O jovem amador Tomás Mondim Lopes, uma das mais recentes revelações do quase nonagenário Clube de Golfe de Miramar (VN Gaia), conquistou claramente a Taça Nena Nasamotor, ficando a escassas duas pancadas do par do campo real na prova disputada no percurso do seu clube de origem (par 70).

Num universo de cerca de oito dezenas de praticantes, oriundos do Oporto (Espinho), Quinta do Fojo, Clube Nortada, Axis Ponte de Lima, Golfe de Braga, Golfe do Centro, Vale Pisão e com os jogadores anfitriões em grande maioria, o jovem miramarense cumpriu os 18 buracos regulamentares com duas pancadas acima do par do campo (72), mas conseguiu reduzir três pancadas em relação ao seu nível de jogo, já que se trata de um jogador detentor de um “5” de “handicap”.

Na verdade, a supremacia de Mondim Lopes sobre os demais foi evidente, já que os opositores que ficaram mais próximos na classificação final – os antigos campeões do clube Jorge Abreu e João Nuno Mendes Ribeiro – ficaram todos a cinco pancadas do vencedor (77), num trio também formado por Ricardo Cabral.

Para cumprir o percurso, Mondim Lopes realizou duas voltas de 36 pancadas, ao longo do dois “birdies”, 12 pares e quatro “bogeys”, tendo obtido mais um “birdy” que o trio perseguidor; Abreu somou 40 mais 37, com parciais relativos de um “birdy”, 11 pares, quatro “bogeys” e dois duplos, registo repetido por Cabral, mas com apenas nove pares, um “birdy” e oito “bogeys”, ao passo que Mendes Ribeiro, que igualou com estes o “score” da volta, registou um “scorecard” de 38+39 e os relativos de um “byrd”, 11 pares, quatro “bogeys” e dois duplos, enquanto Luís Themudo Santos fechou o “top-five” com 10 acima do par (80), tal como Paulo Correia de Oliveira. A antiga hexacampeã, Benedita Mendes Ribeiro foi sétima da geral e rubricou a melhor marca feminina com onze acima do par (81), com os seguintes parciais relativos: oito pares, nove “bogeys” e um duplo.

João Carlos Correia triunfou na classificação bonificada

Quanto à classificação bonificada, regra implementada no intuito de evitar o desequilíbrio competitivo entre os diversos níveis de jogadores, a vitória foi para João Carlos Correia, detentor de um “handicap” 19, que completou os 18 buracos regulamentares com o “score” de 64 pancadas.

Porém, ainda que tenha conseguido três pancadas de vantagem sobre seis dos concorrentes que se lhe seguiram na tabela, entre eles o próprio Mondim Lopes, o mais credenciado do “field” (“handicap” 5), esteve longe de actuar ao seu nível de jogo. Nesta fórmula classificativa, exceptuando a questão do vencedor, o equilíbrio foi evidente. A três pancadas de Correia, que venceu com 64 pancadas, classificaram-se Miguel Nunes Pinto (“hdc.” 23), Benedita Mendes Ribeiro (hdc, 14), Tomás Mondim Lopes (hdc. 5), Belmiro Pereira (hdc. 14), Miguel Rocha (hdc. 30) e Nelson Conceição (hdc.18), enquanto Carlos Crespo, com 68, João Nuno e Mário Machado, este um dos praticantes mais antigos do clube no activo, com 69 pancadas, fecharam o “top-ten”.

Ângelo Almeida dominou 8.º “Golfe & Tacho” do Fojo

Entretanto, o vizinho Golfe da Quinta do Fojo levou a cabo mais uma edição do Torneio Golfe & Tacho, que reuniu perto de quatro dezenas de participantes, em representação do clube organizador, Citynorte, Associação de Seniores, Oporto e Clube Nortada. O sénior Ângelo Almeida, igualmente um apaixonado da vela ligeira, foi quem mais se destacou ao arrebatar o primeiro lugar nas duas classificações que o torneio consagrou – “Net” e “gross”.

Na classificação bonificada, depois de se apresentar no “tee” de saída abonado em 10 pancadas, Ângelo Almeida rubricou o “scorecard” com um “score” bastante elevado – 47 pontos, deixando os mais directos perseguidores – Manuel Lobo, Joaquim Santos e Alfredo Fidalgo – a oito pontos, enquanto Carlos Alberto Gonçalves fechava o “top-five” com 38 pontos. Quanto à classificação “gross” (“score real”), o triunfo de Almeida foi igualmente expressivo e conseguiu superar o par do campo em um ponto. Porém, nesta modalidade classificativa, Almeida chegou aos 37 pontos e a sua vantagem sobre os demais foi ainda maior; deixou a nove pontos os mais directos opositores, Alfredo Fidalgo e Carlos Alberto Gonçalves (ambos com 28), ao passo que o quarteto Francisco Serrano, António Clemente, Pier Valenti e Abílio Moreira equiparavam-se todos com 27 pontos.

Desistência do campeão põe campeonato ao rubro

Entretanto, já começou a fase final do Campeonato Interno do Fojo, com a disputa respeitantes à primeira eliminatória e o desfecho mais visível foi aquele que resultou do “match” que não aconteceu, entre o bicampeão em título, José Pedro Cardoso e o adversário que lhe caberia defrontar, Ferraz Monteiro. Ainda durante o aquecimento, José Pedro Cardoso reconheceu não estar nas melhores condições físicas para competir e acabou por atribuir o triunfo ao seu adversário, que agora, nos quartos de final, irá defrontar Francisco Serrano, vencedor do “match” que disputou com Luís Mesquita Guimarães.

Quanto aos restantes seis “matchs”, foram ganhos por João Luís Rafael, Carlos Alberto Gonçalves, Abílio Moreira, José Lima Pinho, Carlos Dias e João Frederico que se apuraram para os quartos de final depois de terem vencido José Carlos Leite, Francisco Pinho, Miguel Teixeira, Procópio Sampaio, Gonçalo Mota e Pieri Valenti.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com