A professora Graça Castanho, docente da Universidade dos Açores e antiga diretora regional das Comunidades, foi congratulada com o prémio internacional “The Top 25 Outstanding Women Listeners in the World 2021”, do Global Listening Centre, entre outras personalidades como a chanceler alemã Angela Merkel, a ex-presidente do Brasil Dilma Rousseff, a primeira-dama dos Estados Unidos da Améria (EUA) Jill Biden e a presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen.

 

 

 

Graça Castanho, professora da Universidade dos Açores, foi homenageada com o prémio internacional, “The Top 25 Outstanding Women Listeners in the World 2021”, do Global Listening Centre, a par de outras 24 mulheres, com trabalho reconhecido a nível internacional e que, com a sua ação, têm contribuído para um mundo melhor, nas diversas áreas como a educação, investigação, saúde, ativismo, jornalismo, direito, defesa do meio ambiente, etc.

Detentora de vasto currículo académico em Metodologia do Ensino da Literatura Portuguesa e do Português como Língua Materna, 2ª Língua e Língua Estrangeira, bem como na área do Património Oral, Estudos do Género e Multiculturalismo, a galardoada possui um pós-doutoramento, realizado na Harvard University, com uma investigação sobre o ensino do Português em Moçambique, doutoramento na Universidade do Minho com uma tese sobre o Ensino da Leitura através do Currículo, mestrado na Lesley University, tendo apresentado o 1º trabalho de investigação realizado nas Escolas Oficiais Portuguesas dos EUA, e licenciatura em Línguas Modernas Português-Inglês na Universidade dos Açores.

Para além da docência exercida na Universidade dos Açores desde 1995, Graça Castanho conta com uma carreira profissional pautada por experiências ricas e diversificadas e foi, inclusive, na Embaixada de Portugal em Washington DC, Conselheira para o Ensino Português nos EUA e Bermuda, primeira coordenadora do Plano Nacional de Leitura, a convite do então ministro da Educação, David Justino, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Ponta Delgada, cofundadora e presidente do Instituto de Educação e Ensino.

Foi o forte compromisso com os princípios de cidadania e multiculturalidade, direitos das mulheres, direito à educação, defesa intransigente das comunidades açorianas espalhadas pelo mundo e trabalho que desenvolve nas áreas da paz, democracia e justiça social, que levaram a professora a ser a única mulher portuguesa a reconhecida, este ano, pelo Global Listening Centre, a par de outras personalidades como a chanceler alemã Angela Merkel, ex-presidente do Brasil Dilma Rousseff, primeira-dama dos Estados Unidos da Améria (EUA) Jill Biden e presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen.