Com 51% dos votos, Nuno Fonseca foi reeleito, com maioria absoluta novamente, presidente da Junta de Freguesia de Rio Tinto. Em declarações ao AUDIÊNCIA na noite das decisões, o autarca admitiu estar confiante na vitória e que este é apenas o resultado do trabalho dos últimos anos.

 

 

O socialista Nuno Fonseca foi reeleito como presidente da Junta de Freguesia de Rio Tinto por mais quatro anos, com uma maioria absoluta garantida pelos 51% de votos recebidos e 13 mandatos alcançados. Se a vitória e até a maioria eram quase certas, a noite de festa estava preparada para isso e cedo se percebeu que não iria desanimar.

A sede esteve com bastantes apoiantes que deram o seu voto de confiança e esperança enquanto os resultados não saiam, mas os sorrisos nas caras de todos não escondiam que não esperavam outra coisa que não uma vitória. No final, a diferença para o segundo, a Coligação PSD/CDS-PP era significativa, já que estes apenas conseguiram 19% dos votos.

Destaque ainda nestas eleições para a entrada do Chega na autarquia com um mandato, ao conseguir 4% dos votos.

Em declarações exclusivas ao AUDIÊNCIA, Nuno Fonseca admitiu que esta era uma vitória esperada e desejada. “É o resultado do nosso trabalho. Claro que contávamos com isso, tínhamos maioria há quatro anos e queria reforçar, fomos foi muito penalizados pela abstenção que rondou os 54 por cento que é uma abstenção extremamente alta que nos faz baixar a todos o número de votos. Mas deu os números que queríamos e esperávamos”, afirmou.

Por isso mesmo, Nuno Fonseca faz questão de agradecer “aos riotintenses a confiança” e a avaliação positiva feita dos últimos anos. “Ao contrario da nossa oposição e dos partidos que tentam tirar-nos a presidência da autarquia, tentam apresentar ideias mas nós estamos num patamar em que somos avaliados, portanto o nosso trabalho é uma avaliação. E o que leio destes resultados é que a avaliação é positiva, e o que podem esperar de mim é o que o esperaram no passado, que é mais trabalho, mais ideias, mais projetos e fazer com que Rio Tinto continue a ser uma freguesia de marca, dinâmica e uma grande referência no distrito e no país”.

Também o facto de o PS ter reforçado a sua posição no concelho de Gondomar é motivo de orgulho e satisfação para o autarca, que ao ver que a Câmara Municipal se mantém sob a liderança do PS, com Marco Martins, sabe que “é mais fácil trabalhar e implementar ideias e projetos para o território”.

“Penso que a população quer o PS, ganhamos as sete juntas, ganhamos a assembleia municipal com maioria, reforçamos com mais um elemento que há quatro anos, temos mais um presidente de Junta, a Câmara Municipal subiu, e isso faz com que o PS seja o grande vencedor em Gondomar. Vamos ter quatro anos de muito trabalho e sucesso”, acrescentou.

Já em termos nacionais, Nuno Fonseca acredita que os resultados eleitorais do passado dia 26 só vieram confirmar que “o PS continua a ser o grande partido nacional”, e destacou também que a posição do partido “foi reforçada no distrito”, com a vitória em Vila do Conde por exemplo.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com