Na transição do ano velho para o novo ano, evocámos um dos maiores divulgadores do policiário no nosso país: Sete de Espadas. Agora, no arranque das competições de 2018, começamos por prestar uma singela homenagem a Manuel Botas Constantino – figura maior do policiarismo português na vertente da produção de enigmas, para além de profundo estudioso e grande colecionador de literatura policial e de mistério, fantástico e ficção científica, com mais de setenta anos de dedicação ao policiário –, denominando com os pseudónimos por ele usados (M Constantino, Zé da Vila e Mário Campino) os prémios destinados aos concorrentes que se destaquem no concurso de Enigmas Policiários, que estamos neste momento a promover (de que publicamos nesta edição o respetivo regulamento).

E enquanto preparamos esta iniciativa, que será conjugada por mais um torneio de decifração, publicaremos nas próximas edições alguns problemas breves e de resposta fácil, começando hoje com um da autoria de Mestre Constantino.

 

ENIGMA POLICIÁRIO
Ladrão que Rouba Ladrão, de M. Constantino

Tenho na minha frente os três suspeitos do roubo na Ourivesaria Universal, cujo proprietário é perito e negociante de diamantes raros, de valores elevados. Tudo averiguado, visto, revisto e ponderado, não restam dúvidas de que os larápios, também eles especializados em diamantes, haviam combinado e concretizado o roubo.

Artur Manhoso, Benjamim Levezinho e Tomás Ligeiro são os seus nomes, talvez falsos, em todo o caso nomes.

Dúvidas sobre a participação comum no roubo não existiam; daí, a sua prisão, ainda que preventiva, para cumprir a lei. O nosso caso complica-se por existir, entre eles, um ladrão de ladrões. Explico: o que ficara com a missão de guardar o fruto da gatunice achou mais fácil ou útil ficar com tudo. Qual deles?

Dois foram sócios em vários “negócios”; o terceiro, de compleição atlética, cabelos negros, brilhantina a rodos, dedicava-se a motorista de famílias ricas… nas horas vagas, é claro! E fora este que Artur convidara em primeiro lugar para o golpe. Benjamim e o ladrão eram louros naturais. Estas as conclusões a que cheguei, para apurar quem era o ladrão dos ladrões.

Não ia dar “cem anos de perdão”, como diz o provérbio, lá isso não, porque ladrão de ladrão é duas vezes ladrão. Estão a seguir o raciocínio? Identifiquem-no então.

 

DESAFIO AO LEITOR

Amigo leitor, leia calmamente o problema, analise-o bem e seja você próprio o “detetive”, descobrindo, a partir dos elementos que são fornecidos, quem é o ladrão dos ladrões (será o Artur Manhoso, o Benjamim Levezinho ou o Tomás Ligeiro?). E depois confirme se o seu raciocínio está correto, lendo a solução do autor que se publica a fechar a presente edição. Mas, atenção, neste exercício detectivesco não é permitido fazer batota, sob nenhum pretexto. Está “impedido”, portanto, de ler a solução do autor antes de concluir mentalmente a sua!…

 

CONCURSO DE ENIGMAS POLICIAIS “MÃOS À ESCRITA!”
REGULAMENTO

1. O concurso é aberto a todos os leitores do AUDIÊNCIA Grande Porto ou seguidores do blogue O Local do Crime (localdocrime.blogspot.com), sem condicionalismos de idade;
2. Cada concorrente pode apresentar mais do que um original;
3. Os trabalhos, na modalidade de produção de enigma policiário, em língua portuguesa, deverão conter enunciado e respetiva solução;
4. Os trabalhos deverão ser apresentados em suporte digital, formato A4, com tipo de letra Times New Roman, em corpo 12 e com 1,5 de espaçamento entre linhas;
5. O enunciado do enigma deve ter o máximo de 2 páginas e a solução o máximo de uma página e meia;
6. Os trabalhos, nos moldes atrás descritos, deverão ser enviados para o endereço eletrónico salvadorpereirasantos@hotmail.com, entre 1 de dezembro de 2017 e 15 de abril de 2018;
7. A classificação dos enigmas será definida através da média da pontuação atribuída pelos participantes no torneio de decifração “Solução à Vista!” e pelo orientador da secção O Desafio dos Enigmas;
8. Na apresentação da solução de cada prova do torneio de decifração acima referido, os participantes atribuirão ao respetivo enigma entre 5 a 10 pontos, tendo o orientador da secção o mesmo número de pontos para atribuir a cada enigma;
9. Será vencedor do concurso o enigma que alcançar uma pontuação média mais elevada, sendo também distinguidos os enigmas classificados na segunda e terceira posições;
10. Serão atribuídos os seguintes prémios: 1º. Lugar – Troféu M Constantino; 2º. Lugar – Taça Zé da Vila; 3º. Lugar – Taça Mário Campino;
11. Os casos omissos serão resolvidos pelo orientador da secção O Desafio do Enigmas, não havendo recurso das decisões tomadas.

 

DETETIVE JEREMIAS SAGROU-SE CAMPEÃ NACIONAL

A leitora Detetive Jeremias, grande vencedora do nosso Torneio Policiário’2017, sagrou-se pela segunda vez campeã nacional de decifração, ao bater os seus mais diretos opositores nas duas últimas provas daquela que é a mais importante competição que se disputa no nosso país (secção Policiário, jornal Público). Nas duas posições imediatas classificaram-se Daniel Falcão (anterior campeão nacional) e a dupla Búfalos Associados (que conquistou a Taça de Portugal).

 

SOLUÇÃO DO ENIGMA DESTA EDIÇÃO

Ladrão que Rouba Ladrão, de M. Constantino
a) Benjamim e o ladrão eram louros, o motorista tinha o cabelo preto;
b) Por exclusão de partes (eliminação) Benjamim, porque é louro mas não é o ladrão, e o ladrão também é louro, não pode ser o motorista;
c) O ladrão só pode ser o Artur Manhoso, que exclui o Benjamim Levezinho (louro); e o motorista só pode ser o Tomás Ligeiro.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com