A tecnológica alemã TeamViewer abriu, no passado dia 21 de junho, um novo escritório no Porto, reforçando a sua presença em Portugal. A cerimónia de inauguração contou com a presença de Oliver Steil, CEO da empresa, Mike Eissele, diretor técnico da multinacional, Marcos Carvalho, diretor de design de produtos e responsável pelas operações da TeamViewer em Portugal, Filipe Araújo, vice-presidente da Câmara Municipal do Porto, e Luís Castro Henriques, presidente da AICEP.

 

 

Depois do lançamento de um centro de investigação e desenvolvimento, durante o ano transato, a TeamViewer, líder global de soluções de conectividade remota e digitalização do local de trabalho, reforçou a sua presença em Portugal, mudando-se para um novo escritório, na zona industrial do Porto.

Inaugurado no passado dia 21 de junho, o novo espaço da tecnológica alemã integra a organização global de I&D da empresa e vai dedicar-se ao desenvolvimento de soluções de realidade aumentada. Com capacidade para acolher mais de 70 profissionais e equipamentos de última geração, a multinacional conta, atualmente, com 30 engenheiros de software e design altamente qualificados e espera contratar mais 25 especialistas, até ao final do ano.

Na cerimónia de inauguração do novo espaço, Marcos Carvalho, diretor de design de produtos e responsável pelas operações da TeamViewer em Portugal, aproveitou a ocasião para ressaltar que a abertura deste novo espaço “é um momento extremamente especial, para nós”, assegurando que “definitivamente partilhamos um impulso comum, para o potencial de amanhã e é esta paixão que, basicamente, nos alimenta e nos dá energia, para, depois, criarmos produtos inovadores”.

A TeamViewer aumentou o número de colaboradores a trabalhar na área de I&D em 20% em 2021, em comparação com 2020. Ao estabelecer um núcleo adicional de I&D em Portugal, a empresa duplicou o avanço estratégico das suas capacidades de engenharia, dedicadas à inovação de software. Uma grande parte do novo add-on AiStudio, que faz parte do software de realidade aumentada “TeamViewer Frontline” e que consiste num algoritmo de autoaprendizagem, para formar modelos de Inteligência Artificial, para o reconhecimento de imagem e objetos, foi desenvolvido no Porto.

Para Oliver Steil, CEO da TeamViewer, “é, realmente, um orgulho enorme estar aqui, a abrir este escritório”. Garantindo que é com o intuito de “criar um mundo que funcione melhor”, que “nós nos concentramos, diariamente, nos processos de trabalho com todos os nossos clientes”, o CEO sublinhou que o “nosso objetivo é tentar melhorar a forma como as empresas trabalham, nos diferentes setores, e partilham informações a nível global, de forma a tornarem-se mais eficientes”.

Também Luís Castro Henriques, presidente da AICEP, fez questão de marcar presença na abertura do novo escritório, evidenciando que “esta é uma demonstração clara de que o Porto se tornou um destino preferido para operações de base tecnológica, que podem beneficiar de uma reserva de talentos altamente qualificada e dinâmica. O foco nas soluções de realidade aumentada, que a TeamViewer traz ao ecossistema local, é um contributo fundamental para o posicionamento de Portugal, como um hub tecnológico, líder na Europa”.

Por outro lado, o vice-presidente da Câmara Municipal do Porto, enalteceu que “a vinda da TeamViewer para o Porto é um match perfeito com a nossa estratégia para a cidade, em termos de promoção de um ecossistema robusto e dinâmico de empresas”, salientando que “temos apostado muito, na promoção da qualidade de vida na cidade e, está claro, que o Porto é, hoje, uma cidade vibrante e cosmopolita, com talento de enormíssima qualidade e, como tal, um polo de atração fantástico, para empresas de todo o mundo”.

Esclarecendo que “o Porto é uma região com talentos brilhantes, que atraem as empresas para se fixarem aqui”, o autarca portuense revelou que acredita “que uma empresa como a TeamViewer quer estar uma cidade como esta, onde as ideias não surgem apenas da excelência da sua equipa, mas da comunidade que a rodeia”.

Por fim, foi o diretor de tecnologia da TeamViewer, Mike Eissele, quem interveio, aludindo que “a decisão de escolher Portugal como localização, baseou-se num quadro de seleção abrangente, que teve em conta fatores-chave culturais e de crescimento, incluindo disponibilidade de talento de topo, infraestrutura educacional, quadro regulamentar, mentalidade empreendedora e qualidade de vida. Até agora, o Porto provou ser uma excelente localização para o nosso centro de I&D, com muito boas universidades e uma grande reserva de talentos de engenharia de topo, altamente motivados para conduzir a próxima vaga de digitalização”.

A inauguração do novo escritório da tecnológica alemã no Porto terminou com a demonstração de diversos produtos inovadores, que se assumem como sendo âncoras da empresa.