O Salão Nobre da Junta de Freguesia de Matosinhos foi o palco da tomada de posse dos novos órgãos autárquicos da União de Freguesias de Matosinhos e Leça da Palmeira, para o quadriénio 2021-2025. No contexto do sufrágio ocorrido no passado dia 26 de setembro, o Partido Socialista viu renovada a confiança dos matosinhenses e leceiros, que serão, agora, liderados por Paulo Carvalho, que sucede ao socialista Pedro Sousa, que geriu os destinos desta autarquia durante os últimos oito anos.

 

 

Paulo Carvalho, eleito pelo Partido Socialista (PS), iniciou, assim, as suas funções como presidente da União de Freguesias de Matosinhos e Leça da Palmeira, para o quadriénio 2021-2025. O restante executivo da autarquia, que foi aprovado com 11 votos a favor, cinco contra e cinco brancos, é composto pelos vogais Manuela Borges Galante, Paulo Rocha Ferreira, Ana Aguiar Pinhal, Fernando Monteiro Oliveira, Tatiana Henriques Matos e Paulo Barros Catarino.

Na cerimónia de instalação dos novos órgãos autárquicos foi, ainda, eleita a Mesa da Assembleia da União de Freguesias. Neste âmbito, Manuel Tavares de Sousa, foi eleito presidente, pelo PS, e vai suceder a Noémia Pires, enquanto Ivan Teixeira de Araújo foi nomeado 1º Secretário e Susana Silva Miranda, 2ª Secretária. Esta foi a única lista apresentada e foi aprovada com dez votos a favor, sete contra e quatro brancos.

Num discurso repleto de emoção, Noémia Pires, presidente cessante da Mesa da Assembleia da União de Freguesias afirmou, em jeito de despedida, que “termino, hoje, as minhas funções de presidente da Assembleia da União de Freguesias de Matosinhos e Leça da Palmeira”, dirigindo-se posteriormente a Paulo Carvalho, presidente eleito da União de Freguesias, destacando que é “um bom filho da terra, um bom filho da família a que pertence, honrada, trabalhadora, digna, um bom chefe de família e exemplo na profissão que veio desempenhando há longos anos, um homem em quem impera a humildade, porque não se sente superior a ninguém” e ressaltando que “este é o voltar, é o retornar, é o regresso do filho pródigo à sua casa”.

Concluídos os momentos formais, chegou a ocasião das intervenções, que foi inaugurada por Manuel Tavares de Sousa, eleito presidente da Mesa da Assembleia da União de Freguesias de Matosinhos e Leça da Palmeira, que sublinhou, perante os presentes, que “é nossa responsabilidade contribuir para que haja soluções muito importantes para o desenvolvimento da nossa União de Freguesias, para o bem-estar das nossas pessoas e dos nossos concidadãos”.

Seguidamente, as intervenções prosseguiram com João Magalhães, representante da coligação PPD/PSD.CDS-PP, que referiu que “estamos presentes e próximos para trabalhar pelas pessoas”, asseverando que “da nossa parte terão sempre uma oposição construtiva, mas, ao mesmo tempo, sempre atenta e fiscalizadora, em prol da União de Freguesias e da sua comunidade”.

Por outro lado, Fernando Machado, representante do Movimento SIM, garantiu que “tenho a certeza de que todos estamos aqui com o mesmo motivo e a mesma ambição, que é servir Matosinhos e Leça da Palmeira”.

Também o representante da Iniciativa Liberal (IL), Carlos Pinto, dirigiu a palavra a todos os presentes, afirmando que “acreditamos que este vai ser um projeto de convergência e não de divergência”, “sempre em prol das nossas cidades, nunca abdicando dos nossos ideais e, acima de tudo, nunca esquecendo que estamos ao serviço dos cidadãos que nos elegeram”.

Já Ricardo Santos, representante da Coligação Democrática Unitária (CDU), usufruiu do momento para demonstrar a disponibilidade do partido “para aquilo que for realizado, dentro daquilo que seja a nossa visão, para o bem das populações de Matosinhos e Leça da Palmeira”.

Por seu turno, António Marinho, representante do Bloco de Esquerda (BE), reforçou que anseia que “efetivamente, seja um trabalho árduo, porque há muita coisa por fazer, pelos matosinhenses e leceiros”, assegurando a relevância da “apresentação de propostas, para melhorar a vida de quem vive nas nossas freguesias” e assumindo o empenho e a determinação do partido “para a desagregação das freguesias de Matosinhos e Leça da Palmeira”.

Os discursos prosseguiram com a intervenção do representante do Chega, António da Silva Serrano, que afiançou que “estarei disposto a trabalhar construtivamente por uma melhoria da vida dos nossos concidadãos e em prol do bem-estar comum. Serei, portanto, um colaborador exigente e vigilante, para prevenir predicações futuras”, frisando que “a nossa cidade tem de ser, também, uma cidade que propicie vida em comunidade”.

Neste seguimento, Paulo Carvalho, presidente eleito da União de Freguesias de Matosinhos e Leça da Palmeira, foi a última personalidade a pisar o palco e a endereçar algumas palavras a todos os presentes, aproveitando a ocasião para prestar uma homenagem a Noémia Pires, presidente cessante da Mesa da Assembleia da União de Freguesias, declarando que “mostrou que a dignidade, a retidão e o respeito são valores que devemos exigir no desempenho das funções que nos são confiadas” e enaltecendo que “todas as homenagens são poucas para aquilo que fez por nós” e que “a sua excelência é um marco na nossa história”.

Entendendo que “devemos todos trabalhar para o bem maior”, o autarca salientou a importância da união e colaboração entre as diversas forças políticas, tendo em vista a resolução dos problemas da comunidade, assim como “o desenvolvimento social e a melhoria das condições de vida desta terra de horizonte e mar”.

Evidenciando que “devemos estar unidos, sem nunca perdermos a nossa identidade. Unidos para trabalharmos de uma forma entusiástica e voluntariosa. Unidos para continuarmos a fazer crescer estas duas freguesias, presentes nesta união, de uma forma ecológica, sustentável, solidária, mas também progressista e empreendedora. Vamos colocar em ação uma política de proximidade, numa dinâmica local, comunitária e mobilizadora”, Paulo Carvalho enfatizou que “o interesse e o foco devem estar neste território e nas pessoas que nele residem”.

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com