No ramo automóvel há 24 anos, a Auto Menezes é um nome mais do que conhecido na Ribeira Grande. Além da venda de automóveis, o espaço dirigido por Mário Rui Menezes tem também uma pequena oficina, reboques e um serviço de rent-a-car que tem vindo a crescer substancialmente nos últimos anos.  

 

Nasceu em 1993 como um simples stand de vendas de automóveis. Mas, hoje em dia, a Auto Menezes é muito mais que isso, disponibilizando aos clientes uma pequena oficina para dar apoio e, desde 2009, que tem também um serviço de reboques.

Além disso, desde 2014 que a Auto Menezes disponibiliza também o serviço rent-a-car, uma necessidade sentida não só pelo desenvolvimento da Ribeira Grande como também pelo aumento significativo de turismo na ilha.

“Sou natural da Ribeira Grande e a cidade tem crescido a sério em todas as áreas. Na construção civil, então, nem tenho palavras para descrever, assim como na área bancária. Há 40 anos havia dois bancos, agora, praticamente estão todos na Ribeira Grande”.

Por isso mesmo, Mário Rui Menezes admite que ele próprio sentiu que tinha necessidade de expandir o negócio para outras ofertas. “Nunca houve cá um stand, fomos os primeiros. Oficinas sempre houve muitas, mas esse não é o nosso forte, apenas temos a oficina para dar apoio aos nossos carros. Nos reboques também fomos os primeiros e havia muita necessidade para irmos buscar até algum carro que avariasse vendido por nós. Era uma ferramenta que nos faltava porque no concelho todo não há mais ninguém que tenha reboques”, explica o proprietário.

Com a rent-a-car, foi a mesma coisa. Havia uma enorme procura e nenhuma oferta na Ribeira Grande, pelo que a Auto Menezes veio colmatar essa falha. “Era uma ideia formada há já algum tempo porque os turistas ou emigrantes chegavam cá e precisavam de um carro e nós não tínhamos licença para aluguer. Então criamos a rent-a-car, e há já bastante procura”.

Atualmente, a Auto Menezes conta com 12 viaturas para alugar, todas recentes, sendo as mais antigas de 2014, altura em que foi criado o rent-a-car. São todas Classe B, já que para Mário Rui Menezes “a Classe A não se justifica”. “O carro fica ligeiramente mais barato mas é pequenino, de quatro lugares. A diferença entre valores é mínima e não compensa”, afirma, acrescentando que os preços são acessíveis, combatendo mesmo os preços de mercado.

Além disso, a Auto Menezes dispensa a burocracia de outras agências de rent-a-car, nomeadamente, na questão da caução. “Basta enviar um email do dia em que vai chegar ou da hora do voo e ter carta de condução. A partir daí é a coisa mais fácil, combina-se a hora, geralmente nem pedimos caução, contudo há seguros contra todos os riscos ou contra terceiros. Ou seja, facilitamos e até entregamos o carro em qualquer parte da ilha sem qualquer custo adicional, num raio de 50 km. A partir daí há alguns custos, mas é raro”, explica.

Com o aumento do turismo, Mário Rui Menezes admite que “provavelmente, para o verão” terá de comprar mais duas viaturas “porque o número de reservas vai fazer, forçosamente aumentar o número de carros disponíveis”.
“Para os meses de julho e agosto estamos já praticamente cheios. Há alguns dias em que temos vagas, depende muito. Claro que não podemos comparar o negócio com Ponta Delgada mas estamos cá há mais de 20 anos e é para continuar”, assegura o proprietário.

Além dos turistas, a Auto Menezes tem já também parcerias com empresas de turismo, como As Casas da Ribeira Grande e alguns hotéis, o que tem ajudado no negócio e com a previsão do “nascimento” mais de duas ou três unidades hoteleiras de médio porte na Ribeira Grande, Mário Rui Menezes acredita que será “ainda mais positivo para o negócio e poderá mesmo esbater as diferenças com Ponta Delgada”.

Já em relação às vendas, continuam a manter-se estáveis apesar do menor poder de compra. Contudo, a empresa tem boas linhas de crédito, trabalhando com todas, em especial a Cofidis que, além de ter boas taxas de juro e prazos alargados, tem um escritório na ilha, o que facilita ao comprador.

Mas se na sua fundação, em 1993, a Auto Menezes vendia carros novos, essa situação alterou-se nos últimos tempos. “Já tivemos a Hyundai que vendemos durante 12 anos, até 2013, mas desistimos dos carros novos e ficamos só com os usados. E temos preço para combater o mercado porque como temos o rent-a-car, compramos carros novos e depois alguns nem trabalham e ficam parados durante algum tempo. Então, passado um tempo, vendemos os carros com poucos quilómetros”, explica o proprietário.

Ao AUDIÊNCIA, Mário Rui Menezes garante que o facto de o seu negócio, e o próprio concelho da Ribeira Grande estarem em pleno crescimento, deve-se a uma interajuda entre todos, comerciantes e políticos. “Já tive duas ou três reuniões com o presidente da Câmara e saímos de acordo. Não tenho nada a pontar, pedimos espaços na via pública e pagamos uma taxa e nunca nos colocaram problemas. Pedimos também no posto de turismo para deixar lá a nossa publicidade e também concordaram”.

Para o futuro, o proprietário da Auto Menezes espera continuar a crescer a empresa mas tem também projetos para alargar horizontes. “Temos um projeto de alojamento local, com alguns apartamentos, em Ponta Delgada e a nossa ideia é tentar fazer o mesmo aqui. Talvez na zona norte, seis ou sete apartamentos. Estamos a tentar comprar uma quinta com 4 mil metros quadrados, e vamos adaptar o terreno a casas pequeninas”.

De facto, Mário Rui Menezes acredita no potencial da terra que o viu nascer e “gostava que os jovens apostassem nela, sem medos”. “Ponta Delgada é o centro da ilha, e algumas pessoas ainda têm a mentalidade de ir sempre a Ponta Delgada. Claro que tem mais comércio, mas na Ribeira Grande também temos e penso que consegue ser melhor. Se fizerem um estudo para comprar seja lá o que for, antes de ir a Ponta Delgada, vejam na Ribeira Grande. E aí vão ver que a Ribeira Grande tem tudo para oferecer em qualquer ramo”, afirma.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com