“Alma Latina”, é uma obra colectiva, com a participação de 61 autores latinos espalhados pelo mundo oriundos de 10 países e de 3 continentes. Sendo a responsabilidade da sua coordenação do fafense José Maria Ramada.

“Alma Latina” contou com a participação de Emanuel Fernando Martins Leão, mais conhecido por Leão Rebordosa, nascido a 4 de Janeiro 1963 em Freamunde – Paços de Ferreira. Filho de Leonço Ribeiro Leão e de Rosa Martins Pereira. Saiu de Freamunde para Rebordosa, aos 5 anos e por lá ficou, é o segundo de oito irmãos.

Fernando Leão, participa pela primeira vez numa obra colectiva, concretizando o sonho de dar a conhecer ao mundo a sua poesia ao lado de poetas e escritores conhecido, sonhando um dia editar os seus trabalhos numa obra sua, o que poderá estar para breve.

Fernando Leão, além da sua paixão pela poesia, sempre se dedicou de alma e coração a outras actividades culturais, teatro amador, com o Grupo de Teatro Tru’peça, Jornalismo, no jornal ”O novo Encontro de Rebordosa”, em especial com artigos, fotografia e poesia.

Devido às suas participações no Teatro, conheceu Ruy de Carvalho, com quem mantém uma relação de amizade. Participou em Acções Sociais e eventos ligados á solidariedade, nomeadamente ligado às pessoas mais desfavorecidas. A sua obra na cultura e a sua forma de ser, levou-o a estar presente mais do que uma vez em programas de televisão nacional, tornando-se viral um vídeo duma sua participação na TVI, em que as lágrimas lhe correram pelas faces numa homenagem á sua mãe (Saudade de ti mãe).

É igualmente presença assídua, no conhecido teatro de rua, “Serragem da Velha”, uma festa pagã, realizada entre o Carnaval e a Páscoa na sua terra, onde a poesia e os textos jocosos, são dedicados às velhas solteironas na maioria deles autoria de Fernando Leão. Este evento tem uma grande cobertura a nível nacional e local na televisão, rádio e jornais. Evento este já centenário.

Actualmente a viver em Sartrouville é representante/colaborador da revista Repórter X, com entrevistas, a portugueses e luso descendentes, participa assiduamente com poesia, nomeadamente em “Audiência do Grande Porto”,  “Jornal Novo Encontro” etc., com textos, poesia e pensamentos, foi nestas andanças que conheceu José Maria Ramada que o desafiou a participar nesta obra colectiva.

Duma sensibilidade extrema nos seus escritos, emociona-se com facilidade apelando à humildade e simplicidade pelas quais rege a sua vida.  Sempre escreveu e continuará a escrever, dedicando na maioria das vezes os seus escritos a alguém. Acalenta o sonho de um dia compilar todos os seus poemas numa obra pessoal. Nunca teve a oportunidade de participar numa obra colectiva, fazendo-o agora pela primeira vez, nesta colectânea de autores latinos espalhados pelo mundo.

“Alma Latina” é o nome do I Volume desta obra com a participação de mais de meia centena de participantes do mundo da lusofonia, (Angola, Argentina, Bélgica, Brasil, Cabo Verde, França, Ilha St. Martin – Antilhas, Moçambique, Portugal, Suíça e Venezuela.

Sendo ainda prefaciada, pelo ilustre historiador e conhecido da diáspora, o Fafense, Dr. Daniel Bastos. Esta obra tem algumas particularidades a realçar. Além de ter o mais jovem participante em obras colectivas, 11 anos, Gabriel um luso descendente da Ilha St. Martin – Antilhas, tem 9 autores que participam pela primeira vez em obras literárias.  Também tem a vertente solidária pois alguns dos participantes prontificaram-se a apoiarem a participação de 6 poetas, com parcas posses para concretizarem este sonho de darem a conhecer ao mundo a sua poesia entre eles o Fernando Leão.

A Colectânea de Autores Portugueses no Mundo Vol I, “Alma Latina” foi lançada simbolicamente em finais de Setembro em Fafe, devido á Pandemia.

“Alma latina”, foi distribuída um pouco por todo o mundo, está ter uma aceitação tão grande entre os leitores que a 1ª edição está praticamente esgotada.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com