Tendo em conta a realização do supertrílogo do passado dia 26 de março, e considerando o estado das negociações interinstitucionais respeitantes à reforma da PAC, a Federação Agrícola dos Açores (FAA), em consonância com as organizações de produtores de todas as Regiões Ultraperiféricas (RUP), voltou a escrever ao Primeiro-Ministro, António Costa, enquanto Presidência do Conselho da União Europeia, bem como à Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, a solicitar, pelo menos, a manutenção da atual dotação orçamental do POSEI para 2023-2027.

Foi também enviada uma carta à presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, na qual relembram os compromissos anteriormente assumidos e solicitam que a Instituição adote uma postura de proatividade e facilitação do acordo político entre os colegisladores.

“A manutenção do atual envelope financeiro é fundamental para que os agricultores possam continuar a fornecer alimentos de qualidade a preços acessíveis e em quantidades suficientes às também populações europeias que residem nas zonas ultraperiféricas”, referem, em comunicado, as organizações representativas da RUP. Acrescentam ainda que se torna “muito difícil explicar aos agricultores” que o processo negocial e a luta já se arrasta há praticamente três anos e que a pandemia veio reforçar o papel central dos agricultores no fornecimento de alimentos a territórios que, por força das circunstâncias, estiveram ainda mais isolados dos mercados continentais.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com