Dianja é o nome artístico de Antonete Nunes, uma cantora jorgense, de música popular portuguesa, que nasceu em 1995, na Freguesia de Santo Antão. Aos 21 anos, saiu da terra onde nasceu, com destino a Portugal continental, com o intuito de lutar pelo seu maior sonho. Em 2011, gravou o seu primeiro CD de covers e, em 2016, o primeiro registo discográfico de originais. Em entrevista exclusiva ao AUDIÊNCIA, a artista da Ilha de São Jorge falou sobre a sua carreia no mundo da música, a participação na novela “Amor Amor”, da SIC, e os inúmeros projetos para o futuro, garantindo que vai continuar a trabalhar no que mais ama, que é cantar.

 

 

Para quem não a conhece, quem é a cantora Dianja?

Descrevo-me como sendo uma pessoa sonhadora e simples, que gosta de atingir os seus objetivos.

 

Como e quando começou a sua paixão pela música, assim como a sua carreira?

A minha paixão pela música existe desde sempre. Sempre gostei de cantar e de tudo o que envolva música, nomeadamente cantar, dançar e tocar clarinete, que aprendi na minha freguesia. Comecei a cantar na igreja, com 8 anos de idade. Mais tarde, em bandas de bailes e, em 2011, com a ajuda do empresário José Luís, também da Ilha de São Jorge, nasceu a “Dianja”. Foi ele quem me ensinou e ajudou a dar os primeiros passos.

 

Quais são as suas maiores inspirações e motivações?

A minha inspiração é a minha cantora favorita, a Paula Fernandes. Por outro lado, quem me deu a maior motivação, para eu seguir este caminho foi o meu primeiro empresário, da Ilha de São Jorge, José Luís.

 

Com 21 anos, decidiu sair de São Jorge, com destino ao continente. O que a levou a dar este passo?

Senti a necessidade de sair para Portugal continental, em 2016, para conseguir progredir na minha carreira. Foi, nesta altura, que eu gravei o meu primeiro CD de originais, com o produtor Jorge do Carmo e comecei a participar nos programas televisivos da TVI e RTP.

 

Se pudesse destacar o momento mais marcante do seu percurso, qual seria?

Quando participei na novela “Amor Amor”, da SIC.

 

Durante o ano transato participou na novela “Amor Amor”, da SIC, com o tema “Caiu-me a ficha”. Como surgiu o convite e como descreveria a experiência? Que relevância teve esta atuação para si?

Teve muita importância, pois, realmente, senti que tudo valeu a pena, porque há tantas pessoas a cantar e, para mim, estar ali foi um grande privilégio. Cumpri mais um sonho. Nem queria acreditar quando me convidaram para ir animar a novela. Foi uma sensação única.

 

Quantos singles e discos já lançou? Pode falar-me sobre eles?

Em 2011 gravei, no Porto, um CD de covers e comecei a realizar vários espetáculos, em quase todas as ilhas dos Açores, mas foi em Portugal continental, no ano de 2016, que gravei o meu primeiro álbum de originais, onde consta a música “Já foste”, que passa no final do programa “Preço Certo” da RTP1, quando perdem a montra final. Em 2019, lancei o single “Xálá lálá” e, em 2021, surgiu um novo trabalho intitulado “Caiu-me a ficha”. Já, em 2022, lancei um novo single denominado “Quem é ela”, que apresentei na SIC, tendo já atuado na RTP, TVI e CMTV.

 

Até à data, qual foi o single mais importante para si?

O single mais importante para mim foi o “Eu sou feliz”, que é uma música, que fala da minha terra.

 

Quem escreve as letras das suas músicas?

Quem escreve as minhas músicas é o produtor Jorge do Carmo, assim como o produtor Ricardo Landum, ao passou que eu apenas dou algumas ideias, evidenciando os meus gostos e estilos musicais.

 

O que pretende transmitir através da sua música?

Pretendo transmitir alegria, humildade, paixão e amor. Eu quero muito que as pessoas saibam as minhas músicas e andem a cantá-las por aí.

 

A Dianja é uma presença assídua nas comunidades portuguesas. Para que países costuma levar a sua música?

Eu atuo de norte a sul de Portugal, nas ilhas e no estrangeiro. Já realizei espetáculos, nomeadamente na Suíça, França, Alemanha, Luxemburgo e Canadá.

 

Com o que é que os espectadores podem contar quando assistem a um espetáculo seu?

Podem contar com alegria, acima de tudo.

 

Qual é o seu maior sonho?

Meu maior sonho é continuar a fazer, sempre, aquilo que eu gosto, que é cantar e ter oportunidade para isso.

 

Quais são os seus projetos para o futuro?

Meus projetos para o futuro são vários. Neste momento, também estou a desenvolver um negócio meu, na minha Ilha de são Jorge.  Relativamente, à música, eu quero continuar a gravar originais e fazer o que mais gosto, que é cantar.

 

Qual é a mensagem que gostaria de deixar aos nossos leitores?

Nunca desistam dos vossos sonhos, sejam eles quais forem, e lutem por eles se isso vos trouxer felicidade, pois a vida é só uma. Amem as pessoas que vos apoiam todos os dias, porque essas, sim, são as mais importantes da vossa vida.