A Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado (APEF) elegeu José Presa como presidente da direção desta instituição para o biénio 2021-2023, num ato eleitoral, que ocorreu durante o 24º Congresso da APEF/Congresso Português de Hepatologia 2021.

 

 

José Presa foi eleito presidente da Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado decorreu durante o 24º Congresso da APEF/Congresso Português de Hepatologia 2021 e revelou que pretende reforçar o posicionamento institucional da APEF e revitalizar a hepatologia a nível nacional, mantendo a cooperação com as associações congéneres. A renovação geracional, a promoção da produção científica nacional na área das doenças hepáticas e a formação de interlocutores privilegiados para os temas do fígado, continuarão a ser, segundo o dirigente da instituição, uma prioridade.

A nova direção é também constituída pelos médicos Arsénio Santos (vice-presidente), Susana Lopes (secretária-geral), Sofia Carvalhana (tesoureira), Alexandra Rosu (vogal), Luís Maia (vogal) e Sónia Sousa Fernandes (vogal). A Assembleia-Geral é composta pelos médicos Luís Jasmis (presidente), Dário Gomes (vice-presidente) e Mariana Cardoso (vogal). O Conselho Fiscal é formado por Adélia Simão (presidente), Ângela Rodrigues (secretária) e Catarina Martins (vogal).

“Encaro esta eleição com grande orgulho, mas, ao mesmo tempo, com uma enorme responsabilidade, pois, nos próximos dois anos, um dos grandes projetos que vamos implementar será o da Hepatologia em Rede. Esta terá três vertentes complementares: a convergência na APEF do conhecimento sobre o que cada centro nacional em hepatologia faz; a centralização dos contactos de centros de referência no estrangeiro, de modo a que os nossos associados em formação especifica possam colher na APEF toda a informação fidedigna antes de efetuarem as suas escolhas; e transformar a APEF num hub científico”, referiu José Presa.

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com