A Câmara Municipal de Gaia entregou, no passado dia 8 de novembro, no âmbito do programa “Juntas + Verdes”, mais cinco viaturas elétricas, desta vez de nove lugares, às juntas de freguesia de Canidelo, Gulpilhares e Valadares, Madalena, Grijó e Sermonde e Santa Marinha e São Pedro da Afurada. Esta iniciativa realizou-se no seguimento da oferta das primeiras 11 viaturas 100% elétricas às freguesias gaienses, que decorreu no passado dia 20 de agosto, e contou com um investimento, por parte do município, superior a 500 mil euros.

 

 

A Câmara Municipal de Gaia investiu mais de 500 mil euros na aquisição de viaturas elétricas para as juntas de freguesia do concelho, no âmbito do programa “Juntas + Verdes”. No passado dia 8 de novembro, ocorreu a entrega das viaturas do terceiro lote, que contemplou cinco veículos de nove lugares, às freguesias de Canidelo, Gulpilhares e Valadares, Madalena, Grijó e Sermonde e Santa Marinha e São Pedro da Afurada. Recorde-se que o primeiro e segundo lotes, que correspondeu a 11 viaturas, foram atribuídos no passado dia 20 de agosto.

Em causa está, segundo a autarquia, prosseguir o objetivo de assegurar o apoio às juntas de freguesia, para a renovação das suas frotas automóveis.

Neste seguimento, Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, ressaltou, em entrevista exclusiva ao AUDIÊNCIA, que a entrega dos cinco veículos “representa, em muitos casos, substituição de viaturas antigas, que davam muita despesa de manutenção e de gasóleo. Depois, representa um esforço do município, para ir melhorando a infraestrutura das juntas de freguesia, neste caso, móvel, com viaturas elétricas e que, deste ponto de vista, também são ambientalmente mais corretas e, finalmente, significa uma nova capacidade que as juntas têm de, com carrinhas destas, de nove lugares, serem também um suporte de uma rede de transportes em zonas onde o transporte não é tão forte. O MOB+ mais tem funcionado magnificamente, portanto à medida que formos acrescentando, não estamos a honorar ninguém, não há grande manutenção, são viaturas novas, portanto com garantia e, agora, é esperar que as juntas lhe deem um bom uso, como eu acho que vai acontecer, sem dúvida”.

Assim, para a autarquia, “a antiguidade e o uso intensivo dos veículos de trabalho das juntas de freguesia impõem uma ação de melhoria da sua condição e eficiência ambiental”, sendo que “o seu uso, predominantemente para deslocações de ação social, fundamenta este apoio”.

Como explicou o edil, “aqui, o grande objetivo, até numa lógica mais direta, será servir os mais idosos, num certo sentido, e, depois, também, o transporte escolar”, pelo que será “um suplemento ao MOB+ e, em alguns casos, onde já temos até um aumento significativo de pedidos, é um reforço do que já temos no terreno”.