blank

“A PROMOÇÃO DO PEIXE DOS AÇORES FOI BEM CONSEGUIDA”

A AQUA – Cooperativa para o Desenvolvimento Sustentável do Mar dinamizou, entre os passados dias 30 de setembro e 2 de outubro, no Pavilhão Multiusos da Associação Agrícola de São Miguel, aquela que foi a primeira edição do evento gastronómico gourmet “Peixe nos Açores”. Ao longo dos três dias, mais de 700 pessoas tiveram a oportunidade de degustar inúmeras iguarias inovadoras, que foram apresentadas pelos quatro restaurantes presentes, nomeadamente AQUABar, A Colmeia, Botequim Açoriano e Mercado da Vila. Em entrevista ao AUDIÊNCIA, Rúben Farias, presidente da cooperativa, fez um balanço muito positivo desta iniciativa e revelou que a segunda edição será uma realidade, em 2023.

 

A primeira edição do evento gastronómico gourmet “Peixe nos Açores”, foi promovida pela AQUA – Cooperativa para o Desenvolvimento Sustentável do Mar, com o intuito de promover, especialmente, as espécies de pescado açoriano de baixo valor comercial, como é o caso da cavala, do peixe porco, do chicharro do alto e da veja. “O «Peixe nos Açores» era um desejo de longa data. Tendo um percurso profissional ligado às pescas e à promoção do pescado, nos últimos 10 anos, participei em vários certames e a ideia de criar um evento centrado no peixe, em especial nas espécies de baixo valor comercial, foi ganhando vida, até que se tornou possível”, ressaltou Rúben Farias, presidente da AQUA – Cooperativa para o Desenvolvimento Sustentável do Mar, em entrevista exclusiva ao AUDIÊNCIA.

Assim, entre os passados dias 30 de setembro de 2 de outubro, o Pavilhão Multiusos da Associação Agrícola de São Miguel foi o palco desta iniciativa, que contou com a participação de quatro restaurantes, nomeadamente AQUABar, A Colmeia, Botequim Açoriano e Mercado da Vila, que apresentaram inúmeras iguarias inovadoras às mais de 700 pessoas que visitaram este espaço. Ao longo dos três dias, os intervenientes também tiveram a oportunidade de degustarem e assistirem a inúmeras sessões de showcooking, protagonizados por chefs de renome, tal como Cláudio Ponte, Roberto Mezzapele, Patrícia Borges, Paulo Morais e Chakall. “Para a primeira edição, estamos satisfeitos. O número de participantes e visitantes ficou nos 742, ou seja, ainda são umas centenas de pessoas que por cá passaram nos três dias, no entanto, o espaço é enorme e tem potencial para muitas mais”, sublinhou o líder da instituição, enaltecendo que os visitantes ficaram estupefactos com as demonstrações e “vinham com vontade de aprender e, muitos outros, ficaram surpreendidos pela oportunidade. Sem dúvida é algo a manter”.

Cofinanciado pelo MAR 2020, no âmbito dos projetos GAL Pescas, o certame contou com a presença da Federação das Pescas dos Açores, da Associação de Compradores de Pescado dos Açores, da Lotaçor e da Universidade dos Açores e encerrou o ciclo de promoção do pescado definido por esta instituição, uma vez que o Festival do Caldo de Peixe, que decorreu em pleno verão, num ambiente mais descontraído, no Porto de Pescas de Rabo de Peixe, assumiu-se como um evento de época alta, ao passo que o evento gastronómico “Peixe nos Açores”, realizou-se no início da época baixa, num ambiente indoor e num registo mais gourmet.

Garantindo que o conceito do evento está validado, Rúben Farias enfatizou que “o feedback que tivemos de todos os parceiros e participantes foi muito positivo, logo a promoção do peixe dos Açores foi bem conseguida. Como todo o evento girou à volta das espécies de baixo valor comercial, atingimos os objetivos a que nos propusemos, ou seja, todos os visitantes ficaram encantados com a qualidade do que lhes foi apresentado e puderam usufruir de receitas inovadoras para confecionarem peixe”. 

O sushi foi um dos pratos em destaque neste evento, durante o qual a Cooperativa para o Desenvolvimento Sustentável do Mar lançou o seu novo projeto, intitulado AQUABar, que apresentou a ementa daquela que será uma “tasca gourmet”, que funcionará no edifício do Clube Naval Rabo de Peixe, a partir de dezembro, e irá confecionar, ao longo de todo o ano, variadas receitas, utilizando as espécies açorianas de baixo valor. “A chef Patricia Borges é a «face» deste projeto e nesta primeira edição apresentamos o tártaro e a tempura de chicharro e cavala, bem como o caril de veja e de peixe porco. O feedback foi extraordinário e estamos ansiosos por abrir este espaço”, evidenciou o presidente da AQUA.

O sucesso da iniciativa “Peixe nos Açores” foi o mote que levou esta instituição a começar a trabalhar na segunda edição deste evento, que se efetuará, em 2023, porque, segundo Rúben Farias, “recai sobre nós a responsabilidade de promover aquele que muitos consideram, sem sombra de dúvida, o melhor peixe do mundo”.