No dia 7 de maio, Alexandre Gaudêncio, na qualidade de presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, inaugurou dois grandes marcos da região: o monumento ao surfista e a nova rede de ciclovias. A estátua do surfista de 4,5 metros está situada na rotunda da Avenida José Nunes da Ponte e é da autoria de Rui Goulart. A rede de ciclovias conta com 15 kms de pista, custou 400 mil euros, e o autarca apelou ao uso das bicicletas, por uma questão de saúde e por ser um transporte mais amigo do ambiente.

 

 

Ribeira Grande é apelidada de Capital do Surf, e foi a pensar nisso que o presidente da Câmara Municipal, Alexandre Gaudêncio, encomendou uma estátua de homenagem ao surfista. A inauguração aconteceu na tarde do dia 7 de maio e mais do que decoração, tratou-se de uma “requalificação urbana, numa rotunda que estava bastante degradada”, como referiu o autarca.

A estátua, com cerca de 4,5 metros de altura e feita de bronze, foi da autoria de Rui Goulart, homenageado com o Troféu Audiência Artes e Letras 2020, natural da ilha do Pico. A estátua, situada na rotunda da Avenida José Nunes da Ponte, representa então o surfista que Alexandre Gaudêncio considera importante marca para a cidade e para o concelho, uma vez que a Ribeira Grande “tem vindo a afirmar-se como um destino de surf procurado por muitos amantes da modalidade, profissionais ou amadores”, realçou o edil ribeiragrandense.

O investimento total da requalificação da rotunda foi de 70 mil euros, com destaque para o sistema de jatos de água que saem por baixo da prancha do surfista e que simula as ondas. “Fica num local, na nossa opinião, de entrada de cidade, que tem muita afluência de pessoas, um local de destaque, e, acima de tudo, é uma obra de requalificação de uma zona que estava degradada”, completou Alexandre Gaudêncio.

Na mesma ocasião, o presidente Alexandre Gaudêncio aproveitou para inaugurar a rede de ciclovias que considerou uma “mudança de paradigma para a cidade”.

A rede de ciclovias conta com 15 kms, 5,5kms de vias separadas, 9kms de vias partilhadas com viaturas e 300 metros de vias partilhadas com peões. O projeto, desenvolvido pela SPI (Sociedade Portuguesa da Inovação) em parceria com a TIS (consultores em transportes, inovação e sistemas), teve em conta a orografia e o núcleo urbano da cidade, para que a mesma pudesse ser usada no dia a dia da população. “A rede de ciclovias permite que qualquer pessoa que resida no centro da cidade possa ir de bicicleta para o trabalho, para as escolas, aos serviços ou às zonas balneares”, deu como exemplo o autarca que também referiu que pretende ver aumentar o uso das bicicletas em 5% nas viagens modelares (casa/trabalho ou escola) até 2025.

“Ao todo são 15kms de ciclovia que são inaugurados hoje, num investimento de cerca de 400 mil euros, cofinanciados em 85% por fundos comunitários através do Programa Açores 2020, e que julgamos que vem numa altura propícia, atendendo a que se aproxima uma época balnear, e as pessoas podem circular em segurança. Aproveito para apelar a que possam adotar este estilo de vida saudável e o uso de meios de transporte amigos do ambiente, nomeadamente a bicicleta”, disse Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com