Dois dias depois da realização da manifestação contra a guerra na Ucrânia, organizada pelos alunos e professores da MEP – Escola Profissional da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada, a Câmara Municipal recebeu a primeira família de refugiados, no Aeroporto João Paulo II, juntamente com uma onda de solidariedade.

 

 

 

Pedro Nascimento Cabral, presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Cristina Canto Tavares, vereadora da autarquia, e Margarida Pais, chefe de Divisão, acolheram a primeira família de refugiados da Ucrânia, que chegou no passado dia 12 de março, ao Aeroporto João Paulo II, dois dias depois de 80 alunos e professores da MEP – Escola Profissional da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada se terem manifestado contra o conflito, exibindo bandeiras, cartazes e lançando gritos de apelo ao fim da invasão, ao longo de um percurso, que terminou na Praça do Município.

Em causa está uma família, constituída por quatro elementos, que está alojada numa casa, que é propriedade do município e que será, devidamente, acompanhada e apoiada pelos colaboradores da Divisão de Desenvolvimento Social da autarquia, assim como pela AIPA (Associação dos Imigrantes dos Açores).

Hanna Kosolap, o seu marido, Oleksandr Kosolap, a filha, Sofiia Kosolap, e a avó, Olena Tyshchenko, foram forçados a abandonar Kiev, a 26 de fevereiro, tendo chegado à fronteira com a Polónia dois dias mais tarde. Daí, foram até Bruxelas, de onde partiram para Lisboa, tendo chegado, no passado dia 12 de março, a Ponta Delgada.

Segundo explicou Pedro Nascimento Cabral, “a Câmara Municipal de Ponta Delgada foi contactada pela AIPA para ajudar esta família e, de imediato, acionou todos os meios que tem disponíveis”.

Garantindo que, “neste momento, a autarquia dispõe de alojamento próprio, para cerca de 40 refugiados”, o edil esclareceu que “a intervenção da Câmara Municipal, neste processo, foi assegurar um alojamento condigno, a quem está a fugir de uma guerra, absolutamente, injusta”, afiançando que o município “tem a sua Divisão de Desenvolvimento Social acionada e será um parceiro ativo, neste acolhimento que nós, açorianos, e, neste caso em concreto, os cidadãos de Ponta Delgada, estamos disponíveis para fazer, num manifesto gesto de solidariedade, para com estes refugiados da guerra”.

Desde a primeira hora, o Município de Ponta Delgada, com o apoio da AIPA, acionou um plano, para receber refugiados da Ucrânia, disponibilizando dois pontos de recolha de bens essenciais, para os ajudar. Entretanto, a autarquia, em parceria com o Conselho Regional dos Açores da Ordem dos Advogados, disponibilizou apoio jurídico a estes ucranianos, assim como apoio psicológico, em consórcio com a Ordem dos Psicólogos Portugueses. Os Serviços de Desenvolvimento Social do Município garantem, ainda, o alojamento e alimentação aos imigrantes ucranianos, assim como a articulação com outras entidades, nomeadamente na sua inserção socioprofissional.