Não houve nenhum concorrente que não tivesse identificado o escritor “retratado” no enunciado da quinta prova do nosso torneio, o que nunca tinha acontecido em qualquer das provas anteriores. A esse facto não deve ser estranha a exibição recente da HBO Portugal, no serviço de streaming, de uma série de oito episódios de “Perry Mason”, que veio a repetir o êxito considerável alcançado na primeira versão para televisão das aventuras do advogado-detetive criado por Erle Stanley Gardner, numa produção da CBS, que prendeu ao pequeno ecrã milhões de telespectadores de diversos países europeus e não só, incluindo Portugal, na segunda metade do século passado.

Será que sucede o mesmo com a prova que hoje se publica, trazendo um autor por diversas vezes transposto para o grande ecrã e interpretado por algumas das maiores estrelas do cinema norte-americano?… Nesta fase da competição, qualquer percalço pode comprometer o objetivo traçado pelos concorrentes que aspiram ocupar os lugares cimeiros da classificação no final do torneio. Aconselha-se, por isso, a máxima atenção às pistas deixadas no enunciado que se segue.

 

TORNEIO QUEM É? QUEM É?

            Prova nº. 7

Nasceu em Chicago, a 23 de julho de 1888, de ascendência irlandesa, e tinha menos de 7 anos quando os pais se divorciaram. Passou a viver com um tio materno, advogado de sucesso, primeiro na Irlanda e depois em Inglaterra. Com o seu apoio financeiro, frequentou na juventude o londrino Dulwich College. E foi em Londres que editou os primeiros escritos (ensaios e poesia), enquanto trabalhava como freelancer nas publicações The Westminster Gazette e The Spectador.

O regresso aos Estados Unidos aconteceu em 1913, onde trabalhou como contabilista, antes de se alistar no exército canadiano, com o qual combateu em França. Após o armistício da 1ª. Guerra Mundial, mudou-se para Los Angeles, onde conheceu uma ex-atriz (Cissy Pascal), mulher de assinalável beleza e 19 anos mais velha do que ele, com quem casou em 1924.

Em 1932, com 44 anos, ocupava a vice-presidência de uma importante empresa petrolífera da Califórnia, mas problemas de alcoolismo e a grande depressão económica dos Estados Unidos atiram-no para o desemprego. Para sobreviver, começou a enviar novelas de ação (em folhetins) para as revistas Black Mask e Manhunt e para o jornal Daily Mail.

O seu primeiro romance policial foi publicado em 1939, onde surgiu o seu mais conhecido herói, com o qual alcançou o almejado e incontestável triunfo, proclamado pela crítica de toda a imprensa dos Estados Unidos.

O realizador Howard Hawks transpôs, sete anos depois, aquele seu romance para o cinema, com um filme que conquistou assinalável êxito, com Humphrey Bogart a vestir a pele do protagonista, mais tarde encarnado em outros filmes por Alan Ladd, Robert Mitchum e Kirk Douglas, ou mais tarde por Powers Boote, numa série policial que fez grande sucesso também na televisão portuguesa.

A morte de Cissy Pascal, em 1954, arrasou-o emocionalmente e voltou a refugiar-se no álcool. A sua escrita ressentiu-se, tanto em termos quantitativos como qualitativos, e acabou por tentar o suicídio em 1955. Viria a falecer em 1959, vítima de pneumonia.

Quem é ele, quem é?

.

As propostas de solução a este enigma devem ser enviadas no prazo máximo de 15 (quinze) dias para o orientador da secção, através do email salvadorpereirasantos@hotmail.com.

 

            ……………………. /// ………………………….

 

TORNEIO QUEM É? QUEM É?

            Solução da Prova nº. 5

            Nasceu em Malden, Massachusetts. Morreu em 1 março de 1970 e a sua última obra (“The Case of the Postponed Murder”) foi editada em 1973. Foi advogado durante vinte e três anos, praticou desporto, tinha a fotografia como hobby, adorava viajar, falava fluentemente o idioma chinês e ficou mundialmente conhecido como o criador do advogado-detetive Perry Mason.

“The Case oh the Velvet Claws” e “The Case of the Sulky Girl”, publicados em 1933, foram os dois primeiros de perto de noventa “casos” de Perry Mason, personagem que conseguiria sobreviver à morte do seu criador e que viria a ser recriado pelo escritor Thomas Chastain.

A interessante experiência de uma viagem à China com a sua primeira mulher inspirou-o a criar o Major Copely Brane (“Aventureiro Internacional” – 1931), personagem a que se seguiria, em 1938, o casal de investigadores Bertha Cool e o pequeno advogado Donald Lam, com a assinatura de A. A. Fair, pseudónimo de… Erle Stanley Gardner.

 

PONTUAÇÓES / CLASSIFICAÇÃO ATUAL (5ª. PROVA)

1º. Bernie Leceiro (37+8): 45 pontos;

2º. Detetive Jeremias (30+10): 40 pontos;

3º. Os Mosqueteiros (27+9): 36 pontos;

4ºs. Inspetor Moscardo (29+5) e Inspetor Mucaba (27+7): 34 pontos;

6º. Abrótea (27+5): 32 pontos;

7º. Búfalos Associados (23+6): 29 pontos;

8ºs. Agata Cristas, Amiga Rola, Arc Anjo, Bota Abaixo, Beira-Rio, Broa de Avintes, Charadista, Detetive Bruno, Dragão de Santo Ovídio, Faina do Mar, Haka Crimes, Holmes, Inspetor Guimarães, Inspetor Mostarda, Mancha Negra, Mário Gomes, Ma(r)ta Hari, Martelo, Mascarilha, Menino Lucas, Mosca, Moura Encantada, Mula Velha, Oluap Snitram, O Madeirense, Pena Cova, Pequeno Simão, Príncipe da Madalena, Santinho da Ladeira, Solidário, Talismã, Tó Fadista, Zé de Mafamude e Visconde das Devesas (20+5): 25 pontos;

42ºs. Chico da Afurada (15+5), Madame Eclética (20+—) e Zurrapa Verde (15+5): 20 pontos;

45ºs. Carlota Joaquina e Inspetor Madeira (5+5): 10 pontos;

47ºs. Necas e Vitinho (0+5): 5 pontos.

 

A CAMINHO DO 7º ANO DE VIDA

Esta é a primeira edição a caminho do sétimo ano de vida da nossa secção, nascida exatamente a 1 de junho de 2016. Pelo seu sucesso, aqui ficam os nossos agradecimentos a todos os leitores do AUDIÊNCIA GP, nomeadamente aos que nos têm acompanhado de forma participativa.