A 5.ª edição da Festa da Flor da Ribeira Grande (feita de forma consecutiva) foi a que teve mais sucesso: de 17 a 19 de maio, mais de 10 mil pessoas participaram nesta festividade promovida pela autarquia. Os momentos com mais afluência recaíram sobre as tardes de sábado e domingo com, respetivamente, o desfile alegórico e a missa e procissão do Senhor Santo Cristo dos Terceiros.

De 17 a 19 de maio o centro da cidade da Ribeira Grande encheu-se de gente e de cor para acolher a Festa da Flor. Entrevistado pelo AUDIÊNCIA, o presidente da Câmara Municipal lembrou que “esta festa faz parte do calendário anual dos eventos da autarquia” e que é um momento importante na “na divulgação do concelho nesta altura do ano em que há um maior fluxo de turistas que visita a ilha”, referindo-se às festas em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres que aconteceram em Ponta Delgada, na semana seguinte à da Festa da Flor.

Este evento, que é suportado apenas pela Câmara Municipal, pretende, de acordo com Alexandre Gaudêncio, “trazer pessoas” para a Ribeira Grande, mas também “passar uma boa imagem” do concelho “em torno do fenómeno da flor”.

O autarca realça a falta de apoio do Governo Regional: “julgo que poderia haver uma estratégia mais regional na promoção da própria festa. O que fazemos é com recursos próprios. Infelizmente não conseguimos fazer com que outras entidades, nomeadamente o turismo, olhe para esta festa como projeção da própria ilha e da região, mas não é por isso que vamos deixar de apostar neste tipo de evento, que tem merecido uma crítica extremamente positiva”.

Alexandre Gaudêncio crê que a Festa da Flor também é benéfica para a promoção dos Açores e não apenas da Ribeira Grande. No entanto, lamenta não ser essa a “visão que as entidades regionais têm” e promete que “não é por isso que vamos deixar de trabalhar”.

A Festa da Flor teve início com a realização do tapete de 20 mil flores e cerca de 90 metros quadrados, feito com a ajuda de alunos da Escola Profissional da Ribeira Grande. Pôde ser admirado no Largo Hintze Ribeiro, em frente aos Paços do Concelho, e era uma das maiores atrações da festa.
A tarde de sábado ficou preenchida pelo desfile alegórico sob o tema “Minhas flores, meus amores”, que contou com a presença e representação de todas as freguesias do concelho, bem como por algumas instituições, uma “forma de divulgar o melhor que se faz em cada local”. No total, foram 1000 participantes que desfilaram desde o Estádio Municipal da Ribeira Grande até ao Largo Hintze Ribeiro, percorrendo toda a Rua Direita.

A componente religiosa não ficou esquecida. O domingo ficou marcado pela missa e procissão em honra do Senhor Santo Cristo dos Terceiros, na qual participaram a Filarmónica Aliança dos Prazeres (Pico da Pedra) e a Sociedade Filarmónica Progresso do Norte (Rabo de Peixe). Os fiéis fizeram um percurso desde a igreja da Ribeira Seca até ao Museu Vivo do Franciscanismo. A afluência de pessoas participantes na procissão fizeram deste o segundo momento com mais participantes da Festa da Flor, sendo o primeiro o desfile alegórico do dia anterior.

Durante os três dias foi possível assistir a atuações musicais, à peça de teatro que trouxe a atriz Rita Ribeiro à Ribeira Grande “Bocage – o mais honesto homem para se amar”, desporto, animação infantil, exposições de pintura, fotografia e vitrais no Salão Nobre dos Paços do Concelho, Casa do Município e Museu Municipal da Ribeira Grande.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com