Os vereadores do PS à Câmara Municipal da Ribeira Grande apresentaram, no passado dia 23 de março, um requerimento para que não seja construído o pilar da nova ponte no leito da ribeira da Ribeira Grande. Em causa, segundo os próprios, estão, entre outras, questões de segurança, já que, recentemente, “o mar subiu e a ribeira arrastou pedras de volume considerável”.

“Nunca se entendeu porque é que o atual presidente arrumou o projeto anterior na gaveta e agora quer construir outro que não é emblemático, vai desvirtuar a imagem da cidade e pode representar um perigo do ponto de vista da segurança”, afirma Fernando Sousa, acrescentando que o PS tem vindo a tentar dissuadir Alexandre Gaudêncio da ideia “mas, sempre sem sucesso”.

Para o PS, “não é necessário ser um técnico especialista para entender os danos que acontecimentos similares aos de dia 27 de fevereiro, podem provocar num pilar instalado no meio da ribeira junto ao mar”.

Por sua vez, a autarquia liderada por Alexandre Gaudêncio já veio a público esclarecer que o executivo “sempre teve como preocupação fazer uma obra exequível e que não descaracterizasse a Ponte dos 8 Arcos, com um investimento muito mais reduzido que o inicialmente projetado” e afirma mesmo “estranhar” o facto de “só agora o PS estar desperto para esta situação, quando se alheou das discussões públicas e apresentações de projetos”.

“A posição do PS da Ribeira Grande peca por tardia, tendo em conta que já foi feito o auto de consignação da obra, aguardando a mesma somente o visto do Tribunal de Contas para que os trabalhos se iniciem, e releva também algum desconhecimento, na medida em que a obra projetada já mereceu o aval das direções regionais do Ambiente e dos Assuntos do Mar”, afirma a autarquia, em comunicado.

O executivo reforça ainda que “nenhum pilar será construído no leito da ribeira, mas sim, nas suas margens, pelo que não faz sentido a Câmara acatar uma recomendação sobre algo que já foi aprovado em reunião de Câmara”.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com