A Câmara de Vila Nova de Gaia assinou, no passado dia 12 de dezembro, um acordo de parceria com o Agrupamento de Escolas de Carvalhos, que visa avançar com a requalificação da Escola Básica Padre António Luís Moreira, que atualmente acolhe 700 alunos do 2º e 3º ciclo.

A cerimónia relativa ao acordo de parceria institucional para a elaboração do projeto de execução da requalificação da Escola Básica Padre António Luís Moreira contemplou a atuação musical dos alunos e do Clube de Música do estabelecimento de ensino e contou com a presença de Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, de Patrocínio Azevedo, vice-presidente da Câmara Municipal de Gaia, de Elisa Cidade, vereadora da Câmara Municipal de Gaia, de Elísio Pinto, vereador da Câmara Municipal de Gaia, de Filipe Lopes, presidente da Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo, de César Oliveira, presidente da Federação das Coletividades de Vila Nova de Gaia, da comunidade educativa e de entidades civis e militares.

Esta medida foi aprovada em reunião de Câmara a 19 de novembro e consta na proposta que compete ao Município de Vila Nova de Gaia garantir a elaboração da obra, que vai incluir a requalificação do espaço escolar e do pavilhão desportivo, e a construção de uma rotunda de acesso à zona escolar.

Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, enalteceu que esta requalificação “representa valorizar a educação e valorizar esta escola, que é uma escola que está num processo de degradação que é preciso travar rapidamente”. “É uma escola integralmente renovada que nós queremos ter nos Carvalhos, porque a comunidade dos Carvalhos merece”, frisou.

O presidente da Câmara Municipal de Gaia apontou para uma requalificação a rondar, estimativamente, os três milhões de euros e sublinhou que vai candidatar a obra a fundos comunitários e garantiu que “se tiver dinheiro arranco com a obra mal o projeto esteja concluído, ou seja, no final do ano letivo tenho condições para arrancar com a obra. Se não houver financiamento temos que encontrar uma solução a partir de financiamento municipal, porque a obra vai ser feita, não há dúvidas. Eu não posso ficar preso à reprogramação até porque é expectável que a reprogramação não vá chegar para todas as exigências, mas, apesar de tudo, Gaia teve já uma participação muito forte. Aqui, o que eu acho é que justifica ter mais participação, porque temos uma comunidade escolar que é a maior da Área Metropolitana do Porto e a maior da região norte, mas não posso desprezar outros municípios que têm idênticas expectativas”.

Domingos Oliveira, diretor do Agrupamento de Escolas de Carvalhos, salientou ao AUDIÊNCIA, aquando da cerimónia, que “este dia é histórico para o Agrupamento de Escolas de Carvalhos, para a comunidade de Pedroso e Seixezelo e para o concelho de Vila Nova de Gaia. Este acordo de parceria institucional é uma mais-valia para o nosso Agrupamento, em particular para esta Escola Básica, que já está desqualificada e para uma equidade e igualdade de oportunidades para os alnos é importante que a escola esteja com as mínimas condições para se poder fazer um trabalho que, em termos pedagógicos já é feito, mas quanto melhores forem as condições físicas, obviamente que o rendimento escolar também, por si só, vai melhorar. A Escola em termos de condições humanas tem as melhores do mundo, mas em termos de condições físicas precisa urgentemente de uma intervenção”.

Também Filipe Lopes, presidente da Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo, aproveitou a ocasião para revelar ao AUDIÊNCIA que “este momento é muito importante para este Agrupamento e para a Escola Básica Padre António Luís Moreira, mas também é muito importante para as freguesias de Pedroso e Seixezelo, porque é uma obra estrutural e é um obra sobre a qual temos vindo a falar há cerca de 5 anos, quer a Junta de Freguesia, quer a Câmara Municipal, por entendermos que este edifício, efetivamente, merece dada a degradação em que o mesmo se encontra e o facto de a Câmara Municipal assumir como sua uma obra que, no fundo, não é da sua competência enche-nos de orgulho e valoriza ainda mais o esforço que é feito pelo município e pelo presidente da Câmara. Aqui estudam gaienses, trabalham gaienses, trabalham auxiliares e trabalha uma comunidade educativa, que tendo melhores condições consegue fazer um trabalho melhor e com melhores condições os alunos também têm uma maior qualidade na educação”.

A vereadora da Câmara Municipal de Gaia, Elisa Cidade, não deixou de demonstrar a sua felicidade e afirmou que “este é um momento muito importante e muito feliz” e que “o mais relevante é a parte pedagógica, mas a parte física também é importante. Os professores continuam a ser bons professores e os professores dão aulas em qualquer sítio, ao longo destes anos foi sempre assim, mas é lógico que é muito melhor para os alunos se eles tiverem condições, se tiverem salas onde não chove lá dentro, se tiverem uma cantina onde não tenham filas intermináveis, se tiverem um espaço quente e tudo isso contribui para o desempenho deles enquanto alunos, porque é extremamente importante”.

Eduardo Vítor Rodrigues avançou ainda, à margem da cerimónia de assinatura do acordo de parceria, o lançamento de um acordo quadro, no valor de 2,5 milhões de euros, que vai entrar em vigor em janeiro e visa a manutenção de equipamentos escolares, mais especificamente de escolas primárias e jardins-de-infância.

“É previso ter aqui um trabalho de manutenção que acautele o processo de degradação. Eu não o pude fazer antes, porque não havia condições financeiras, mas o acordo quadro vai permitir que o município faça um trabalho, neste momento, mais importante do que pensar em coisas novas, que é garantir que nada se degrada”, acrescentou o presidente da Câmara Municipal de Gaia.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com