O presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, deixou uma mensagem de gratidão ao bispo D. João Lavrador, pelo seu percurso na região, dizendo que este soube “compreender bem a realidade e as tradições” do povo.

 

 

 

José Manuel Bolieiro, presidente do Governo Regional dos Açores, destacou o trabalho e preocupação de D. João Lavrador, à frente da diocese de Angra, que liderou durante cinco anos, menos um do que os que esteve a residir na região, primeiro como bispo coadjutor e depois como bispo titular.

“Foi bom ter D. João Lavrador” nos Açores, destacou o governante, sublinhando que “compreendeu bem a realidade e as tradições” do povo “associadas à igreja e à devoção religiosa da açorianidade”, e teve sempre também uma boa leitura no que diz respeito à diáspora.

Nascido a 18 de fevereiro de 1956 em Mira, na diocese de Coimbra, ao serviço da qual foi ordenado padre, em 1981, o 39º bispo de Angra foi nomeado pelo Papa Francisco como bispo de Viana do Castelo, depois de ter estado seis anos nos Açores.

“A sua partida não será uma ausência”, garantiu José Manuel Bolieiro, que lançou o apelo a que seja continuado o legado do bispo, mantendo-se o Governo Regional disponível para aportações resultantes do “saber adquirido” por D. João Lavrador.