O jovem golfista Hugo Camelo Ferreira, que encetou os primeiros passos no Golfe de Paredes, e actualmente ligado ao nonagenário Clube de Golfe de Miramar, acaba de conquistar os seus primeiros títulos internos, ao vencer de forma convincente, as duas finais em que esteve envolvido, Homens e Juniores, uma vez que ainda está enquadrado neste ultimo escalão etário. Importa salientar que os titulos aqui referidos respeitam ao ano de 2021.

    Relativamente ao escalão principal, o jovem golfista alcançou o seu primeiro galardão após ter derrotado na final um jogador que já tinha conquistado idêntico troféu. Trata-se de Jorge Abreu, que desta feita, baqueou na final em 36 buracos, perdendo por 3/2. Isto significa que, uma vez chegados ao buraco 34, ou seja, a dois do fim de percurso, que Hugo Ferreira também superou, quando faltavam apenas dois buracos para o final, já estava encontrado o novo campeão, por usufruir de uma vantagem superior ao que faltava cumprir. Para chegar à condição de finalista, o agora campeão e sucessor de Pedro Lencart da Silva, ausente desta disputa, por ter enveredado pelo profissionalismo derrotou, entre outros, João Maria Pontes por expressivos 6/5, já depois de ter ganho o “match” inicial por 4/3. Por sua vez, Jorge Abreu começou por superar Afonso Costa Rodrigues, por 3/1 e prosseguiu na prova com um triunfo sobre Luís Silva, sem oposição.

    Mas, embora tenha sido afastado do objectivo de recuperar o estatuto de campeão de mais sonante do clube, Jorge Abreu não saiu da pugna de “mãos” a abanar, se tivermos em conta que acabou por conquistar o título de Seniores, que pertenceu ao credenciado Manuel au-Yong Oliveira, “rei e senhor” das duas últimas edições e que desta vez baqueou logo ao segundo “match”, cedendo no desempate do buraco “19”, por aquele que viria a conquistar o “vice” – Ricardo Cabral. Assim sendo, Jorge Abreu é agora o novo Campeão Sénior, após ter derrotado copiosamente o mesmo Ricardo Cabral, por concludente 7/6. Um diferença significativa, que terminou seis buracos antes do previsto, uma vez que atingido o 30º buraco, o “score” já lhe conferia credenciais para festejar. Antes de concluir o “match” da final, Abreu ainda teve tempo para submeter Pedro Lobo (3/1) e Luís Themudo, que deu bastante luta, cedendo apenas no último buraco (1up).

Inês Lousan sucede a

  a Ana Costa Rodrigues

    Entretanto, na categoria Feminina, cujo título pertencia a Ana Costa Rodrigues, impedida de o defender por imperativo de exigências maiores, também tem uma nova titular. Trata-se de Inês Coubelles Lousan, que ergueu o troféu com uma vitória de 5/3 sobre Benedita Mendes Ribeiro, vice-campeã pelo segundo ano consecutivo e um das jogadoras mais tituladas do clube, a par da veterana Lili Oliveira. Na final deste ano, que se arrastou no tempo por via dos impedimentos Covid, Inês Lousan triunfou confortavelmente, com dois buracos de vantagem. Porém, em termos da presença feminina na modalidade do clube, o Golfe de Miramar esta a distanciar-se dos tempos áureos e seria importante o aparecimento de novas jogadoras, de forma a salvaguardar os pergaminhos desta instituição quase centenária, que tem no seu palmarés diversos titulos nacionais.

    Entretanto, para além dos escalões já decididos, falta apenas disputar a final de “Midi-amateurs” (maiores de 35 anos), cuja categoria tem sido dominada por Manuel Au Young Oliveira nas últimas edições. O campeão em título e finalista apurado, já deixou pelo caminho Rodrigo Nunes e Jorge Abreu, tendo já assegurada presença na final, na qual terá que medir forças com Ricardo Cabral, que chegou à condição de semi-finalista, após ter superado a oposição tangencial de Luis Themudo (1up), seguindo para a final após o triunfo obtido sobre Eduardo Marta da Cruz (3/2). Esta final também será disputada em duas voltas de 18 buracos.