Ultrapassadas as exigências competitivas da participação que teve na Semana Internacional do Rio de Janeiro, o velejador Serafim Gonçalves, laserista que representa o Clube Naval Povoense com apoio da Bicasco, regressou às origens e as águas da ria de Vigo assumiram-se como o primeiro teste.

Aí mesmo, nesta cidade do noroeste peninsular tão familiar para as gentes do norte de Portugal, o “chefe” de fila do Naval Povoense voltou a demonstrar a sua tenacidade competitiva ao classificar-se em sexto lugar, pese embora a forte adversidade que teve de enfrentar devido à falta de vento em condições mínimas para a prática da modalidade e que esteve na origem da anulação de cinco das nove regatas agendadas.

Miguel Rothes, do Clube de Vela Atlântico, em Leça da Palmeira, conseguiu o primeiro patamar do pódio, num despique acérrimo com o pontevedrense Rafa Campelo, do Clube de Mar de Aguete. Esse despique resultou em pontuação idêntica (ambos com cinco), mas os posicionamentos parcelares acabaram por dar vantagem ao velejador leceiro, enquanto Serafim Gonçalves terminava na sexta posição, com 11 pontos (ficou a um ponto do último lugar do pódio, ocupado por Miguel Reboredo, do Náutico de Portosin), por influência dos seguintes parciais: um 14º, um segundo e dois sextos.

Antes do regresso definitivo a Portugal, Gonçalves competiu também na 43.ª edição do Troféu Martin Barreiros, onde a quase completa falta de vento (esta adversidade penalizou imenso a ambição do laserista do Povoense) quase inviabilizava a competição também organizada pelo Real Clube Náutico de Vigo.

Basta referir que das seis regatas calendarizadas, apenas foi possível concretizar uma ganha pelo atrás citado Miguel Rothes, à frente ao anfitrião Pablo Esquinosa e de Rafa Campelo (RCM Aguete), tendo Gonçalves que contentar-se com o 11.º lugar numa competição onde já triunfou.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com