Vítor Teves alcançou o Prémio Escrita MiratecArts 2021 com o trabalho denominado “O Arpoeiro”, um conjunto de poemas dividido em três partes.

 

 

O vencedor do Prémio Escrita MiratecArts refere que participou neste projeto “porque regressei a casa, aos Açores, e como tal, acho importante participar no ambiente cultural das ilhas”. “Interessa-me a produção regional embora, em diferentes domínios, esta continua presa a inúmeros clichés do passado. Quis participar neste concurso com poesia para dar um outro contributo, um em que a poesia não fique refém dos módulos do passado, da rima e da métrica. Interessa-me uma poesia que vai de encontro ao mesmo tempo”, salientou.

Nascido em Ponta Delgada e residente na Ribeira Grande, Vítor Teves é licenciado em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e é mestrando em Estudos Culturais e Interartes na mesma.

Publicou poemas em diversas revistas: Trama #1, #2; Apneia #2, #3; Zine mais Pornô #5; Caderno 5: Os pastéis de nada ali não valem uma beata – Antologia 2017; Bacana; Enfermaria 6; Gazeta de Poesia inédita; Diversos afins #127. Publicou, também, os livros “Cabra bem Cabra” e “Lamarim”, em 2019.

A sétima edição do prémio, conclui o programa estipulado pelo diretor artístico da MiratecArts, Terry Costa, de promover 7 novas vozes da escrita açoriana. O programa pretende publicar as obras vencedoras no formato de um livro, tendo o lançamento marcado para o próximo ano, quando a associação cultural celebrar os 10 anos a promover os Açores com arte e artistas.

Vítor Teves junta-se, assim, à lista dos vencedores das edições anteriores: Pedro Paulo Câmara, Almeida Maia, Nuno Rafael Costa, Carolina Cordeiro, Carla Lima e Diana Zimbron – uma nova geração de açorianos com várias obras publicadas.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com