A candidata à Câmara Municipal da Ribeira Grande, pela Coligação Democrática Unitária (CDU), Judite Barros da Costa, revelou, em entrevista ao AUDIÊNCIA que “é um orgulho poder dedicar-me e trabalhar pela e para a minha terra, as minhas gentes, o meu concelho”. A professora do ensino secundário considera que, nos últimos anos, “se perdeu muito tempo com questões superficiais, deixando as de maior profundidade para trás”. Neste âmbito, Judite Barros da Costa divulgou que as suas prioridades são a segurança, a educação, o apoio às pequenas e médias empresas e o apoio social aos idosos e aos jovens, “especialmente àqueles que mais precisam, com necessidades educativas especiais”.

 

 

Como surgiu o convite e porque decidiu candidatar-se ao cargo de presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande?

Eu sou a coordenadora da CDU, na Ribeira Grande. Nas últimas eleições autárquicas, candidatei-me à Assembleia Municipal e à Assembleia de Freguesia. A Coligação que eu represento, CDU, considerou que eu teria as condições para fazer um trabalho diferente, com empenho, dedicação e honestidade.

 

Quais são as principais motivações da sua candidatura?

Confesso que, por um lado, foi uma honra ter a confiança das forças partidárias que me apoiam, por outro lado, é um orgulho poder dedicar-me e trabalhar pela e para a minha terra, as minhas gentes, o meu concelho. Sou simplesmente uma cidadã, igual a todos os outros, a quem foi atribuída a difícil missão de liderar uma equipa, que quer dar tudo em defesa dos ribeiragrandenses. Assim o faremos, sempre com verdade, honestidade e frontalidade.

 

Como avalia o trabalho que o atual executivo tem realizado ao longo dos últimos oito anos?

Depois de oito anos, nota-se o desgaste e o cansaço das políticas implementadas. No primeiro mandato do executivo liderado pelo atual presidente da Câmara, notou-se uma preocupação muito grande com a parte das “festas”, da “alegria”, da “promoção da cidade do Surf”. Para nós, isso é importante. Mas, existem prioridades: consideramos que poderiam ter trabalhado mais em função do desenvolvimento da educação e da saúde, no concelho. Neste segundo mandato, marcado fortemente pela questão pandémica, consideramos que não houve firmeza na forma de enfrentar o problema, muito grave em algumas freguesias, e consideramos que houve muita precipitação em fazer coisas como a Ciclovia que, para nós, traz inúmeros problemas de segurança. Por falar em segurança, é notório o aumento da criminalidade, da delinquência e da insegurança, quer no meio urbano, quer no meio rural. Finalmente, para termos uma verdadeira “Capital do Surf”, temos de ter condições de segurança, apoio e higienização. Concluindo, acho que se perdeu muito tempo com questões superficiais, deixando as de maior profundidade para trás.

 

Como vê a evolução do concelho da Ribeira Grande nestes últimos anos? O que teria feito de diferente?

As nossas prioridades são outras: mais e maior segurança; mais e maior apoio aos mais idosos; mais e melhor educação/formação; mais e melhor saúde; mais e melhor economia sustentável; mais e melhor ambiente e, finalmente, mais e melhor cultura.

 

Se for eleita, o que anseia concretizar durante o seu primeiro mandato, em prol do desenvolvimento da população e do concelho?

Antes de tudo, desejo ouvir as pessoas, perceber os reais problemas; ver com o que conto e o que poderei fazer com o que tiver. A prioridade vai ser, certamente, a segurança, a educação, o apoio às pequenas e médias empresas e, depois, a última, mas não a menos importante: o apoio social aos idosos e aos jovens, especialmente àqueles que mais precisam, com necessidades educativas especiais. Perguntará e as “festas” e a “alegria”? Claro que manteremos todas as boas iniciativas culturais, desenvolvidas pelas anteriores autarquias, especialmente, aquelas que dizem respeito às nossas tradições, costumes e cultura. E não são poucas!

 

Em caso de vitória, pode mencionar alguns projetos que serão implementados nas áreas da educação, saúde, desporto, cultura, ação social e ambiente?

Não podendo responder com o nosso programa na totalidade, de forma muito breve, vou apontar alguns pontos de cada matéria que consideramos fulcrais. No que diz respeito à educação: implementar um Conselho Municipal de Educação; reforçar o apoio a todas as unidades orgânicas; instalação, na cidade da Ribeira Grande, de um “Instituto Politécnico”; criação de um passe Universitário, que facilite a mobilidade dos nossos jovens; criar um Centro de Apoio para crianças e jovens com dificuldades ou necessidades educativas especiais. Quanto à saúde, sem dúvida, a reabilitação urgente do Centro de Saúde da Ribeira Grande; a reabertura de serviços múltiplos como análises clínicas e pequenas cirurgias, tratamentos e rastreios e reforçar o Centro de Saúde com mais técnicos especializados. Quando pensamos no desporto, sem dúvida que sentimos a falta de um Estádio Municipal, com a possibilidade de desenvolver diversas modalidades desportivas e consideramos essencial dar mais apoio aos ginásios do concelho. A cultura é estratégica na nossa atuação. Apoiar ainda mais as nossas tradições e os nossos costumes e, ao mesmo tempo, trazer para a Ribeira Grande o que melhor se produz a nível das diversas artes. Gostaríamos de criar uma Casa do Escritor Ribeiragrandense. Saltando para o ambiente, há que realizar um estudo de impacto do turismo no concelho, apoiando as pequenas e médias empresas, promovendo um turismo de qualidade e sustentável; defender a nossa paisagem e a nossa importantíssima reserva natural, a nossa floresta endémica; higienização e manutenção dos espaços urbanos e dos espaços rurais que têm sido ignorados; criação de uma política de reciclagem municipal e providenciar o tratamento animal, melhorando as condições de vida, especialmente, a dos animais de rua. Terminamos na questão social, a mais importante de todas. Responder às situações de maior fragilidade social, combate à pobreza e à exclusão social é imperativo; pugnar contra o abandono e a solidão dos mais velhos e frágeis, criando um Centro de Apoio e Reintegração dos mais idosos na promoção das atividades do concelho; combater o desemprego e a precariedade laboral, a começar pelo quadro municipal e, entre muitas outras possibilidades, é fundamental a captação e estímulo à criação de empresas e de polos tecnológicos, que potenciem as atividades produtivas, naturais e turísticas do concelho.

 

Que equipamentos ou infraestruturas acredita que enriqueceriam e proporcionariam melhor qualidade de vida na Ribeira Grande?

Acreditamos que um saneamento básico estruturado e a criação de diversas ETAR são fundamentais para mudar, em muito, a Ribeira Grande e a projeção da mesma, quer a nível interno, quer a nível turístico. Também, consideramos fundamental melhorar a mobilidade urbana e a periférica. Achamos fundamental a captação e estímulo à criação de empresas e de polos tecnológicos, que potenciem as atividades produtivas, naturais e turísticas do concelho. Para o desenvolvimento económico e social da Ribeira Grande é fundamental um forte apoio e cooperação, com todo o tecido económico do concelho, especialmente, as pequenas e médias empresas. Pensamos que requalificar o Centro de Saúde e a ES da Ribeira Grande são uma emergência e, finalmente, a construção de um Estádio Municipal com várias valências para a prática desportiva.

 

Relativamente ao projeto autárquico que lidera para este concelho, pode falar-nos sobre a equipa que a está a acompanhar ao longo deste desafio?

A minha equipa é uma equipa pequena, constituída por pessoas dos mais variados estratos sociais, com as mais variadas formações, com idades que vão dos 20 aos 70 anos. Alguns são militantes do PCP, outros são militantes do PEV e também é possível encontrar independentes nas nossas listas. Todos têm em comum o desejo de trabalharem para as pessoas da Ribeira Grande; servirem as pessoas da Ribeira Grande e não se servirem de cargos. Qualquer uma destas pessoas tem uma vida para além da política. Todos acreditam no nosso projeto. Um projeto que não promete absolutamente nada, simplesmente apresenta força para ouvir, cuidar e trabalhar para as pessoas da Ribeira Grande.

 

Que mensagem gostaria de deixar à população?

Connosco, com a CDU, todos contam. Todas as pessoas são importantes e têm um papel fundamental no desenvolvimento do concelho. Os ribeiragrandenses serão os primeiros e nós seremos sempre os últimos. Estaremos à frente dos problemas e seremos os primeiros a enfrentar as responsabilidades. Acreditamos que, com honestidade, diálogo, muito trabalho e muita colaboração, é possível mudarmos, é possível fazermos diferente, é possível avançarmos juntos para um futuro melhor.

 

 

Lista candidata pela Coligação Democrática Unitária (CDU)

  • Maria Judite Pimentel Barros da Costa
  • Óscar António Alves Ferreira
  • Joana Catarina Medeiros Correia
  • João José Taveira de Brito Subtil
  • Svetlana Viatcheslavovna Mychaeva Pascoal
  • Maria Isabel Oliveira Dias
  • Lizardo Patrício Soares Melo
  • Eduarda Maria da Costa Medeiros
  • Rafaela Machado Teves
  • Diogo Tadeu Penacho Vieira
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com