A Mercadona partilhou 409 milhões de euros, referentes a prémios de 2020, com todos os seus colaboradores. Para a cadeia de supermercados, apesar das dificuldades e do investimento que o ano exigiu para garantir a segurança e saúde de clientes e funcionários, o ano de 2020 foi o melhor na história da empresa e a mesma acredita que isso só foi possível com a ajuda de todos os colaboradores, daí a partilha do valor dos prémios com eles.

 

 

 

A Mercadona decidiu partilhar 409 milhões de euros referentes a prémios de 2020 com os mais de 90.000 colaboradores que formam a equipa.

“Num ano como 2020, tão complexo de gerir, a empresa conseguiu atingir o melhor ano da sua história. Garantir todos os dias a abertura dos mais de 1.600 supermercados, em Portugal e Espanha, não tinha sido possível sem o talento e esforço diário de todos os colaboradores que formam a empresa, nem sem o seu compromisso para preparar a loja e atender. Para mim, e para todo o Comité de Direção, é um motivo de orgulho ter a oportunidade de comprovar que é nos momentos mais difíceis que surgem as pessoas excecionais que compõem a nossa equipa, e que, com as suas ações, converteram-se num exemplo para a sociedade”, referiu Patricia Cortizas, Diretora-Geral de Recursos Humanos e Relações Externas da Mercadona.

A decisão de partilhar com a equipa os lucros gerados foi implementada em 2001. Desde então, a Mercadona partilhou mais de 4.200 milhões de euros, valor que reflete o seu compromisso com o crescimento partilhado e o reconhecimento pelo trabalho e esforço conjunto da sua equipa. De facto, qualquer colaborador, a partir do primeiro ano  de antiguidade e no caso de alcançar as metas e objetivos definidos no início de cada ano, receberá um salário extra, quantidade que ascende a dois salários, depois de cumprir cinco anos de antiguidade e, graças a isso, o salário líquido de um colaborador base chega a alcançar aproximadamente 1.200 euros líquidos por mês (em média), com subsídios extra e o prémio por objetivos já incluído.

 

Investimento na saúde e proteção de todos

Importante referir que a cadeira de supermercados já investiu mais de 200 milhões de euros, desde o momento em que o Estado de Emergência foi declarado até à data, para proteger, reforçar e garantir a segurança e saúde dos clientes, colaboradores e fornecedores, fazendo das suas instalações um lugar seguro. Este valor foi investido na aquisição de equipamento de proteção individual, desinfeção, limpeza e adequação dos espaços às medidas de segurança.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com