Joaquim Leite candidatou-se à Junta de Freguesia de Santa Marinha e São Pedro da Afurada, pelo Movimento Independente da Santa Marinha e Afurada (MISMA), porque “há muita coisa a fazer”.

O candidato já foi presidente da Junta de Santa Marinha durante 3 mandatos, mais especificamente, 12 anos, mas notou que, nos últimos quatro anos, depois de ter passado o testemunho, “a gestão e o legado que nós deixamos foi destruído, pois não houve continuidade de desenvolvimento em Santa Marinha e agora em São Pedro da Afurada”, o que o incentivou a voltar a candidatar-se.

O empresário e antigo ciclista do Futebol Clube do Porto e do Sport Lisboa e Benfica assumiu-se como sendo social-democrata e explicou que, “fui convidado pelo meu partido, o Partido Social Democrata, porque fui o único que ganhou três maiorias absolutas ao serviço de Santa Marinha, coisa que nunca tinha acontecido durante os anos de eleições autárquicas, após o 25 de Abril. Mas entendi, por convicção, que devia ser candidato independente, porque o partido estava dividido e não estava bem”.

Joaquim Leite revelou que “o nosso manifesto é muito rico, nós vamos continuar a ajudar as pessoas mais necessitadas, vamos continuar a atender a população independentemente se são privados ou públicos, porque o que nós queremos é ver a Santa Marinha e São Pedro da Afurada desenvolvidos”.

O candidato independente disse que a “campanha está a correr muito bem”, porque as pessoas dizem-lhe “voltem pois estão a fazer falta”. O social-democrata assegurou que nas eleições autárquicas as pessoas votam mais nas pessoas do que nos partidos e que “como sou uma pessoa estimada, sempre fui, estou convencido que a vitória vai ser nossa”.

O antigo atleta pretende mudar a forma como é feito o atendimento e o modo como as pessoas são atendidas, nos órgãos autárquicos da freguesia, e quer dar muita atenção à ação social, com o intuito de proteger os mais desfavorecidos.

O empresário afirmou que “o presidente da Junta tem de se dedicar ao povo da mesma forma que o povo tem de se dedicar ao presidente da Junta” e que um autarca tem de “ser humilde, determinado e deve possuir espírito de sacrifício”.

Joaquim Leite garantiu que “o povo de Santa Marinha e de São Pedro da Afurada pode contar comigo” e quis sossegar a população porque “o facto de eu ser independente e Câmara ser socialista não tem qualquer implicação no futuro das freguesias, porque as minhas relações com o Dr. Eduardo Vítor Rodrigues são as melhores e tem de haver uma parceria e respeito mútuo”.