Os deputados de São Miguel do PS/Açores fizeram uma visita à Escola de Música de Rabo de Peixe, no passado dia 8 de janeiro, durante a qual foram dadas a conhecer as instalações daquela academia, situada do Cineteatro Miramar (gerido pelo Teatro Micaelense).

Em declarações aos jornalistas, a deputada socialista Renata Botelho afirmou que a Escola de Música de Rabo de Peixe “trabalha muito bem no combate à exclusão social” no concelho da Ribeira Grande, um território “problemático dos Açores”.

A visita dos deputados do PS/Açores teve como objetivo, de acordo com Renata Botelho, “ver ‘in loco’ um trabalho muito meritório que envolve muita gente”. A deputada do PS/Açores não poupou elogios ao trabalho da instituição, que afirmou ser “crucial” para uma melhor integração de crianças e jovens na comunidade.

Atualmente, com idades compreendidas entre os 6 e os 17 anos, esta escola acolhe 60 alunos, chegando a ser 100 quando incorpora o coro. De acordo com Renata Botelho, estes números representam “uma massa muito significativa de crianças”, razão pela qual acredita que o trabalho desenvolvido por esta Associação é um exemplo de combate à exclusão social no concelho da Ribeira Grande.

Em declarações aos jornalistas no final da visita, Renata Botelho afirmou que “a pobreza preocupa-nos”, no entanto, considera que é “absolutamente imperioso que se diga que não é verdade, como alguns partidos da oposição fazem crer, que os Açores são a região mais pobre do país”.

“É preciso que se diga que os Açores são a única região do país que convergiu com a União Europeia, segundo o Relatório do Desenvolvimento e Coesão divulgado o mês passado e o rendimento disponível das famílias está acima da média nacional”, afirmou.

A deputada disse ainda que o trabalho de associações como a da Escola de Música de Rabo de Peixe permite mostrar “novas perspetivas de vida” aos jovens através da música, e “é assim que nós acreditamos que se combate a pobreza e a exclusão social”.

A Escola de Música de Rabo de Peixe surgiu em 2001 no âmbito de um Plano de Intervenção Específica em Rabo de Peixe, por iniciativa da presidência do Governo Regional. Em 2005 foi integrada no serviço educativo do Teatro Micaelense e em 2015 passou a ser a Associação Musical ESMÚSICA.RP.

De acordo com a parlamentar, a escola tem vindo a funcionar com “algumas dificuldades”, ainda que conte com o apoio financeiro da Direção Regional da Cultura, mas “tem vindo a criar uma geração de miúdos que, através da manifestação artística, têm vindo a desenvolver novos horizontes”.

Segundo Carlos Mendes, presidente da Associação Musical e formador, dentro dessas “dificuldades” encontram-se as financeiras para a aquisição e manutenção de instrumentos utilizados pelos alunos, além da falta de “remodelações nas instalações”, referindo-se à ausência de insonorização dos ateliês e falhas de segurança em parte da pavimentação exterior do edifício.

Ainda que haja obstáculos para o bom funcionamento da escola, de acordo com Carlos Mendes o objetivo é “dar formação ao nível musical e ao nível da cidadania. Se potenciarmos futuros músicos, ótimo, mas também é necessário ver a parte da formação musical numa perspetiva de formação integral do indivíduo. Pode ser outra coisa na vida, mas a música fez parte da sua formação e ajudou a construir de forma positiva a sua identidade”.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com