O Auditório Municipal de Montalegre foi o palco da tomada de posse dos novos órgãos autárquicos para o quadriénio 2021-2025. A cerimónia decorreu no passado dia 15 de outubro, após a renovação do voto de confiança da população no Partido Socialista (PS), e culminou com o juramento de honra de Orlando Alves que iniciou, assim, aquele que será o seu terceiro e último mandato à frente dos destinos do concelho de Montalegre.

 

 

A cerimónia de tomada de posse dos titulares dos órgãos autárquicos do município de Montalegre, para o quadriénio 2021-2025, aconteceu no passado dia 15 de outubro, no Auditório Municipal de Montalegre. O espaço estava repleto de convidados e amigos que exaltaram Orlando Alves, após o seu juramento de honra, para aquele que será o seu último mandato, à frente dos destinos de Montalegre. Assim, ao reeleito presidente da Câmara Municipal, pelo Partido Socialista (PS), juntou-se um executivo composto por caras conhecidas por todos os barrosões. David Teixeira foi reeleito vice-presidente da autarquia e Fátima Fernandes assume funções de vereação.

Findos os momentos formais, chegou a ocasião das intervenções, que foi inaugurada por Orlando Alves, reeleito presidente da Câmara Municipal de Montalegre, que se emocionou no final, não poupou os adversários políticos a críticas, durante o seu discurso. “Comovo-me com os apoios que tenho recebido ao longo de todo este tempo. Tenho recebido muito carinho dos barrosões, principalmente da gente de Salto que nunca me abandona e que tem sido determinante nas conquistas que temos feito na Câmara Municipal de Montalegre. Hoje há os amigos, os «meios amigos» e há os falsos amigos. A gente sabe distinguir. O discurso serve para dizer aos falsos amigos que é possível fazer política com honorabilidade, com critério e razoabilidade. Acima de tudo, fazer política no respeito da pessoa humana. Cada vez estou mais satisfeito por não ser militar desse exército que são as redes sociais. Cada vez tenho mais orgulho e vaidade em mim. Quem quiser entrar na política, tem que saber honrá-la, promovê-la e construir espaços de sedução para atrair os mais novos e não cavalgar a onda onde todos são corruptos. O meu principal objetivo é desenvolver políticas e programas em concertação com a população. As linhas mestras do meu programa só terão sucesso se souber trabalhá-las em harmonia com a população, com os agentes económicos, com os empresários, com a escola. Barroso somos todos e todos fazemos falta”, enalteceu o edil reeleito.

Também David Teixeira, reeleito vice-presidente da Câmara Municipal de Montalegre, fez questão de intervir, salientando que “em democracia este é o resultado que interessa. Depois de todas as lutas e todas as estratégias, o povo decidiu e decidiu pelo melhor. Estou convencido que o povo se sente bem representado por esta equipa. É o primeiro passo para mais quatro anos. Os «machados» têm que ser enterrados e trabalhar em conjunto para vencer os desafios que vão surgir”.

Por fim, a vereadora Fátima Fernandes frisou que “é um dia muito importante. O dia onde se efetiva este nosso sistema democrático e a vontade dos barrosões. Nesse sentido, vamos fazer o melhor pelo nosso território. É o início de assumir responsabilidades maiores em termos de conjunto, esquecendo a parte partidária. Temos que assumir um partido comum que é o Barroso, é o município de Montalegre. Temos que lutar todos para o mesmo fim que é a melhoria das condições de vida dos nossos munícipes, tendo mais oportunidade de negócio e de emprego”.