A Águas de Gaia recebeu, no passado dia 11 de abril, Filipe Nascimento, presidente do Governo Regional do Príncipe, no âmbito de uma visita, que reforçou a cooperação, através da promoção de formação e estágios a quadros profissionais técnicos, que já operam no setor da água. Esta parceria estendeu-se, ainda, ao setor dos resíduos sólidos urbanos, no qual a empresa municipal apoiará com a elaboração de um projeto, para a estratégia de tratamento e valorização, nesta região.

 

 

 

No seguimento da visita de Filipe Nascimento, presidente do Governo Regional do Príncipe, à Águas de Gaia, que decorreu no passado dia 11 de abril, a empresa municipal vai apoiar a região, através da promoção de formação estágios a quadros profissionais técnicos no setor da água, assim como da elaboração de um projeto, tendo em vista a estratégia de tratamento e valorização dos resíduos sólidos urbanos do Príncipe.

“Durante esta reunião de trabalho, foram identificadas duas áreas nas quais o presidente da Ilha do Príncipe gostaria de obter apoio, no sentido do desenvolvimento da sua região e do país. Isto tem a ver com a componente de formação dos profissionais do setor da água, no caso concreto da região do Príncipe, no qual nós oferecemos a possibilidade de poderem realizar cursos, na nossa Academia H2O. Portanto, nós oferecemos os serviços, para que esses profissionais possam ter formação connosco, com novas técnicas, com o know-how que nós, hoje em dia, temos, num contexto muito prático, ou seja, dando a oportunidade de estagiarem connosco e com os nossos profissionais e assistirem à nossa atividade no terreno.  A outra necessidade identificada foi na área dos resíduos sólidos urbanos, onde o Governo pretende realizar um plano estratégico, para resolver um problema que reconheceu”, explicou Miguel Lemos, presidente do Conselho de Administração da empresa municipal, em entrevista exclusiva ao AUDIÊNCIA.

Ressaltando que a Academia H20 surgiu com o propósito de alimentar a formação interna, mas, também, externa, muito direcionada para os Países de Língua Oficial Portuguesa, o responsável pela Águas de Gaia sublinhou, ainda, que “este será o primeiro curso direcionado a profissionais de outros países, neste caso, da Ilha do Príncipe”.

Miguel Lemos aproveitou, ainda, a ocasião para enaltecer que “a notícia de que íamos colaborar com a Ilha do Príncipe foi, também, tema de uma reunião de Filipe Nascimento com o nosso ministro do Ambiente, Duarte Cordeiro, no qual, segundo me foi transmitido pelo presidente da Ilha do Príncipe, o próprio ministro ficou muito agradado com este projeto. Portanto, a ideia será criarmos, aqui, um Consórcio de Cooperação, onde a Águas de Gaia estará incluída, naturalmente, de forma a que outras entidades possam, também, envolver-se, de modo a que, realmente, o plano possa ser, ainda, mais musculado”.