A noite de 26 de setembro foi de festa para o Partido Socialista em Gaia. Eduardo Vítor Rodrigues foi reeleito presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e Albino Almeida foi reeleito presidente da Assembleia Municipal. Também as Juntas de Freguesia do concelho, todas as 15, viram os candidatos do PS a sair vitoriosos. Assim, dezenas de pessoas juntaram-se na sede do partido em Gaia, a festa era lá. Foi a chegada de Eduardo Vítor Rodrigues a mais animada. O presidente reeleito foi recebido com muitas demonstrações de carinho. Num discurso caloroso, Eduardo Vítor fez questão de se mostrar orgulhoso por vencer o terceiro mandato, acreditando que significa o acreditar das pessoas depois de oito anos de trabalho, o quanto a política pode ser bem feita. Mas o trabalho não fica por aqui. O autarca prometeu continuar a trabalhar com o mesmo empenho de sempre para fazer de Gaia, uma cidade do mundo, mas sempre atenta aos seus cidadãos.

 

 

O Partido Socialista conquistou, nas Autárquicas de 2021, a Câmara e a Assembleia Municipal, bem como todas as 15 freguesias do município. A noite já ia longa quando começaram a chegar à sede do PS em Vila Nova de Gaia os primeiros vencedores da noite, presidentes das juntas. A parte exterior da sede foi ficando cheia de apoiantes que vinham de todos os cantos do concelho. Mas era Eduardo Vítor que todos esperavam. O reeleito presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia chegou acompanhado da esposa e dos dois filhos. Esperava-o Patrocínio Azevedo, líder da concelhia do partido em Gaia, que acompanhou o presidente no pequeno percurso desde o início da rua, perto da linha do metro, até à sede.

Eduardo Vítor Rodrigues foi recebido com música, palmas, aclamações de felicidade e com algumas demonstrações de carinho, maioritariamente em forma de abraços. Dentro da sede havia um púlpito destinado ao discurso do presidente, mas o calor humano no exterior era tanto, que foi ali que Eduardo Vítor Rodrigues dirigiu algumas palavras a todos. Agradeceu a presença e o apoio de todos e referiu a importância de vencer este terceiro mandato: “na reta final de um percurso, as pessoas tendem a desacreditar, hoje mostramos que é possível ter oito anos de um grande e difícil trabalho e, mesmo assim, conquistar a confiança das pessoas”.

Ainda no discurso inicial, o reeleito presidente de Gaia, chamou a atenção para o facto de Gaia não ter estado na mira dos grandes meios de comunicação, por não se tratar de uma luta renhida. Ainda assim, Eduardo Vítor Rodrigues, acredita que isso é motivo de orgulho para a Democracia. “Nem só de disputas renhidas se faz a Democracia, faz-se também daqueles que, ao longo dos anos, têm granjeado a confiança da população, para de uma forma tão expressiva se deslocarem à mesa de voto e poderem dar esta grande vitória ao Partido Socialista”, disse o autarca que afirmou ainda que Gaia é “um bastião da dignidade na política”.

“O que nos resta fazer é tudo fazer para não defraudar as expectativas das pessoas”, foi assim que terminou o discurso de Eduardo Vítor Rodrigues à porta da sede, onde prometeu que o Partido Socialista vai encarar estes quatro anos que se seguem com o mesmo rigor, responsabilidade e disciplina de sempre, transformando Gaia numa cidade forte e de futuro, sem esquecer as políticas mais humanísticas e direcionadas para os problemas e qualidade de vida da sua população.

Seguiram-se muitas dezenas de abraços. Eduardo Vítor Rodrigues cumprimentou quase individualmente as dezenas de pessoas que estavam na rua, junto à sede do partido. Só depois entrou, dirigiu-se ao púlpito, e fez, com o próprio referiu, de forma mais intimista, e para aqueles que trabalharam durante meses, um discurso e agradecimento mais específico.

“Eu acho que é possível cumprir sonhos”, foi assim que começou referindo-se à vitória esmagadora do PS. “Hoje, a Democracia está de parabéns, o que aconteceu em Vila Nova de Gaia é a demonstração de que quando as coisas se fazem bem e com sentido de serviço público, os cidadãos lá fora reconhecem o trabalho”, disse Eduardo Vítor Rodrigues reforçando que Gaia é um exemplo de que a vida política pode e deve ser confiável.

O presidente confessou que passou por dois mandatos difíceis, um do ponto de vista da gestão e da necessidade de reorganização, onde a convicção de que as boas contas interessavam mesmo quando os outros diziam que isso não dava votos, e um segundo mandato claramente marcado pela pandemia onde, novamente, Eduardo Vítor Rodrigues salientou a importância das contas no verde. Seguem-se agora “quatro anos difíceis de recuperação”.  O presidente prometeu, à semelhança do discurso no exterior, continuar com a mesma energia e convicção dos últimos oito anos. “Continuar a fazer de Gaia um município de referência, para que o que cá se fizer possa ser replicado noutros sítios”.

“Quero agradecer em particular aos mais próximos, família em primeiro lugar, amigos do dia a dia em segundo lugar, que aguentaram a pressão de quem ainda acredita que se ganha votos fazendo campanha negra, de quem acredita que ainda se ganha votos fazendo campanha suja, e em vez de fazerem propostas, faziam cartas ou denúncias anónimas”, referindo-se à denúncia anónima que foi feita à Faculdade de Letras sobre a sua tese de doutoramento.

“O resultado de hoje não é o balanço dos últimos oito anos, o resultado de hoje responsabiliza-nos, sim, para os próximos quatro anos”. Foi com esta frase que Eduardo Vítor se comprometeu a, a partir de dia 27 de setembro, logo no dia seguinte ao que fazia o discurso, regressar ao trabalho, acabar cada dia com o sentimento de dever cumprido, mas, ao mesmo tempo, de que faria melhor ainda no dia seguinte. “Festejar hoje a Democracia em Vila Nova de Gaia, a partir de amanha voltamos com gana, com entusiasmo, mas com a mesma humildade, a pugnar pelo bem-estar e qualidade de vida dos nossos concidadãos de Gaia”

“Obrigada a todos pelo trabalho, esta vitória é toda vossa!”

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com