José Gabriel Silva, José Maria Sousa, e António Toledo Alves, ex-coordenadores da Delegação Regional da Associação Nacional de Freguesias (DRANAFRE) dos Açores, foram homenageados, no dia 20 de agosto, na sede da delegação. Jaime Rita, atual coordenador, admitiu a importância de homenagear, em vida, quem conquistou tanto pela associação que hoje conta com cerca de 87% das freguesias açorianas como membro. José Manuel Bolieiro, presidente do Governo Regional, também se focou no importante papel do poder local no todo que é a Democracia.

 

 

A Delegação Regional da Associação Nacional de Freguesias (DRANAFRE) dos Açores homenageou aos seus antigos coordenadores José Gabriel Silva, José Maria Sousa, e António Toledo Alves. A cerimónia teve lugar na sede da Delegação Regional da ANAFRE dos Açores e aconteceu no dia 20 de agosto.

Jaime Rita, atual coordenador da DRANAFRE classificou o momento como de “justo reconhecimento” para com aqueles que tinham construído o caminho da associação e mostrou-se ainda mais satisfeito por poder estar a homenagear José Gabriel Silva, José Maria Sousa, e António Toledo Alves, admitindo que “as coisas devem ser feitas em vida, enquanto as pessoas estão entre nós”. Com 23 anos de história, Jaime Rita ainda comentou que “há trabalho feito, trabalho a pensar no presente e a pensar no futuro. Não há futuro sem relembrar o passado”, apresentando assim mais um motivo pela qual é importante homenagear as pessoas, pois elas são o símbolo do passado, que construiu o presente, e que ajudará a construir o futuro da ANAFRE.

Os homenageados mostraram-se satisfeitos com o reconhecimento e contaram um pouco de como foi, há 23 anos atrás, a criação desta associação que hoje conta com cerca de 87% das freguesias das nove ilhas dos Açores como membros. Há 23 anos, começavam do 0, mas com a certeza de que importava unir e ajudar os autarcas locais. Também os homenageados não se esqueceram de continuar a enaltecer esse papel importante dos presidentes de junta, uma vez que são estes que se encontram mais perto dos fregueses e dos problemas. Aliás, um homenageado deixou bem claro que os eleitores não sabem qual é residência do presidente do Governo Regional, nem dos secretários, mas sabem, na maioria das vezes, onde vive o presidente de Junta.

Acabou por ser também lançado um desafio ao presidente do Governo Regional dos Açores, que marcou presença no evento: o desafio de conquistar os autos de transferência de competência, uma realidade no continente, para os Açores também.

José Manuel Bolieiro, presidente do Governo Regional dos Açores, enalteceu o papel fundamental do Poder Local para o funcionamento em pleno da Democracia salientando que “se a Democracia em Portugal deve a alguém um papel de proximidade e da relação entre o eleito e o eleitor, o crédito vai em primeiro lugar para os autarcas”. José Manuel Bolieiro ainda referiu que, no âmbito local, as cores partidárias são secundárias e é os anseios do povo que prevalecem acima de tudo.

No âmbito da missão estratégica do desenvolvimento do país pela descentralização, o chefe do Executivo açoriano considera a ideia “uma partilha de soluções e de meios para resolver problemas e criar oportunidades de futuro”.  No seu entender “a descentralização não é sinónimo de desresponsabilização associada à transmissão de recursos financeiros”, defendendo, por isso, “uma revisão da lei de finanças do poder local”, revisão essa que considera uma prioridade na agenda política nacional.

 

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com