O amador miramarense Pedro Lencart da Silva, campeão nacional absoluto em 2016 e 2018 e um dos melhores praticantes nacionais da actualidade, conquistou, de forma categórica, a Taça RS Yeatman, torneio de elevado nível competitivo, pontuável para o “ranking” federativo e um dos torneios mais prestigiados do nonagenário Golfe de Miramar, fundado no longínquo de 1932.

O “score” relativo com que concluiu a competição (8 abaixo do par, nas duas voltas), atesta bem o momento alto do jogador gaiense, que quase não teve opositores à altura. Com registos de 65 e 67, para um par de 70 pancadas (-5 e –3), Lencart da Silva, que também já foi campeão do clube, foi o melhor dos 78 concorrentes que responderam à chamada no “tee” de saída, tendo ficado à frente do seu companheiro de clube, Pedro Cruz Silva, vice-campeão nacional, que ficou a três pancadas do vencedor (-5), com os parciais de 68 e 69, total de 137, para um total agregado de 140. De salientar que, com esta vitória, Pedro Lencart da Silva ficou ainda mais confortável na liderança do “Ranking” Nacional BPI. Além disso, com esta vitória, Lencart da Silva arrecadou 300 pontos que lhe permitiram ultrapassar o seu companheiro de clube, Daniel Costa Rodrigues, na liderança do “Ranking” de Ouro do Circuito Cashback World e soma agora 1.095 pontos contra 1.080 do segundo, Daniel Rodrigues. 

O terceiro e último lugar do pódio foi para o ex-miramarense Diogo Mealha (representa agora o centenário Oporto), que terminou com o agregado de 141 (1 acima), com os parciais de “71 e 70”, seguido do referido Daniel Costa Rodrigues e do espinhense Afonso Girão, ambos com três acima do par (143) e com os parciais de 72+71 e 71+72, respectivamente. Curiosamente, a competir já depois do desconfinamento pandémico, Daniel Costa Rodrigues havia conquistado no percurso do centenário Oporto Golf Club (Espinho), a lendária Taça Kendall, uma das provas mais prestigiadas do calendário federativo.

                              “Frank Gordon” inaugura Campeonato do Clube 2020

Enquanto isso, já são conhecidas as grelhas competitivas do campeonato Interno do clube miramarense, reduzidas em 50% dos “matchs”, por dificuldades de ordem logística. Por isso, no caso do troféu principal, apenas os oito primeiros da Taça Frank Gordon tiveram assento no confronto directo buraco-a-buraco. Importa referir que os vencedores deste torneio que funciona como tacada inicial para apuramento dos campeões do Clube, foram o atrás citado Pedro Lencart da Silva, em “gross” (score real), com oito abaixo do par, com os parciais de 63 e 69 (132), seguido de Daniel Costa Rodrigues (-2) e os parciais de 67+71, enquanto na classificação bonificada, Armando Castro (“hdcp”. 13) impôs-se com um agregado de 130 pancadas (58+72), seguido de Martim Andresen Guedes, com 134 (69+65) e Luís Guimarães, com 136 (68+68). Saliente-se, entretanto, que do quadro masculino sairá, inevitavelmente, um novo campeão, uma vez que o ainda detentor do título, Eduardo Marta da Cruz, não figura entre os finalistas.

Partidas inaugurais

Quadro masculino – ¼ de final – Pedro Lencart-vs-Jorge Abreu; Ricardo Cabral-vs-João Iglésias; Afonso Costa Rodrigues-vs-Martim Guedes; Daniel Costa Rodrigues-vs-Armando Castro.

Quadro feminino – Ana Costa Rodrigues-vs-isenta; Carolina Monteiro-vs-Maria do Carmo Faria; Inês Lousan-vs-isenta; Benedita Mendes Ribeiro-vs-isenta. Entretanto, Ana Costa Rodrigues, campeã em título, Inês Lousan e a antiga hexacampeã, Benedita Mendes Ribeiro, ficaram apuradas para as meias finais por falta de opositora. Ambas as finais serão disputadas em “matchs” de 36 buracos.

Golfe da Quinta do Fojo procura novos campeões

Paralelamente, no vizinho percurso da Quinta do Fojo, dirigido por Filomena Rito, também está em curso a disputa dos novos campeões, ou seja, os sucessores de Carlos Alberto Gonçalves e Maria João Teixeira, por sinal as principais ausências da fase final de 2020, uma vez que nem sequer participaram no torneio de apuramento. Talvez esteja aqui mais uma chance para Carlos Pinto Dias, finalista masculino de 2019 e que fora precisamente o opositor de Carlos Alberto Gonçalves na final perdida. Tudo dependerá da inspiração de jogadores como Francisco Serrano, vencedor da qualificação, da inspiração do jovem Gabriel Sardo, segundo do apuramento, e do “credenciado” Paulo Castelo para quem o primeiro patamar do pódio já não é novidade no torneio masculino. Já na classe feminina, a ausência de Maria João Teixeira poderá abrir a porta da consagração à actual vice-campeã, Ana Luísa Cruz, finalista que foi segunda no torneio de qualificação, logo atrás da vencedora do mesmo apuramento, Isabel Barbosa, ultimamente bastante assídua nos torneios do Fojo e que, devido à falta de opositora, desde logo assegurou lugar no “match” seguinte.

Grelha” da fase “match-play”

Quadro masculino – Francisco Serrano-vs-Rogério Cardoso; Abílio Moreira-vs-Arménio Cordeiro; Carlos Dias-vsFrancisco Barroco; Vítor Mota-vs-Alfredo Fidalgo; João Couto Sousa-vs-Francisco Xavier; António Clemente-vs-Luís Mesquita Jr.; Jorge Ferreira-vs-Paulo Castelo; Pier Valenti-vs-Gabriel Sardo.

Quadro feminino – Isabel Barbosa-vs-Isenta; Sandra Barbosa-vs-Anne Marie Zénere; Manuela Leite-vs-Maria Miguel Pinho; Ana Luísa Cruz-vs-Isenta.

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com