O presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, foi o convidado de honra de mais uma Tertúlia “Sabor das Palavras”, desta vez configurada no Almoço de Primavera, promovido pelo Jornal AUDIÊNCIA, em parceria com a Quinta da Boucinha, que decorreu no dia 20 de março, com o mote “Ribeira Grande no contexto nacional e internacional”. Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, e padrinho da iniciativa, marcou presença neste evento, assim como dezenas de autarcas e dirigentes associativos. Joaquim Ferreira Leite, diretor deste órgão de comunicação social, não pôde estar presente, por motivos de saúde, ainda assim não perdeu a oportunidade de participar na iniciativa, via digital.

 

 

 

O projeto “Sabor das Palavras” foi criado por Manuela Bulcão, escritora, e por Odete e Rui Caldeira, proprietários da Quinta da Boucinha, em tempo de pandemia, e visa fazer a diferença e marcar este momento que estamos a atravessar, através da gastronomia, aliada aos testemunhos marcantes de inúmeras individualidades.

No dia em que o hemisfério norte recebeu a primavera, a iniciativa teve uma magnitude muito maior, no seguimento da presença de Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, que, no dia 20 de março, agraciou Vila Nova de Gaia com a sua visita e falou sobre a “Ribeira Grande no contexto nacional e internacional”, à mesa, para mais de 180 personalidades e instituições.

Esta tertúlia emblemática realizou-se em parceria com o Jornal AUDIÊNCIA, com o intuito de cimentar pontes entre os mais diversos municípios do Norte do país e da Ilha de São Miguel, locais onde este órgão de comunicação social está presente e atua diariamente.

Todos os momentos foram registados para a posterioridade. Os convidados foram acompanhados pela equipa do AUDIÊNCIA desde a chegada, onde eram fotografados, até ao final do evento.

Odete Caldeira e Manuela Bulcão inauguraram a cerimónia, dirigindo algumas palavras de agradecimento aos presentes e transformando esta iniciativa, numa ocasião ímpar. Joaquim Ferreira Leite, diretor do Jornal AUDIÊNCIA, não pôde estar presente fisicamente, por motivos de saúde, porém, foi através da voz da jornalista Sara Tavares Almeida que se fez ouvir na Sala Chafariz da Quinta da Boucinha. Aí, aproveitou para lembrar e homenagear o amigo Ernesto Santos, presidente da Junta de Freguesia de Campanhã, que partiu no passado dia 12 de março, sublinhando que “não era uma pessoa qualquer, era um ser humano de qualidades excecionais e que dedicou toda a sua vida a causas sociais, associativas e autárquicas, sempre em defesa do bem comum, com ênfase nos mais humildes”.

O autarca foi uma das individualidades distinguidas com o Troféu AUDIÊNCIA, na XVII Gala, que decorreu no passado dia 7 de fevereiro, na Associação Agrícola de São Miguel. Um evento, no qual o edil não conseguiu estar presente, por questões de saúde. Todavia, o diretor deste órgão de comunicação prometeu, “logo que me deixem «voar», ir aí ter com a sua família, na companhia do atual presidente Paulo Ribeiro, (…) e entregarei o Troféu que, merecidamente, conquistou”. O tributo terminou com um minuto de silêncio, seguido de uma salva de palmas em honra de Ernesto Santos.

Posteriormente, Joaquim Ferreira Leite saudou os convidados pela adesão maciça ao Almoço de Primavera, que marcou “o regresso do AUDIÊNCIA aos grandes eventos em Vila Nova de Gaia, após dois anos em que a pandemia reinou”.

Em seguida, reportou-se a Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia e padrinho do “Sabor das Palavras”, que fez questão de participar nesta tertúlia, sublinhando que “quero publicamente enaltecer todo o contributo dado à comunicação social gaiense, para que fosse possível ultrapassar as dificuldades. A sua enorme acutilância faz de vossa excelência um exemplo vivo de cidadania ativa e de humanidade inexcedível, de que o concelho de Vila Nova de Gaia muito tem beneficiado e o crescente orgulho de ser gaiense muito lhe deve”.

Depois, o diretor do AUDIÊNCIA referiu-se ao convidado especial, Alexandre Gaudêncio, enaltecendo que este “reinscreveu o seu concelho no mapa nacional. (…) Hoje, ir ou viver na Ribeira Grande é ter acesso a um pedacinho do céu”.

Joaquim Ferreira Leite enalteceu ainda que aquele era “um dia especial” e que devido ao seu estado de saúde, delegará algumas competências, que serão distribuídas pelos vários membros que constituem a equipa. O diretor anunciou, ainda, a chegada de uma nova jornalista, que vai integrar a redação, assim como de uma nova imagem para este órgão de comunicação.

Neste seguimento, o autarca gaiense foi convidado a proferir algumas palavras, reforçando a importância desta iniciativa e destes momentos de convívio, tendo em conta o panorama mundial.

Por outro lado, Alexandre Gaudêncio revelou que tinha acabado de chegar da Bolsa de Turismo em Lisboa, onde falou sobre as mais-valias da Ribeira Grande e de onde trouxe alguns panfletos, que distribuiu pelos presentes.

“Falar dos Açores é falar de turismo, zonas verdes, praia e há, aqui, uma ligação que nos toca a todos, que é o mar e o facto da Ribeira Grande ficar no Norte da Ilha”, ressaltou o palestrante, evidenciando “uma marca que nós já registamos: Ribeira Grande Capital do Surf, para que as pessoas possam ir mais vezes aos Açores praticar surf, principalmente na Ribeira Grande, o que não deixa de ser algo que nos diferencia dos outros. E eu acho que isso é importante no papel de um autarca: tentar evidenciar as mais-valias da sua terra. (…) Inclusive, um dos ênfases da minha campanha foi virar a cidade para o mar”.

A questão da sustentabilidade e da preservação ambiental foram outros dos aspetos que o autarca ribeiragrandense salientou, demonstrando que “a preocupação em preservar o meio ambiente e não estragar aquilo que de melhor temos, que são as nossas paisagens verdes, são preocupações que, cada vez mais, os autarcas têm de ter no seu dia a dia e que agora são avaliadas pelas novas gerações”.

Alexandre Gaudêncio apontou ainda a tranquilidade açoriana, no âmbito das qualidades deste território, “não só pelo estilo de vida pacato, mais barato, porque temos um diferencial fiscal em relação ao IRS, IVA e IRC para as empresas, são tudo fatores que podem ser bastante atrativos para quem quer lá investir. E, por fim, os Açores estão na moda, porque, cada vez mais, as pessoas procuram destinos tranquilos”.

Por fim, o edil da Ribeira Grande deixou “uma palavra ao Ferreira Leite”. “Eu acho que é de todo justo, até porque o facto de estarmos aqui, hoje, deve-se, essencialmente, a ele e ao projeto que ele tem. (…) Os amigos que ele criou, quer em São Miguel, mais concretamente na Ribeira Grande, quer aqui, permitiram-lhe, se calhar, estar, hoje, vivo e eu acho que isso é o mais importante, nós estarmos aqui a festejar a vida dele e não algo que poderia, porventura, ter sido pior. Fica, aqui, o nosso reconhecimento ao Jornal AUDIÊNCIA, porque é através deste projeto, que eu estou, aqui, presente”.

Após as intervenções iniciais, os convidados foram agraciados com um festim gastronómico, que honrou as individualidades através dos sabores.

Concluída a refeição, Manuela Bulcão, cofundadora do projeto, convidou a plateia a dirigir algumas palavras a Alexandre Gaudêncio, um momento que foi, igualmente, aproveitado pelas personalidades, para agraciar o palestrante com inúmeras lembranças. Neste contexto, Alberto Silva, que já havia oferecido livros a todos os convidados, entregou a Alexandre Gaudêncio e à família de Ferreira Leite, uma publicação especial, que também já tinha oferecido, em mãos, a Eduardo Vítor Rodrigues, aquando da sua saída do evento. Posto isto, também a Confraria da Pedra presentou o edil, com uma rocha pintada à mão, enquanto o confrade Abílio Guimarães aproveitou a ocasião para transpor, para o papel, a imagem do açoriano. Por outro lado, foi com poesia que a Confraria da Moamba brindou ao edil, ao passo que as entidades organizadoras ofereceram o tradicional sabor gaiense, através de uma garrafa de vinho do Porto. Por fim, foi Tino de Rans quem homenageou Alexandre Gaudêncio com a sua mais recente obra, intitulada “A… Corda P’rá Vida”.

Assim, em vez de questões, o presidente ribeiragrandense recebeu múltiplos elogios vindos das mais diversas personalidades presentes, entre as quais Graça Borges Castanho, professora da Universidade dos Açores e membro da direção da Casa do Povo da Maia, José Carlos Leitão, chanceler presidente da Confraria da Pedra, Tino de Rans, representante do partido R.I.R., Frei Fernando Ventura, Joaquim Leite, ex-presidente da Junta de Freguesia de Santa Marinha e empresário, e Jorge Martinez, artista gaiense.

O Almoço de Primavera promovido pelo Jornal AUDIÊNCIA, em parceria com a Quinta da Boucinha, revelou-se um sucesso e uma homenagem àqueles que fizeram, fazem e farão sempre parte da história e da memória deste órgão de comunicação, que tem como principal lema: “dar voz a quem não tem”.