No seguimento da vitória histórica assegurada nas passadas eleições autárquicas, Paulo Gomes, candidato pela coligação PSD/CDS-PP/PPM – Pela nossa Terra, derrubou mais de trinta anos de socialismo e foi, assim, eleito presidente da Junta de Freguesia de São Mateus da Calheta. Os novos órgãos autárquicos para o quadriénio 2021-2025 tomaram posse, no passado dia 13 de outubro, no edifício da autarquia, em Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira.

 

 

Paulo Gomes, eleito pela coligação PSD/CDS-PP/PPM – Pela nossa Terra, tomou posse, no passado dia 13 de outubro, como presidente da Junta de Freguesia de São Mateus da Calheta, para o quadriénio 2021-2025, enquanto o restante executivo da autarquia, composto pela secretária Séfora Costa e pelo tesoureiro António Medeiros, foi proposto sob a forma de lista, que foi aprovada por unanimidade.

Na cerimónia de instalação dos novos órgãos autárquicos foi, ainda, eleita a Mesa da Assembleia de Freguesia. Carlos Rosa foi, assim, nomeado presidente, pela coligação PSD/CDS-PP/PPM, ao passo que Luís Brasil e Telma Melo foram eleitos primeiro e segunda secretários, através de uma lista que foi proposta e aprovada, também, por unanimidade.

“Foi com orgulho que tomei posse como presidente da Junta de Freguesia de São Mateus. É sem dúvida uma enorme responsabilidade, visto que é a segunda Freguesia mais populosa da Ilha Terceira e a Freguesia mais populosa em termos rurais. Portanto, é uma Freguesia com um forte dinamismo económico, tem o porto de pescas com mais pescadores, mais descargas em lota e mais embarcações da Ilha Terceira e o segundo dos Açores. Além disso, é uma Freguesia que, também, tem agricultura, muitos restaurantes, portanto, em termos empresariais, também muito é forte”, afirmou Paulo Gomes em entrevista exclusiva ao AUDIÊNCIA, referindo que “São Mateus é a minha linda Freguesia”.

Ressaltando que é uma vitória história ganhar esta autarquia, pois há mais de 30 anos que era conquistada pelo Partido Socialista, o presidente da Junta de Freguesia, explicou que “em São Mateus o PS ganhou todas as eleições regionais. Em termos de Câmara Municipal e Assembleia Municipal, o PS só por uma vez não venceu, nos anos 90, e em termos de Junta de Freguesia, o PSD havia ganho em 1986 e, na altura, eram mandatos de três anos, por isso foi de 86 a 89 e, depois, a partir daí, foi sempre PS e, inclusivamente, houve vários atos eleitorais que eram autênticas goleadas”, acrescentando que “a minha história na política autárquica começou em 2009. Na altura, o PSD estava com muita dificuldade em arranjar um candidato e convidou-me. Eu era treinador de futebol e, para mim, foi uma experiência nova, mas, logo aí, eu consegui aumentar o número de eleitos na Assembleia, pois estava 7-2 e passamos para 6-3, contra o, então, presidente de Junta, que já ia com, pelo menos, 16 anos de governação. Mais tarde, esse mesmo presidente candidatou-se como vereador da Câmara Municipal e um membro do executivo dele concorreu e eu, aí, voltei a candidatar-me e passei para 5-4, com uma diferença de cerca de 160 votos. Entretanto, eu sempre estive envolvido no movimento associativo local e fui, inclusivamente, vice-presidente dos Marítimos de São Mateus, de 2013 a 2016. Em 2017, não me candidatei à Junta de Freguesia, fiz uma pausa. Depois, em 2018, venci as eleições da Associação de Futebol de Angra e, em 2020, fui eleito deputado. Portanto, também uma situação de prestígio, visto que, aqui, na Terceira já há 24 anos que o PSD não elegia quatro deputados. Em abril do corrente ano, tornei-me presidente da Comissão Política Concelhia de Angra do PSD e, a partir daí, decidi avançar à Junta de Freguesia. O meu adversário foi novamente o tal presidente que esteve 20 anos, que foi deputado e nos últimos 8 anos foi vereador da Câmara. Portanto, era um adversário muito forte, mas venci. É muito difícil ganhar as eleições ao PS e foram precisos 12 anos de muito trabalho. A questão de deputado é importante, mas ter sido presidente da Associação de Futebol também foi importante, assim como o facto de ter sido duas vezes candidato e ter contribuído, sempre, com ideias e soluções para a freguesia, tal como a minha proximidade com as pessoas, até porque sou funcionário da Lotaçor”.

Relativamente ao futuro da Freguesia de São Mateus da Calheta e das suas gentes, Paulo Gomes revelou que “temos pequenas situações que queremos resolver no imediato. Falo, por exemplo, na questão de, aqui, no centro da Freguesia não haver uma paragem da urbana. É uma coisa simples, mas que faz muita falta, porque as nossas crianças não têm um sítio onde se possam abrigar, e nunca foi resolvida. Também na entrada do porto, que é um local muito forte em termos turísticos, temos um conjunto de baldes do lixo mal-organizados, com mau cheiro e, também, é uma situação que eu quero resolver. Depois, quero virar-me para a parte social. Existem muitas pessoas com dificuldade em conseguir uma casa ou fazer melhoramentos nas suas casas e nós vamos colaborar com essas pessoas, para se candidatarem a apoios, para, efetivamente, poderem ter uma habitação condigna. Depois, em termos mais abrangentes e de mais investimentos, claramente que faremos tudo para que, no próximo verão, a nossa Zona Balnear do Negrito, nomeadamente a Piscina, possa ter uma bomba e estar cheia durante o dia todo, o que não acontece agora, e queremos, também, falar com a Câmara Municipal para requalificar toda aquela zona. Visto que a nossa Freguesia é virada para o mar, nós queremos melhorar os acessos, que são mais difíceis. Por outro lado, queremos, também, trabalhar junto das instituições, promover a cultura e o desporto, pois é inconcebível que, neste momento, a cultura e o desporto estejam, praticamente, sem atividade. Queremos apostar muito nos nossos jovens, dar-lhes voz e ajudá-los nos projetos, mas também os nossos idosos vão ter um apoio, vão ter um carinho da nossa parte, porque são pessoas que já deram muito pela Freguesia”.

No contexto de elevar a Freguesia a um novo patamar de desenvolvimento, o presidente da autarquia sublinhou, ainda, que “vamos mudar alguns procedimentos na Junta de Freguesia, nomeadamente, alargar o horário e o serviço que vamos prestar à população, no sentido da pessoa, portanto, o nosso objetivo é, cada vez mais, olhar pelas pessoas da Freguesia. Por outro lado, apesar de São Mateus ser uma Freguesia muito populosa, lindíssima, com um forte dinamismo empresarial, é uma Freguesia onde, infelizmente, não tem havido muito brio nas organizações, nomeadamente na Junta e está é mais outra situação que eu quero mudar, para que, daqui a quatro anos seja eu ou não candidato, ou seja eu ou não vencedor, possa haver uma tomada de posse com uma cerimónia, com intervenções, num espaço amplo, tal como a nossa Freguesia merece”.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com