São hoje conhecidas as primeiras pontuações obtidas pelos “detetives” participantes na edição de 2019 do torneio de decifração “Solução à Vista!”.

Foram 43 (quarenta e três!) as propostas de solução recebidas, relativas ao enigma “Abílio Vai à Bola” da autoria de Daniel Gomes, o que significa um acréscimo de cerca de 30% de concorrentes face ao número de participantes na edição anterior. Mais trabalho, portanto, para o orientador da secção, que se obrigou a ler por diversas vezes boa parte das soluções classificadas com a pontuação máxima até conseguir determinar, sem problemas de consciência, aquelas que seriam merecedoras dos pontos suplementares destinados “às melhores”. Não foi nada fácil a tarefa, atendendo à excelente qualidade da maioria dos relatórios recebidos. Ou seja, caros leitores: a época promete!

Alguns “detetives” lamentaram, porém, a temática do enigma em apreço, por entenderem não se enquadrar no género “policiário”. Outros, todavia, saudaram a qualidade da narrativa do enigma, que, recordamos, constitui apenas a segunda incursão do autor na produção deste género de escrita. E a verdade é que, apesar da aparente fragilidade do enunciado do problema e das suas características, alguns dos solucionistas não conseguiram escapar aos primeiros tropeções da competição. Nada que não se corrija, contudo, com o decorrer da prova, uma vez que ainda há muito “torneio” pela frente. São dez os enigmas a decifrar e muitos os pontos a conquistar ou… a perder. E tudo pode acontecer. Razão por que se recomendam sempre leituras cuidadas e atentas aos mais infimos pormenores, bem como soluções o mais elaboradas e detalhadas possível.

TORNEIO “SOLUÇÃO À VISTA!”        

Solução da Prova nº. 1                    

“Abílio Vai à Bola”, de Daniel Gomes

Resposta certa: alínea C – Validou o golo.

Este problema tem polícia mas não tem crime para investigar ou criminoso para acusar. Tem no entanto leis para fazer respeitar e cumprir. E leis são leis, quer sejam as do código civil, do código penal ou… do International Football Association Board, órgão responsável pela regulamentação das regras do futebol, que fixou na Lei 11 desta modalidade desportiva, que “um jogador encontra-se em fora de jogo se estiver mais perto da linha de baliza adversária do que a bola e o penúltimo adversário”. Acontece, porém, que aquele atleta “não se encontra em posição de fora de jogo se estiver no seu próprio meio campo”.

Assim sendo, o jogador que marcou o golo da equipa visitada não se encontra fora de jogo, uma vez que recebeu a bola no meio campo do seu clube. Recorde-se que no enunciado do problema refere-se que no início do jogo, “a equipa da casa está a ser completamente esmagada por um ataque demolidor da turma adversária, que a remete para o seu meio campo”, e que, depois, na segunda parte do desafio, passados mais quarenta minutos do jogo, “tudo se mantém inalterado”. Ou seja, quando o guarda-redes “lança” a bola “com as forças que lhe restam” para o seu colega adiantado no terreno de jogo, este está ainda no seu meio campo. Dessa forma, o golo tem de ser validado.

Ora, se o golo é válido e o árbitro decidiu acertadamente, apenas poderão estar corretas a alínea C ou a alínea D. Mas, como o guarda-redes forasteiro não cometeu nenhuma falta, já que não há nada na Lei do Jogo que o impeça de estar adiantado, longe da baliza que lhe compete defender, não se justifica de forma alguma que seja punido. Ele ter-se-á limitado a acompanhar a corrida desenfreada do atacante adversário, correndo às arrecuas, sofrendo depois o vexame de ser alvo de um belo chapéu que levou a bola a anichar-se nas redes à sua guarda. Ou seja, só a alínea C pode estar correta, uma vez que, como já se disse atrás, o árbitro tomou a decisão acertada.

Pontuação/Classificação (após a 1ª. Prova)

A esmagadora maioria dos nossos “detetives” acabaram por não ter grandes dificuldades em sair vitoriosos neste confronto com o enigma de Daniel Gomes, que trouxe até nós uma modalidade desportiva que arrasta grandes massas de adeptos, entre os quais se contam muitos dos que fazem do policiário o seu passatempo preferido. Contudo, alguns deles não escaparam aos primeiros dissabores no torneio, como se pode constatar na tabela classificativa que se segue:

1º. Detetive Jeremias: 13 pontos;

2º. Rigor Mortis: 12 pontos;

3º. Inspetor Moscardo (ex-Bigode): 11 pontos;

4ºs. Arc. Anjo, Bernie Leceiro, Broa de Avintes, Búfalos Associados, Carlota Joaquina, Charadista, Chico da Afurada, Donanfer II, Dragão de Santo Ovídio, Ego, Holmes, Inspetor Guimarães, Inspetor Mucaba, Mancha Negra, Ma(r)ta Hari, Pena Cova, Tempicos & Tempicas e Zé de Mafamude: 10 pontos;

22ºs. Abrótea, Beira Rio, Inspetor Madeira, Necas, Príncipe da Madalena, Santinho da Ladeira e Talismã: 9 pontos;

29ºs. Agata Cristas, Amiga Rola, Bota Abaixo, Detetive Bruno, Detetive Vasoff, Faina do Mar, Haka Crimes, Inspetor Mostarda, Martelo, Mascarilha, Mosca, Pequeno Simão, Solidário, Tó Fadista e Vitinho: 8 pontos.

CONCURSO “MÃOS À ESCRITA!”      

Recordamos que a pontuação a atribuir a este enigma de Daniel Gomes pelos concorrentes do Torneio “Solução à Vista!” deve ser enviada juntamente com a proposta de solução ao enigma “Whisky Mortal”, de Rigor Mortis, publicado na passada edição. De acordo com o regulamento, os solucionistas dispõem de entre 5 a 10 pontos para atribuir ao enigma, tendo em conta a sua originalidade e grau de dificuldade, a que se junta a pontuação atribuida pelo orientador da secção, apurando-se depois a média pontual que define a sua classificação.

CONTACTOS DO ORIENTADOR

Relembramos aos nossos leitores os endereços para os quais poderão enviar as soluções das provas do torneio de decifração, bem como as pontuações atribuídas aos enigmas que disputam o concurso de produção, ou para qualquer outro assunto relacionado com a secção:

– correio postal: AUDIÊNCIA GP / O Desafio dos Enigmas, rua do Mourato, 70-A – 9600-224 Ribeira Seca RG – São Miguel – Açores;

– correio eletrónico: salvadorpereirasantos@hotmail.com.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com