A exposição “Viajante nas Confrarias” do pintor oliveirense Abílio Guimarães foi inaugurada no passado dia 23 de março, na Casa-Museu Regional de Oliveira de Azeméis, e vai estar patente até ao dia 12 de abril.

Esta mostra conduz o visitante ao longo de uma viagem visual, pelas mais diversas Confrarias do país, através do desenho e da pintura em aguarela.
Abílio Guimarães afirmou que a ideia para a exposição “surgiu do facto de nós passarmos por localidades belíssimas do nosso país, algumas delas são conhecidas por poucos e eu acho que isso deve ser evidenciado, não só a parte gastronómica, mas também a parte paisagísticas e as riquezas históricas”.

O pintor, que faz parte da Confraria da Pedra da Madalena, em Vila Nova de Gaia, e da Confraria Gastronómica das Papas de S. Miguel, em Oliveira de Azeméis, contou que a viagem começou “há mais de 10 anos. Ainda não tínhamos traje e estávamos no Capítulo da Confraria dos Nabos em Mira” e que se sentia “fascinado àquela hora da manhã ao contemplar as pessoas devidamente trajadas, representando as suas Confrarias”.

“Estávamos na companhia do Chanceler da Confraria da Pedra, José Carlos Leitão, e do Confrade Alberto. No momento em que estava a divertir-me bastante, fazendo uns esquiços de alguns Confrades presentes, fui abordado por alguns com inúmeras perguntas”, sublinhou Abílio Guimarães, acrescentando que “tantas perguntas, tal era o espanto de muitos dos presentes. Estava apenas a desabafar no papel, retratando muitos dos Confrades presentes das diversas Confrarias. E assim, fui continuando a registar momentos únicos e figuras únicas, nestas tertúlias e durantes todos estes anos”, “e foi assim, que me tornei no «Viajante nas Confrarias»”.

José Carlos Leitão, Chanceler presidente da Confraria da Pedra, revelou que “praticamente desde a primeira hora, o Mestre Abílio e o seu bloco são apenas um, no caso o Confrade «Bilinho». Desde finais de 2001, que mensalmente fazemos um jantar tertúlia onde quase todos nós já fomos «vítimas» da sua arte. Com mais ou menos «inspiração», somos vistos pelos seus olhos o que, num artista, às vezes não corresponde ao que os outros acabam por ver” e que “no início, e foram algumas as vezes que isso aconteceu, na viagem de regresso a Gaia é que percebíamos que ele nem almoçava, porque a paixão pelos desenhos não lhe dava tempo para isso”.

“Nas Confrarias, estou certo que todos olham para o Mestre Abílio com carinho, amizade e reconhecimento. Algo que ele bem merece. Aliás, esta exposição que, creio, pretende assinalar pela positiva as suas inúmeras visitas e retratos feitos é disso um exemplo e que muito me satisfaz e apraz registar, porque é bem merecido devido, repito, ao enorme prestígio que o Confrade Abílio Guimarães foi adquirindo, pelas inúmeras presenças nos mais variados Capítulos de Norte a Sul do país, com passagem pela Madeira e Açores de onde regressamos, juntos, no dia 4 de fevereiro do corrente ano de 2019”, enalteceu o Chanceler presidente da Confraria da Pedra.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com