A APPACDM-Gaia, a APPDA-Norte, a CERCI Gaia, o Projeto Sim, Somos Capazes em Canelas e o Centro de Inclusão Social em Avintes, são instituições de Solidariedade em Vila Nova de Gaia que trabalham com jovens portadores de deficiência. Nesta entrevista, vamos conhecer o seu notável trabalho para partilhar com os leitores do AUDIÊNCIA GP. Iniciamos esta partilha com o Projeto Sim, Somos Capazes.

 

 

 

Prof. Luís Baião. Como surgiu o convite para liderar o projeto Sim Somos Capazes?

 

O convite não surgiu para liderar, surgiu para criar. Em 2017 tínhamos três alunos que iriam acabar a escolaridade obrigatória e o pai de um deles, sabendo da minha experiência na Cercigaia, desafiou-me… Tinha acabado de ser convidado para a direção da escola e apresentei a ideia ao professor Artur Vieira, diretor do agrupamento que imediatamente nos abriu a porta e o coração. Não adianta abrir portas sem abrir o coração. É a primeira escola que conheço que se preocupou com aqueles que já não eram da sua tutela, o que faz com que a escola escute e seja realmente permeável às ideias da comunidade.

 

 

Quantos jovens, idades e de que freguesias de Gaia?

 

A pandemia veio atrapalhar os nossos objetivos, mas mesmo assim estamos a conseguir atingir os números a que nos propusemos perante os nossos financiadores, o Portugal Inovação Social e a CM de Gaia. Estamos a trabalhar com 20 jovens que pretendemos ter socialmente incluídos até ao final de 2022. É nosso objetivo que o SIM seja uma resposta local, mas por questões de número tivemos que abrir o leque para este número e hoje temos jovens de várias freguesias de gaia, embora a maioria seja de Canelas e alunos do agrupamento. É nosso objetivo replicar o projeto nessas freguesias para que hajam mais respostas locais com todas as vantagens que estas apresentam na proximidade com as famílias.

 

 

Fale-nos um pouco da iniciativa que abraça com carinho que é a Trilha de Canelas…

 

A Trilha de Interpretação da Natureza foi um projeto pioneiro criado por alguns professores e alunos nos anos 80 em Canelas e que se encontrava abandonado. O Trail do Santa Isabel e o professor João Paulo desafiaram-nos para juntarmos energias e reabilitar esta trilha. Para além de estarmos a reabilitar, estamos também a inovar com acessibilidades para pessoas com mobilidade reduzida, acessibilidade à informação para pessoas invisuais, surdas, entre outras. Uma vez mais pretendemos que o SIM seja uma afirmação no apoio à comunidade. Dentro em breve qualquer pessoa com mobilidade condicionada vai poder visitar a trilha com o nosso apoio de uma Cadeira Julietti que iremos proporcionar. Apesar de não termos jovens com mobilidade reduzida, estamos empenhados em que a Serra de Canelas seja o laboratório experimentalista para elevar as acessibilidades a outro nível. Tal como o Guilherme Simões, criador da cadeira, diz: “A gente pode tudo…a gente pode fazer tudo que a gente quer!”.

 

 

Dentro das muitas atividades do Projeto está a realizar com os seus alunos e vai alargar a outros meninos que é o circuito da Prevenção rodoviária…como está a correr?

 

Está a ser uma experiência muito interessante. Criamos um circuito que simula ruas com sinais de trânsito, onde os nossos alunos aprendem as regras para andar de bicicleta. Uma das melhores formas de aprender é ensinar e por isso estamos a criar desafios para as turmas que começam com um Quiz feito na metodologia do projeto +Power pelos nossos alunos e depois de aprenderem as regras básicas as turmas passam à prática circulando de bicicleta pelo circuito. Os nossos alunos estão dispersos pelo espaço sensibilizando e garantindo que as regras são assimiladas e cumpridas. Mais uma vez pretendemos ser um apoio à escola e à comunidade.

 

 

 

Vela, Surf, Ténis, Futebol, Pastelaria, jardinagem, natureza são algumas das atividades…como a Banda, ainda sem nome, como tem tempo para tudo?

 

Estas atividades não são todas orientadas por mim. Houve altura em que era o homem dos sete instrumentos, mas hoje temos recursos humanos que assumiram algumas delas. Mesmo assim continuo a dinamizar o surf com o apoio da professora do agrupamento Rosa Pereira como voluntária, e em parceria com o professor Manuel Rui Silva da escola Inês de Castro e o professor Mário Martins da escola Óscar Lopes. Também dinamizo a Banda Sem Nome (Ainda) que torna a poesia dos autores portugueses em músicas para serem apresentadas às turmas como apoio à disciplina de português, produzimos recursos educativos digitais com os nossos alunos para os seus professores apresentarem nas turmas, fazemos a animação da hora do conto, enfim temos um leque de atividades que promovemos para que os nossos alunos com medidas adicionais se distinguirem pela positiva e com isso fazerem aquisições de competências. Quanto ao tempo para tudo…. “A gente pode tudo”.

 

 

Recentemente, receberam a visita do João Couto, Vencedor do programa de SIC, Ídolos em 2015. Uma tarde vivida com muita emoção. Como viveu esse momento?

 

Foi extraordinário ver o João Couto com os nossos jovens num palco sem barreiras. Estou certo que também foi um concerto marcante para ele. Foi um momento muito interessante em que todos eramos um. Uma banda é isso: um sítio onde todos nos realizamos e trocamos ondas de energia positiva. O João pensava que vinha dar música, mas também levou música no coração. Cantamos as músicas do João, o João cantou as dele, nós cantamos as nossas e o João cantou as nossas connosco. Foi um momento único.

 

 

Disse aos seus alunos, esta frase”. Hoje, sinto muito orgulho em vós? Eles rodearam-no com muito carinho …

Todos os dias me orgulho deles. Passo o tempo a conter a lágrima que se quer soltar pelo orgulho que eles me proporcionam. Não tenho dúvidas que tenho o melhor emprego do mundo. Mas não sou só o professor sensível que as pessoas que estão a ler este artigo estão a imaginar. Também solto rugidos e praguejo, e resmungo, mas o fim acaba sempre da mesma maneira, com um grande orgulho.

 

O que ainda falta realizar? Qual é o seu maior sonho para o sim Somos Capazes?

Obviamente que o nosso grande objetivo é que o SIM consiga provar que é uma resposta mais eficaz e mais económica num apoio de proximidade e que por isso não só venha a ser financiado, mas que seja também replicado. Mas o meu maior sonho é continuar a divertir-me com os meus jovens, a realizar os seus sonhos e a criar impacto nas suas vidas, nas vidas das suas famílias e na comunidade.

 

Como tem sido o apoio da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal de Gaia?

São pessoas com quem podemos sempre contar e que sobretudo têm orgulho em ter um projeto assim na freguesia e no município. Conhecem-nos muito bem, sabem que temos o nosso orgulho, que não pedimos por comparação a outros, que não somos exagerados a pedir e que não pedimos nada que não faça sentido, por isso dizem-nos sempre SIM.

 

 

Sílvia Vieira, uma das fundadoras do projeto

 

Drª Silvia Vieira, como uma dos fundadoras deste projeto, como tem sido a sua vida dedicada ao sonho do projeto “Sim Somos Capazes”?

 

Ainda durante o meu curso de assistente social uma das nossas professoras, numa das dinâmicas de grupo, perguntava o que gostaríamos de fazer no futuro? à qual respondi, sem saber muito bem o quê? – Algo de notável!

O sim somos capazes, permitiu-me isso. Concretizar algo de notável para a nossa comunidade. O facto de estar inserido na freguesia de Canelas também tem um gosto especial, já que sou Canelense. Passei toda a minha infância e juventude em Canelas, frequentei a escola onde hoje se desenvolve o projeto, fiz amigos e tirei referências para toda a minha vida. É um orgulho, imenso poder contribuir positivamente para o desenvolvimento das pessoas e da nossa comunidade! É dedicação, mas também missão! Uma das vertentes do serviço social é contribuir para a mudança coletiva, promover o desenvolvimento e a coesão social, o empoderamento a liberdade, reforço da capacitação e da emancipação das pessoas. Considero que esses objetivos já foram concretizados com a dinâmica implementada no projeto. Os “Sonhos” …os nossos, os deles, são concretizados todos os dias, com o sucesso dos nossos jovens. Vê-los progredir e criar asas para voar é sem dúvida um reconhecimento que o nosso trabalho está no caminho certo.

 

 

Quantos jovens, idades e freguesias de Gaia?

Somos um projeto financiado pelo Portugal Inovação Social e neste momento cumprimos a meta estabelecida – implementação do programa com a metodologia do “Sim Somos Capazes” envolvendo 20 jovens com deficiência intelectual.  Os jovens inseridos têm idades compreendidas entre 17 e 24 anos e são de diferentes freguesias do município. Como não poderia deixar de ser, Canelas, mas também Canidelo, Mafamude, Sandim, Sermonde, Perosinho, Santa Marinha, Pedroso, Serzedo, Oliveira do Douro, Vilar do Paraíso, S. Félix da Marinha, Santa Marinha, Gulpilhares.

 

Qual é o vosso objetivo para os próximos anos?

O nosso projeto, constitui-se já como uma referência de inovação e boas práticas no trabalho com jovens com deficiência intelectual na potenciação das suas competências, geramos soluções e somos um recurso essencial para a nossa comunidade. Pretendemos ser uma resposta financiada de forma continuada por forma a tornar o nosso modelo consistente e permanente. Somos uma resposta atípica, uma resposta local de apoio á comunidade e partilhada com a comunidade, com maior benefício e menor custo. Propomo-nos fazer mais com menos, mas, igualmente, fazer melhor. O nosso segredo, se o temos, é a verdadeira cooperação e a partilha de meios, recursos e soluções com os outros. – O principal Objetivo: Replicação no Município de Gaia. Todas as freguesias, escolas e associações têm espaços que podem ser partilhados e onde se poderão replicar projetos idênticos – Franchising Social.

 

 

 

Fomos ao encontro de alguns testemunhos sobre o projeto

 

Arménio Costa, Presidente da Junta de Freguesia de Canelas

blank

“O Projeto Sim Somos Capazes é uma referência na Freguesia e no Concelho. Nasceu de uma pessoa que sonha, e que em Canelas encontrou outras pessoas que sonham. Este trabalho em rede entre as várias entidades envolvidas tem dado resultados excelentes. O apoio a estes jovens faz com que eles tenham um espaço onde ficar e ganhar valências que em casa não conseguiriam.

Como autarca e o projeto que mais me orgulha. Porque o presidente de junta e mais do que mandar tapar buracos.

Quando fui desafiado pelo Professor Luís Baião, a resposta foi imediata. E o resto e história.

O apoio da Camara Municipal e essencial para que o projeto continue cada vez mais solido e a conseguir a receber mais jovens cada vez mais capazes.

O Projeto Sim Somos Capazes e uma fábrica de sonhos, e eles são os melhores a sonhar”.

 

 

 

 

Marina Mendes, Vereadora da Ação Social da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia

blank

-O Sim Somos Capazes é uma Iniciativa de Inovação e Empreendedorismo Social (IIES), em que o Município de Vila Nova de Gaia se constitui como investidor social.

Esta iniciativa desenvolve a sua atividade na Freguesia de Canelas, pelo período de três anos civis (2020-2022), e destina-se a jovens com diversidade funcional com alguma capacidade especial ao nível das competências empreendedoras e/ou artísticas.

Estes jovens encontram no sistema educativo uma resposta até aos 18 anos de idade, sendo que posteriormente não há respostas formais para a sua manutenção além dos Centros de Atividades e Capacitação para a Inclusão (CACI). Na maioria dos casos, estes jovens com competências especiais e um certo grau de autonomia e sociabilidade detêm aspirações inovadoras mas não possuem ainda a maturidade suficiente para as alcançarem ou integrar o mercado de trabalho sem a adequada retaguarda.

Sim Somos Capazes constitui-se, então, como uma resposta ajustada e à medida das necessidades individuais de cada um dos seus participantes promovendo atividades direcionadas aos seus interesses e motivações. Atividades essas que, pelo seu cariz comunitário, lhes permitem promover a sua inclusão social e participação cívica, empoderando-os consideravelmente, através da potenciação das suas próprias competências.

A relevância desta iniciativa está bem patente na Comunidade que a rodeia, uma vez que a mesma se desenvolve numa lógica de total parceria com as entidades locais. O Sim Somos Capazes  está instalado no Edifício C3 – Centro Cultural de Canelas, um edifício do Agrupamento de Escolas de Canelas, em que também funciona a Academia Sénior da Sabedoria de Canelas e um espaço de formação do Instituto de Emprego e Formação Profissional. Por outro lado, a parceria com a Junta de Freguesia de Canelas tem permitido a estes jovens encetarem projetos na comunidade envolvente como é o caso da reabilitação da trilha de interpretação da natureza na Serra de Canelas.

Em relação ao Município de vila Nova de Gaia, como investidor social, acompanhamos com proximidade o desenvolvimento desta iniciativa, monitorizando as suas necessidades e promovendo a sua disseminação por todo o território do concelho. Assim, reconhecemos a importância desta nova visão sobre as oportunidades promovidas para jovens com diversidade funcional e valorizamos a intervenção desenvolvida e os seus resultados. Acreditamos profundamente na equidade das oportunidades para todos os jovens que perseguem os seus sonhos e tudo faremos para que sejam capazes de os alcançar. Juntos, Sim Somos Capazes!

 

 

 

Elísio Pinto, Vereador da Juventude da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia

blank

“De uma forma inclusiva e agregadora. Não deixando ninguém para trás, sempre com a esfera da solidariedade presente em todos os momentos. O projeto “Sim Somos Capazes” congrega uma amálgama de valores positivos e altruístas, que se estendem a todo o território gaiense e não só. Na realidade, o projeto “Sim Somos Capazes” é, hoje em dia, uma marca nacional. Um motivo de orgulho.

Em Gaia, abraçamos todas as juventudes de uma forma singular e única. Sabemos da multidimensão que a palavra juventude congrega e das diferentes e pertinentes questões que surgem diariamente. Por isso, as melhores respostas são aquelas que são também dirigidas aos diferentes públicos. Em Gaia, felizmente, possuímos uma riqueza incalculável: um concelho heterogéneo, multidisciplinar, com um universo amplo que nos oferece desafios permanentes e entusiasmantes. E desafios significam responsabilidade, para a qual estamos devidamente preparados.

Depois, existe também um núcleo associativo que, de forma constante, dinamiza atividades que beneficiam os diferentes públicos e, no caso, os diferentes jovens e as diferentes juventudes. A esse núcleo devemos um profundo sentimento de gratidão e de reconhecimento pois é esta dinâmica que faz o concelho seguir em frente com uma determinação inabalável.

Por conseguinte, o projeto “Sim Somos Capazes” representa um notável exemplo de congregação de esforços em prol da inclusão social e da dinamização de atividades para os cidadãos portadores de deficiência. Dizer “Sim Somos Capazes” significa atribuir à sociedade um profundo sinal de vitalidade e de positividade, assente na premissa de que todos devemos possuir ferramentas e instrumentos que nos concedam um igual acesso às oportunidades.

Dizer “Sim Somos Capazes” representa, também, um efeito-réplica que hoje em dia é uma realidade. A nível concelhio e nacional, o projeto “Sim Somos Capazes” é uma referência de conteúdo e de inspiração, que nos leva a superiores patamares de exigência com a consciência de que nada faz sentido se não abrangermos tudo e todos.

Com todo o entusiasmo, saúdo o projeto “Sim Somos Capazes” com a certeza de que o seu exemplo perdurará. A todos os jovens que dele fazem parte, bem como a todos que dinamizam diariamente este projeto, o compromisso e o empenho do Município.

Uma palavra de admiração ao grande mentor Prof. Luís Baião, pela forma intensa e dedicada com que constrói diariamente o projeto “Sim Somos Capazes”.

Contem connosco em todos os momentos da vossa história.

Juntos, continuaremos a fazer História!”