A produção experimental de chá branco levada a cabo pelo Serviço de Desenvolvimento Agrário de São Miguel (SDASM) está a despertar um crescente interesse internacional, segundo disse João Ponte, Secretário Regional da Agricultura e Florestas.

Quatro professoras que trabalham no setor do chá, da Universidade de Hunan, na China, visitaram São Miguel para conhecer as produções locais de chá, nomeadamente a Fábrica de Chá de Porto Formoso e a Fábrica de Chá Gorreana.

“A valorização desse produto experimental e a sua colocação no mercado vem evidenciar o potencial de uma cultura tradicional que tem muito espaço para crescer, através de caminhos inovadores”, afirmou João Ponte, que acrescentou que o chá desperta também interesse agrícola, paisagístico e turístico.

 O governante destacou que, pela primeira vez este ano, foram vendidos, através de um concurso público, 60 quilos de chá branco produzido pelo SDASM, tendo estes sido adquiridos por empresas locais e continentais.

Ainda no âmbito do chá e numa aposta na melhoria do seu conhecimento, a Secretaria Regional da Agricultura e Florestas possibilitou a visita da técnica superior Clara Estrela Rego (que trabalha no setor do chá) à China, sendo esta deslocação integrada na visita de estudo ‘Tea Tour’, organizada pela Associação Europeia de Produtores de Chá. Da mesma forma, uma comitiva de quatro professoras universitárias da China deslocou-se a São Miguel para conhecer a realidade local nesta área de atividade, o que poderá vir a dar lugar ao estabelecimento de uma parceria técnico-científica entre a China e os Açores, com o objetivo de estudar e potenciar o chá açoriano.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com