A retrosaria Arco Íris, situada na Ribeira Grande, abriu novamente as portas com um “ar novo”, totalmente remodelada e com mais espaço para os clientes circularem. Filomena Cunha, responsável da loja, convida todos os ribeiragrandenses a visitarem o espaço e aproveitarem para comprar uma decoração para este Natal.

 

 

Depois de um mês de portas fechadas, a retrosaria Arco Íris, situada na Ribeira Grande, abriu novamente ao público com uma imagem totalmente remodelada. Filomena Cunha, responsável da loja, explicou ao AUDIÊNCIA que esta remodelação foi imposta pelas condições do espaço, que já se encontravam um pouco degradadas.

“Tivemos de mudar, por necessidade. Tivemos obrigatoriamente de fazer obras porque o chão infelizmente abriu-se, já eram 34 anos de casa aberta. E isso obrigou-nos a fechar a porta por um mês para fazer esta grande remodelação. Abrimos mais uma porta também o que permite que as pessoas entram e saiam muito mais facilmente. Estou muito feliz com o resultado final, todos que cá vêm dão os parabéns, porque é uma grande modificação”, afirmou a responsável.

Sendo uma das lojas mais antigas da Ribeira Grande, a retrosaria Arco Íris continua a oferecer uma grande variedade de tecidos e decorações, sem esquecer o artesanato que, agora, tem lugar de destaque na loja.

“Este Natal podem levar para casa muito amor e daqui da loja podem levar toalhas de Natal, muita variedade de coisas e padrões para decoração. Artesanato também temos uma vasta linha, porque a parte do turismo também é importante na Ribeira Grande e há poucas lojas com coisas de artesanato para as pessoas levarem de recordação. Vimos que o artesanato sendo mudado para a frente teria mais saída e fizemos isso. Também temos uma vasta coleção de tecidos, muito variados, desde renda, lisos ou micados, com padrões e acessórios para decorar. A retrosaria é muita miudeza e não dá para dizer tudo o que temos porque é muita coisa mesmo”, explica a responsável.

Para o futuro, Filomena Cunha espera que os próximos tempos compensem os meses de pandemia e o mês que estiveram fechados, mostrando uma grande esperança para o futuro. Nesse sentido, a responsável aproveitou o momento para convidar todos os ribeiragrandeses a visitarem a nova loja, assim como os emigrantes que estão prestes a chegar ao arquipélago.

“Os emigrantes são sempre muito bem-vindos. Temos preços muito convidativos e fazemos questão de ir reduzindo para que as pessoas mais afetadas pela pandemia também não sintam, e tentamos sempre fazer descontos para as pessoas não saírem daqui tristes”.

Com as filhas no continente, Filomena Cunha espera que a pandemia permita que vá ter com elas neste Natal, e deixa a todos os leitores uma mensagem de Natal cheia de amor e paz. “Quero deixar muita paz e amor aos nossos clientes, sempre com um sorriso. E desejar muita força e pensamento positivo porque se não tivermos pensamento positivo as coisas não dão certo. Temos de pensar que o dia de amanhã pode ser melhor que o de hoje”.