor Rodrigues, na fase final do seu discurso, salientou o quão orgulhoso estava de presidir um concelho tão rico no que diz respeito ao tecido de IPSS. Prova do orgulho máximo do trabalho da Associação Montepio Vilanovense de Socorro Mútuo “Costa Goodolfim” foi o anúncio público da entrega da medalha de mérito municipal – classe ouro (que, entretanto, já teve lugar no dia 20 de junho) à mesma, como prenda do seu centenário. A sala ficou animada com a notícia e Manuel Monteiro disse que ficou “muito sensibilizado com isso. É um reconhecimento merecido pelo nosso trabalho, pelo trabalho que desempenhamos na Liga também”. O presidente da associação também não escondeu que este momento poderá ser um degrau importante na história da associação, uma forma de a tornar mais visível e conhecida perante a sociedade e assim mais passível do crescimento que tanto anseiam e que o Manuel Monteiro garante ser o maior sonho para os próximos anos. “O presente do mutualismo somos nós! Saibamos orienta-lo no caminho do futuro”, disse Manuel Monteiro.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com