Foi triste. A desilusão toma conta de nós cada vez que perdemos ou que somos eliminados.

Ser do Benfica é mesmo isto, sentir cada momento como se se tratasse de um momento da nossa vida pessoal e não apenas de um jogo de futebol.

O Benfica perdeu com o Borussia de Dortmund e, seguindo pela televisão fui sofrendo desde os 4 minutos, quando foi marcado o primeiro golo.

A cada minuto que passava ia ficando mais preocupado porque sabia que já era difícil segurar uma vantagem trazida da primeira mão e tão magra de 1-0, que agora que eles tinham marcado tudo ficou igual, mas mais difícil ainda.

Era importante termos sido nós os primeiros a marcar e aí talvez conseguíssemos o apuramento, com mais concentração e mais garra. Mas foram eles que o fizeram.
As equipas vencem, quando demonstram que querem vencer.

Ao intervalo saímos com essa desvantagem, mas mal começou a segunda parte, o jogo mudou e fomos dizimados. Apareceu o segundo, o terceiro e o quarto golo e aí já não conseguimos fazer mais, nem os jogadores tinham força para tentar.

Há lances polémicos que foram mal ajuizados na minha opinião, mas isso não pode ser desculpa para tudo, nem para nada.

4-0 num estádio sempre difícil para uma fase tão importante da Champions League.
Espero apenas que este resultado não deixe marcas, quer individualmente aos jogadores, quer em termos coletivos, num grupo que precisa de ganhar e conquistar títulos.

O próximo jogo é já na próxima segunda feira e para outro objetivo não menos importante. É altura de ” mudar o chip” e seguir em frente.

Atrás de uma derrota, vem sempre uma vitória e quem é benfiquista tem que pensar dessa forma, caso contrário o futebol não lhe dará as alegrias dignas de um desporto-rei.

 

Hugo Falcão
Presidente da Casa do Benfica em Matosinhos

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com