O Movimento Pró – Liga nasceu no ano 1976 pelo seu Fundador Drº Luís Roseira com o objetivo principal de ligar o Hospital à cidade.

A legalização da Liga dos Amigos do Hospital Santo António foi em 1977 após o dramático incêndio que destruiu a ala Norte do Hospital.
Em 1978 foi eleita a primeira direção e o começo de uma longa caminhada de 41 anos. A Liga nasceu com 100 Sócios e em 1981 surgiu o Voluntariado Institucionalizado.

A Liga de Amigos é por definição uma Associação livre, formada por cidadãos interessados em contribuir para melhorar a qualidade dos serviços prestados no Hospital.

O objetivo principal desta Liga era criar um compromisso de cidadania coletiva. Os voluntários são ensinados para saber ouvir e saber fazer sem ultrapassar as competências que lhe são atribuídas, daí a necessidade de formação Social e Humana, focada no saber, ouvir, observar e agir apenas na área social, sem nunca interferir com o ato médico.

A Liga distribui pequenos-almoços, roupas, subsídios de transporte, medicamentos e outras despesas suportadas por um serviço voluntário de angariação de fundos.

A Liga sobrevive de doações e pagamentos de cotas dos Sócios, peditórios públicos e de organização de eventos. Um êxito todos os anos é a venda de Natal realizada no Salão Nobre integrado na semana do Hospital.

Os Voluntários visitam os doentes entregam jornais e revistas no internamento e todas as semanas os Serviços fazem chegar à Responsável da Liga uma lista com os nomes de quem está Internado e faz anos e cada aniversariante recebe o seu “ miminho “ um pequeno gesto que marca a diferença.

Nas consultas encaminham e informam os doentes ajudam a levar utentes aos locais de exames com falta de mobilidade e oferecem os pequenos -almoços nas colheitas e nas consultas e quanto a isso tenho que partilhar um episódio que demonstra a simpatia e o brilhante desempenho e motivação do voluntariado.

Um utente precisava de uma informação no secretariado da Consulta de Oftalmologia e é surpreendido pela simpatia das Senhoras Voluntárias que estavam a oferecer café, chá ou leite e umas bolachinhas o dito doente ficou surpreendido pela simpatia e aceitou a oferta que por sinal lhe soube pela vida, o problema é que esqueceu que ainda tinha que passar pela Central de Colheitas para fazer análises e tinha que estar em jejum, o resultado é que nesse dia ficou sem efeito e embora triste porque tinha que remarcar novamente os exames estava feliz pela simpatia, atendimento e dedicação das Voluntárias.

O Voluntariado é fundamental porque estar atento, ajudar, escutar e muitas vezes ficar no silêncio é crescer o lado Humano que ultimamente nem sempre é valorizado. A gratidão no sofrimento é a melhor recompensa de quem dá aos outros com o coração.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com