Nas modalidades desportivas individuais, por uma pancada se ganha e por uma pancada (ou um ponto) se perde. Foi o que sucedeu recentemente com a golfista amadora do nonagenário Golfe de Miramar, Luciana Reis, que por uma pancada se viu privada de comemorar a obtenção do segundo título consecutivo de Campeã Absoluta do Norte, cujo torneio, sob a égide da AGNP (Associação de Golfe do Norte de Portugal), e integrado no calendário regular da World Amateur Golf Ranking, se desenrolou durante três dias, nos relvados da instituição mais antiga de Portugal, o Centenário Oporto Golf Club (par 71), que em 1990 comemorou um século de existência. Posicionada no 18º buraco da terceira e última volta da competição, a jogadora de Miramar estava no “green” a jogar para “par” e reunindo, por isso, todas as condições para revalidar o titulo, bastando-lhe apenas a concretização do tal “putt” decisivo. Porém, talvez devido ao excesso de nervosismo, Luciana Reis deixou “escancarada” a porta do título precisamente para a jogadora que o perseguia e que jogava a seguir, ou seja, Diana Pacheco (Golfe de Paredes), perante o desacerto da principal opositora, não vacilou na execução do “putt” final, para se sagrar Campeã.

O melhor resultado do torneio pertenceu à jogadora convidada da Quinta do Perú (Azeitão), Inês Melchior, que cumpriu os 54 buracos regulamentares com ao agregado de 240 pancadas (27 acima do par), enquanto Diana Pacheco foi segunda, com mais 17 pancadas que a golfista da Quinta do Perú.

Anfitrião Ricardo Soares

é o campeão masculino

Entretanto, na vertente masculina, o título ficou em “casa”, com a vitória do anfitrião Ricardo Soares, que cumpriu as três voltas regulamentares com o agregado de 216 pancadas (4 acima), à frente de Guilherme Oliva (Golfe de Belas, com 216, e de Teixeira da Costa (Aroeira), com 224, e do também espinhense João Maria Pontes (229), que se sagrou vice-campeão, pelo facto do titulo em disputa ser reservado, exclusivamente, a jogadores inscritos na associação nortenha. De referir que um dos participantes mais mediáticos do torneio foi Sebastião Soares, por via da sua “tenra” idade, 10 anos apenas. Citando o provérbio popular, “de pequenino se torce o pepino”, Sebastião está a começar a conhecer os ”meandros” de uma modalidade salutar que se pratica ao ar livre, por milhões de pessoas em todo o mundo.

Megre Lousada e

Carolina Ribeiro

dominaram em “Nett”

Na modalidade “Nett” (com bonificação), os “louros” vão para Rodrigo Megre Lousada, do Citynorte (Senhora da Hora) e para a miramarense Carolina Moutinho Ribeiro,que se sagraram campeões, tendo como vice-campeões, respectivamente, Miguel Dinis Ferreira e Eva Silva, ambos jogadores do clube espinhense.

Durante a cerimónia de entrega dos troféus respectivos, os responsáveis da entidade organizadora fizeram questão de salientar que:

«Mesmo com os “greens” em fase de recuperação, limitação extensiva a todos os participantes, os dirigentes da AGNP queremos enaltecer o empenho e o brio de todos os jovens golfistas envolvidos, que dignificaram a modalidade, e destacar também a hospitalidade com que os dirigentes do Oporto nos receberam».

Duplo triunfo de Miramar

em Sub-18 e Sub-14

No escalões de formação, a escola orientada por Sérgio Ribeiro continua a “lapidar” novos “cracks” e a colecionar sucessos, tendo-se imposto claramente nos dois torneios de formação, organizados pela AGNP e que decorreram no Golfe Vale Pisão (Água Longa, Santo Tirso). No escalão de Sub-18, Miramar esteve representado por duas equipas. Uma Equipa A constituída por João Iglésias, Diogo Rocha, Tomás Afonso, Luciana Reis e Duarte Gonçalves, que se impuseram com um agregado final de (+4), seguidos dos “BB” do próprio clube, pelo qual alinharam: Miguel Silveira, Bernardo Pinheiro, Miguel Pinheiro, Tomás Lopes e Gonçalo Anjos, que terminaram com um agregado final de +16 . Já na terceira posição, ficou o Oporto, que terminou com um agregado final de +20”, os espinhenses utilizaram Pedro Machado, Francisca Rocha, Alberto Costa Marques, Gabriel Sardo e Diogo Machado.

Em relação ao Torneio de Sub-14, a supremacia de Miramar foi ainda mais evidente. O conjunto miramarense esteve representado por Luís António Silva, Bernardo Costa, João Carvalho, Henrique Costa e João Alvim, tendo terminado a sua prestação com o agregado de +50, enquanto o Citynorte, pelo qual alinharam António Pedro Frade, Pedro Aires, Francisco Costa Mendes, Simão Oliveira em Gonçalo Maia, classificou-se a seguir, com uma diferença bastante significativa – +104”.