As comemorações do 147º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande (AHBVRB) decorreram no Largo Conselheiro Hintze Ribeiro, local do primeiro quartel dos bombeiros do município. No decorrer da cerimónia comemorativa foram realizadas várias homenagens e congratulações a membros da associação pelos serviços prestados. Nesta sessão solene foi também celebrado o Dia Municipal do Bombeiro, uma iniciativa da Câmara Municipal, que pretende homenagear a corporação, que exerce funções em prol da segurança e bem estar da comunidade.

 

 

As comemorações celebrativas do 147º aniversário da AHBVRB teve vários momentos altos, como reconhecimento institucional do papel de bombeiras e bombeiros, intervenções protocolares e, no final das comemorações, o cantar dos parabéns aos Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande (BVRG), assim como a degustação do bolo de aniversário. Norberto Gaudêncio, presidente da Direção da Associação dos Bombeiros da Ribeira Grande,  começou por abordar a escolha do local da cerimónia afirmando que “foi aqui o primeiro quartel dos Bombeiros da Ribeira Grande e no dia 15 de abril de 1975 fez-se aqui a primeira formatura em frente à Câmara”. Recordou que “em 2005 foi inaugurado o quartel atual” e que continuarão a ser feitas obras, de forma a “aumentar o património da associação”. Em retrospetiva sobre o percurso realizado ao longo dos 147 anos, referenciou que “para além de ser a mais antiga dos Açores, neste tempo nós tivemos um percurso enorme e penso que os nossos fundadores estarão muito orgulhosos daquilo que nós conseguimos até hoje”. O presidente da direção dos BVRG enalteceu também o facto da Câmara Municipal ter instituído, há 5 anos, “o dia de aniversário da associação como o Dia Municipal do Bombeiro” e louvou o exemplo dado pela autarquia no apoio à corporação. Norberto Gaudêncio referiu que “a Associação dos Bombeiros da Ribeira Grande é uma associação subordinada dos seus sócios e, por isso, nós precisamos de investir nos bombeiros”. Mostrou imenso orgulho na corporação afirmando “estes bombeiros são técnicos altamente credenciados e há que ter em consideração que devem ser reconhecidos por isso”. O presidente fez votos para que “daqui a 147 anos esta associação seja ainda melhor do que é hoje”, enaltecendo o contributo da Câmara Municipal que “tem sido um exemplo a nível dos Açores e não só, porque compreendeu que a principal obrigação da proteção civil é camarária e não da associação”. Sobre o futuro, Norberto Gaudêncio, prevê que “seja cada vez melhor e faço votos para que assim seja” realçando a “dinâmica de trabalho, depois trabalho e a seguir trabalho”. O presidente terminou o discurso mostrando que a AHBVRG “está disponível para colaborar em tudo o que o serviço regional e a Câmara Municipal desejarem”.

Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, iniciou o discurso destacando o momento simbólico vivido, pois “há dois anos que temos pandemia e não foi possível realizar nenhuma festa, de maneira que é um recomeço para todos nós”. Aproveitou o momento para anunciar que foi contratualizado “através de concurso publico, o serviço de autocarros, que representa um acréscimo de cerca de mais 75 mil euros e, por outro lado, também a adaptação desta direção dos bombeiros aos novos tempos”. Destacou também o compromisso assumido entre ele e o presidente dos BVRB, em colaboração com a Câmara Municipal, para que “a própria corporação possa ter um pavilhão desportivo para fazer face às necessidades da cidade”. Durante a sessão solene, Alexandre Gaudêncio referiu que “uma cidade e um concelho são mais ricos se as suas instituições estiverem vivas, ativas e de boa saúde financeira. Os nossos bombeiros são uma referência nacional e por isso temos muito orgulho em todos vós”. Divulgou também o aumento de apoios à Associação Humanitária dos Bombeiros da Ribeira Grande, incluindo a aprovação, pelo executivo camarário, de um aumento de 20% referente aos apoios anuais dos bombeiros, num total de 130 mil euros. O autarca anunciou também a atualização do regulamento de apoio aos bombeiros, que “irá isentar os bombeiros do pagamento do IMI, entre muitos outros incentivos”. Dentro desta temática, Alexandre Gaudêncio afirmou que foi “uma condição que prometemos em campanha eleitoral e que vamos cumprir já este ano, com efeitos imediatos no próximo ano”. Para o presidente, esta atualização é uma forma de incentivar a adesão da população aos movimentos associativos, possibilitando o rejuvenescimento dos quadros. O autarca destacou ainda a homenagem feita a Marco Medeiros, subchefe do corpo de Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande, considerando que “revela bem a importância de termos também no nosso concelho bons bombeiros e, nomeadamente, associações que prestam esse serviço”. No epilogo do discurso, reforçou que “nós estamos, provavelmente e diria mesmo convictamente, perante os melhores Bombeiros, não é sobre os títulos que tem ganho é pela na forma como vocês estão na vida com a missão de servir”.

José Nuno Moniz, comandante dos BVRB, reforçou que existe “falta de ambulâncias de socorro”, apesar de terem recebido “há relativamente pouco tempo duas ambulâncias novas” já existe “um grande desgaste” devido à “quantidade de serviços que fazemos”. No que diz respeito aos autotanques, o comandante considerou que se trata de “uma situação recorrente e que também diz respeito às outras associações”, visto que “os nossos autotanques estão todos com mais de 30 anos e precisam de, muito rapidamente, serem substituídos”. Relativamente ao acesso ao Estatuto de Carreira, o comandante João Moniz, afirmou que foi “o atual governo regional que prometeu, a esta classe nova que está a emergir, que até ao final desta legislatura ia por cá fora um Estatuto de Carreira”. João Moniz afirmou ainda que “os bombeiros esperam que este governo cumpra a promessa de, até ao final da legislatura, ter esse documento cá fora”. Em perspetiva sobre o futuro, o Comandante considerou que existe uma grande aposta “nas Escolas de Infantes e Cadetes, como forma de trazer os miúdos para o nosso lado e dar continuidade a esta profissão elementar da sociedade”. Para o comandante dos BVRB, que já está na corporação desde 1984, ser bombeiro é “sempre que uma sirene toca, é sinónimo de sairmos de casa, seja a que horas e condições for. Ser bombeiro voluntário, é não descurar estes sentimentos que vamos ganhando ao longo dos anos”. O papel desta profissão na sociedade “é imprescindível, nós somos aqueles que conseguimos dar uma resposta mais rápida e somos os que pomos os pés no terreno o mais rápido possível”. João Moniz assegurou ainda que “os bombeiros, neste momento, são o pilar da proteção civil e sem proteção civil, sem alguma coisa que garanta a segurança das pessoas, a sociedade não consegue evoluir”. O comandante aproveitou ainda para salientar os apoios provenientes da Câmara Municipal, incluindo, no próximo ano, “os bombeiros voluntários do quadro ativo ficarão isentos do pagamento da taxa de IMI” e o seguro de saúde inerente a todos os bombeiros, comparticipado em parte pela Câmara Municipal.

A corporação de Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande conta com um Quadro Ativo que ronda os 80 elementos; a Escola de Infantes e Cadetes com cerca de 40 jovens; a charanga com 50 constituintes e o Quadro de Reserva e o Quadro de Honra que rondam os 250 indivíduos. Esta cerimónia contou com a presença do quadro operacional dos bombeiros, assim como de vários presidentes de junta de freguesia, entidades das forças de segurança, do vice-presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, do executivo camarário e do presidente da Assembleia Municipal da Ribeira Grande.