João Pedro Graça Ramos, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), foi o vencedor da 25ª edição do Prémio REN, para a melhor tese de mestrado, com o trabalho intitulado “Conversão de energia de geração fotovoltaica com inércia sintética”, que explora uma solução para armazenar energia num painel fotovoltaico.

 

 

Criado em 1995, o Prémio REN destina-se a premiar as melhores teses de mestrado no âmbito da energia, realizadas por alunos das áreas de Engenharia, Economia, Matemática, Física, Química, Sistemas de Informação e Computação. A edição do ano passado foi a primeira a premiar teses de doutoramento, sendo que a atribuição deste galardão só é feita a cada dois anos.

O vencedor da 25ª edição do Prémio REN para a melhor tese de Mestrado foi João Pedro Graça Ramos, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), com o trabalho denominado “Conversão de energia de geração fotovoltaica com inércia sintética”. Porém, aquele que é um dos prémios científicos mais antigos em Portugal, também, distinguiu os trabalhos de João Pedro da Silva Megre Barbosa, da FEUP, que abordou a problemática da segurança e estabilidade de sistemas elétricos, com forte integração de renováveis, num trabalho intitulado “Fast Assessment of Dynamic Behavior Analysis with Evaluation of Minimum Synchronous Inertia to Improve Dynamic Security in Islanded Power Systems”, e de Luís Miguel Brito Teixeira, da FEUP, com uma tese designada “Missing Signal Appraising in Globally Optimized Networks”, que incide sobre novas formas de análise das redes elétricas.

O Júri do Prémio REN decidiu, ainda, atribuir duas menções honrosas na edição deste ano e Sérgio Miguel da Silva Coelho, da Universidade do Minho, foi um dos contemplados pelo trabalho nomeado “Desenvolvimento de um Micro-Inversor para Sistemas de Energias Renováveis em Micro-Redes Distribuídas”. Já Tiago Poças de Almeida, da FEUP, mereceu o destaque com a Tese de Mestrado “Coordinated Operation of Electric Vehicle Solar Parking Lot as a Virtual Power Plant”.

O vencedor do Prémio de Melhor Tese é galardoado com um valor monetário de 25 mil euros. O segundo lugar recebe um prémio no valor de 15 mil euros, e o terceiro lugar 10 mil euros. Já o galardoado com a Melhor Tese de Doutoramento recebe 30 mil euros. Todavia, cada menção honrosa tem um prémio de 2500 euros.

Ao longo das suas 25 edições, os trabalhos premiados no âmbito do Prémio REN têm vindo a acompanhar as transformações e desenvolvimentos que têm moldado o setor da energia, a antecipar desafios, a identificar questões e a propor soluções inovadoras, contribuindo para o desenvolvimento do setor energético em Portugal e para o fortalecimento da interação entre a REN e a academia.

Neste seguimento, a REN aproveitou ainda a ocasião para anunciar a criação das “Medalhas de Mérito Científico REN – Ciência LP”, em parceria com a FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia e com o Centro Ciência LP (Centro de Categoria 2, sob os auspícios da UNESCO, que tem por missão estimular a formação avançada e o desenvolvimento científico, privilegiando países de língua portuguesa e em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 das Nações Unidas). Estas distinções vão premiar, em duas novas categorias, estudantes e mulheres até aos 35 anos, oriundos de países africanos de língua portuguesa, que tenham realizado projetos de investigação no âmbito da sua formação avançada (mestrado ou doutoramento) concluídos e apresentados num período de até dois ou três anos letivos anteriores ao da entrega da “Medalha de Mérito Científico REN – Ciência LP”, em áreas de transição energética, em África.

As candidaturas elegíveis serão avaliadas e classificadas por um júri constituído por personalidades de reconhecido mérito no domínio de atribuição das “Medalhas de Mérito Científico REN – Ciência LP”, selecionados pela FCT e Centro Ciência LP.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com