A 7ª edição da Petrus Run decorreu no passado dia 27 de março e foi organizada pela Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo, com o apoio do Clube Spiridon de Gaia e do Clube Os Gaienses/Toyota. Patrocinada pelo Intermarché dos Carvalhos, esta prova contou com a participação de 900 atletas, oriundos de várias partes do país e contemplou, tal como já é habitual, uma corrida de 10 quilómetros pelas ruas da Freguesia de Pedroso e uma caminhada solidária de 5 quilómetros que, este ano, foi em prol da Ucrânia. Andreia Santos, do Recreio Desportivo de Águeda, e Bernardo Rocha, do Sport Comércio e Salgueiros, foram os grandes vencedores da classificação geral, desta competição.

 

 

 

Dois anos depois, o Estádio Jorge Sampaio acolheu, a par de inúmeras ruas da Freguesia de Pedroso, a 7ª edição da Petrus Run. Superando todas as expectativas, esta prova, que foi organizada pela Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo, com o apoio do Clube Spiridon de Gaia e do Clube Os Gaienses/Toyota, patrocinada pelo Intermarché dos Carvalhos e amadrinhada pela atleta olímpica Aurora Cunha, contou com a participação de 900 desportistas, oriundos de vários clubes nacionais, que, no passado dia 27 de março, pintaram a localidade de azul e amarelo, em homenagem à Ucrânia. O evento contou com a presença de Patrocínio Azevedo, vice-presidente da Câmara Municipal de Gaia, e Domingos Oliveira, diretor do Agrupamento de Escolas de Carvalhos.

Relativamente à classificação geral feminina, a atleta Andreia Santos, do Recreio Desportivo de Águeda, foi a primeira mulher a cortar a meta, conquistando o 1º lugar do pódio à geral, enquanto Mónia Fernandes, do Clube de Atletismo de Ovar, que terminou a corrida em segundo lugar, alcançou o lugar mais elevado do pódio na categoria Veterana F40. Assim, Celeste Oliveira, da Villa Cesari/Flama, que cruzou a meta no 3º posto, conseguiu o 2º lugar, ao passo que Filipa Diamantino, do Clube de Desporto C+S de Lavra, que chegou o fim da corrida na 4ª posição, encerrou o pódio.

No que concernem os resultados gerais masculinos, Bernardo Rocha, do Sport Comércio e Salgueiros, foi o primeiro homem a cortar a meta, conquistando o 1º lugar do pódio à geral, seguido de João Almeida, do Recreio Desportivo de Águeda, que assegurou o lugar intermédio do pódio, enquanto João Figueiredo, da Associação Figueiredos Runners & Friends, terminou a prova na 3ª posição, à geral.

A Decathlon também não perdeu a oportunidade de marcar presença no certame, premiando os primeiro, segundo e terceiro classificados com vales no valor de 40, 20 e 10 euros, que se somaram aos prémios finais da Petrus Run.

Segundo explicou Filipe Silva Lopes, presidente da União de Freguesias de Pedroso e Seixezelo, em entrevista exclusiva ao AUDIÊNCIA, “depois de dois anos sem fazermos a prova, nós estávamos com algum receio e esse receio estava a confirmar-se, pois, só há um mês atrás é que, efetivamente as inscrições dispararam. Houve uma forte divulgação e a evolução pandémica também ajudou a que as pessoas sentissem alguma confiança, em participar neste evento. (…) Tivemos de começar quase do zero e nós estávamos com algum receio, a expectativa era de 500 inscritos e quase que duplicamos esse número, o que, para nós, é um motivo de grande satisfação, porque é um sinal de que as pessoas acreditam nas iniciativas, que são realizadas pela Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo”.

Por outro lado, a madrinha da iniciativa, Aurora Cunha, fez questão de afirmar, durante a Petrus Run, que “depois de dois anos completamente inativos, estamos a voltar a poder fazer aquilo que nós mais gostamos, que é a caminhada, que é a corrida e, portanto, parabéns à organização, parabéns aos patrocinadores e parabéns à Câmara Municipal por, mais uma vez, ter apoiado este evento”.

Por conseguinte, foi com o objetivo de incentivar a prática contínua de exercício físico, que a Junta de Freguesia dinamizou mais uma edição deste grande evento, promovendo uma prova de 10 quilómetros e uma caminhada solidária de 5 quilómetros, cujo valor angariado reverteu a favor da Ucrânia. “Este ano, fruto da guerra que estamos, todos, a viver, porque apesar de ser muito longe daqui, traz consequências para todos nós, decidimos que este cariz solidário reverteria para a Ucrânia, daí as cores associadas à prova, nas t-shirts quer da corrida, quer da caminha, serem o amarelo e o azul, em memória do povo ucraniano, por tudo o que está a viver”, salientou o edil.

A Petrus Run é um evento desportivo de sucesso, que tem a particularidade de terminar na pista de atletismo do Estádio Jorge Sampaio. Para Filipe Silva Lopes, esta foi “uma prova superada, um objetivo superado. A mim, como líder deste projeto, deixa-me muito orgulhoso, por tudo, pela adesão das pessoas, a presença das empresas e a colaboração da Câmara Municipal. (…) Puxar a freguesia para a frente é o que me faz levantar, todos os dias, com esta vontade de fazer mais e melhor pela freguesia”.

O vice-presidente da Câmara Municipal de Gaia, Patrocínio Azevedo, também marcou presença nesta iniciativa, aproveitando a ocasião para salientar, em entrevista exclusiva ao AUDIÊNCIA, que “é fundamental para a comunidade haver este tipo de eventos, sobretudo quando estamos a viver um período de pandemia de covid-19. Nós já falamos no pós-covid, mas não tenho a certeza de que seja pós-covid, mas, sim, uma nova fase desta pandemia. A Junta de Freguesia está de parabéns por esta organização, com os parceiros que conseguiu angariar, para que acontecesse desta forma. Havia algumas baixas expectativas, sobretudo pela forma como as pessoas iriam reagir, mas ter cerca de 900 pessoas é sinal de que esta prova faz todo o sentido, neste local, nesta freguesia e a Junta está de parabéns, assim como todas as pessoas que fizeram parte desta organização. Para a cidade, isto é fundamental, porque nós não podemos ter apenas provas e este tipo de eventos mais no centro, temos de descentralizar pelo concelho e esta é uma iniciativa a apoiar e a manter”.