O AUDIÊNCIA ofereceu, no passado dia 13 de outubro, um almoço no restaurante Alma & Mar, sito no complexo das Piscinas da Granja, a mais de cem pessoas, com o objetivo de celebrar os dezasseis anos da fundação deste órgão de comunicação. O evento contou com a presença de artistas, de empresários, de políticos e de inúmeras personalidades gaienses, açorianas, portuenses e trofenses.

O almoço de celebração dos dezasseis anos do Jornal AUDIÊNCIA decorreu no restaurante Alma & Mar, que contempla um espaço com um ambiente moderno e elegante e com uma vista privilegiada sobre o Atlântico.

Joaquim Ferreira Leite, diretor do Jornal AUDIÊNCIA, falou, no âmbito da comemoração, sobre os dezasseis anos deste órgão de comunicação e apresentou, aos convidados, os elementos e os colaboradores desta “força viva do jornalismo livre e independente”.

O diretor do AUDIÊNCIA lembrou que “o slogan do Jornal é «dar voz a quem não tem». Isto é em rigor dizer que é um Jornal que não fecha portas a ninguém, mesmo que isso tenha elevados custos e tem, porque um Jornal que abre as portas a todos, mesmo com respeito, paga caro isso. E eu falo sem problema nenhum, tenho pago muito caro, pelo facto de abrir as portas do Jornal a todos”, enaltecendo que “a minha grande preocupação neste momento é que o Jornal não morra comigo e, neste momento, eu sei que se morresse agora o Jornal morria amanhã e isto preocupa-me e é um alerta que eu quero deixar a todos os que aqui estão. É minha intenção que durante o ano 2020 se consiga preparar uma estratégia de abertura do capital social quer do AUDIÊNCIA Grande Porto, quer do AUDIÊNCIA Ribeira Grande, aos assinantes, para que aqueles que têm gosto por isto e que acreditam nos meus princípios, possam também ser responsáveis diretos do Jornal e para que, quando eu for, o trabalho continue. Mas, para isso, é preciso apelar à participação de mais gente e de pessoas que estejam disponíveis”.  

“As comemorações dos dezasseis anos do AUDIÊNCIA começam hoje e vão terminar em abril de 2020, na Trofa. Vão decorrer inúmeras iniciativas até abril, que passam por uma Gala e eventos adjacentes, que vão ocorrer, mais uma vez, na Ribeira Grande, no Teatro Ribeiragrandense, mas que tem uma série de iniciativas associadas. Começa logo no dia 31 de janeiro de 2020, com uma Noite de Fados no restaurante Botequim Açoriano, em Rabo de Peixe, do Rúben Pacheco Correia. No dia 1 de fevereiro vamos Cantar às Estrelas, que é uma festa típica da Ribeira Grande, onde as pessoas saem à rua em grupos para cantar à Nossa Senhora da Estrela. No dia 2 vamos ter o jantar integrado na Gala do AUDIÊNCIA. No dia 3 decorrerá a XV Gala AUDIÊNCIA, na qual serão atribuídos 24 Troféus. Só para terem uma ideia, de Vila Nova de Gaia 180 pessoas já, neste momento, marcaram presença na Ribeira Grande, no final de janeiro”, anunciou Joaquim Ferreira Leite, acrescentando que “para além disso vai iniciar já em janeiro o Açores 2024, que é um ciclo de conferências temáticas, que o AUDIÊNCIA vai organizar nos Açores e que visa, objetivamente, o próximo mandato do Governo Regional nos Açores, que, como sabem, terá eleições em outubro e o AUDIÊNCIA Ribeira Grande vai antecipar um ciclo de conferências, que vai decorrer entre janeiro e abril. E, paralelamente, em Vila Nova de Gaia, vai ser lançado, com possível extensão à Trofa e a Valongo, uma pesquisa pelo mercado empresarial dos milhares de empresas que existem no Concelho de Gaia e também da Trofa e Valongo. Tal como o Jornal começou em Gaia, nós também vamos começar em Gaia e vamos fazer um levantamento que nós vamos fazer, nomeadamente numa primeira fase, nos parques industriais do concelho sobre as carências, necessidades, objetivos e, também, ambições das empresas e vamos dar a conhecer aos gaienses e aos cidadãos interessados fora de Vila Nova de Gaia o que existe, de facto, na região”, concluindo que “terminaremos, em 2020, com um evento semelhante a este, que se vai realizar na Trofa, para o fecho das comemorações”.

O diretor do Jornal AUDIÊNCIA destacou, entre as centenas de personalidades que estiveram presentes no almoço comemorativo, a comparência de duas escritoras, Manuela Bulcão, que vai lançar um livro de Cartas de Amor na XV Gala AUDIÊNCIA, com capa de Abílio Guimarães, que aceitou o repto lançado por Joaquim Ferreira Leite, e de Áurea Bastos, autora do livro “Este Filho que Eu Abraço”, escrito em homenagem ao filho que tem autismo, e de Margarida Santos, criadora do Troféu AUDIÊNCIA, salientando que a escultora “criou o Troféu AUDIÊNCIA com muito amor e carinho e ofertou-o ao Jornal sem receber nada em troca” e que “é um Troféu que todos ambicionam e que, normalmente, é entregue a quem merece”.

Também a poetisa gaiense Rosita Orfa fez questão de participar e de intervir neste aniversário, demonstrando, de palavra em palavra, através da poesia, o seu apreço pelo trabalho realizado pelo AUDIÊNCIA e por Joaquim Ferreira Leite.

Joaquim Ferreira Leite ressaltou ainda que “o AUDIÊNCIA é, em Vila Nova de Gaia, o Jornal que chega ao maior número de mãos”, destacando que “nós queremos implementar a nossa proximidade com Vila Nova de Gaia, com a Trofa e com a Ribeira Grande”, porque “a nossa única vontade é servir e contribuir para o desenvolvimento das nossas terras”.

O diretor do Jornal AUDIÊNCIA aproveitou ainda a ocasião para apresentar “os verdadeiros donos da AGP Comunicação e da ARG Comunicação, Pedro e Madalena Leite, eles têm 50% do capital cada um” e para declarar que “a partir de janeiro de 2020 entrará em funcionamento uma empresa de eventos e de assessorias, com 50% do capital da AGP e 50% do capital da ARG, que vai permitir o intercâmbio cultural de artistas de várias áreas dos Açores para Vila Nova de Gaia e para Trofa e vice-versa”.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com