Tudo começou na vontade partilhada de Guilhermina Saldanha, Fisioterapeuta, e António Bica, Engenheiro de Eletrónica na área médica, de criar um espaço para prestação de cuidados de Medicina Física e Reabilitação de elevada qualidade, contribuindo desta forma para o bem estar e qualidade de vida da população local. Começou como uma pequena clínica em Avintes, mas a procura crescente pelos seus serviços criou a necessidade da procura por um espaço maior. Atualmente, com as suas instalações na Rua Vieira Pinto em Oliveira do Douro, a Fisávin – Clínica de Fisioterapia, completou 25 anos de existência tendo decidido renovar as instalações para assinalar a data apesar de a Covid-19 ter vindo “atrapalhar” os planos.

 

 

 

Criada, inicialmente, em 1995, a Fisávin arrancou o seu funcionamento em Avintes, um espaço que cedo se tornou pequeno para o volume de procura que gerou. Apesar da ideia inicial dos seus fundadores ser a de se manter naquela freguesia de Vila Nova de Gaia, foi em Oliveira do Douro que encontraram o espaço que reunia todos os requisitos e decidiram arriscar numa grande mudança.

 

“A minha mulher é fisioterapeuta e nós idealizamos um espaço em Avintes, que era pequeno, mas onde decidimos fazer a clínica. Começamos devagar, muita coisa foi feita por nós. Ao mesmo tempo fomos conseguindo acordos com várias entidades nomeadamente convenção com a ARS, que nos levou a um maior volume de pacientes. A determinada altura tivemos de pensar em aumentar, pois o espaço foi ficando pequeno para as necessidades, associado ao objetivo de complementar os nossos serviços com novas valências. Finalmente em 2003 encontramos um espaço que reunia as condições necessárias tendo mudado os nossos serviços para as novas instalações no ano seguinte. Na altura não existiam as infraestruturas rodoviárias atuais, apenas a promessa de que viriam a existir, mas avaliamos isso como um fator positivo que nos iria beneficiar e, de facto, agora temos fácil acesso ao Porto e centro Gaia, com autoestrada ao lado e essa é uma mais valia que temos”, explica António Bica.

 

Atualmente a clínica dispõe das especialidades de Fisiatria e Fisioterapia, Terapia da Fala bem como Massagens terapêuticas e de relaxamento.  Também está disponível o serviço de Fisioterapia ao domicílio.

 

Em 2020, a Fisávin completou 25 anos de vida, num ano atípico, que veio alterar os planos que os proprietários tinham. “Tínhamos planeado fazer uma remodelação interior, acrescentar equipamentos novos, substituir sistemas de ventilação e ar condicionado por novos com melhor rendimento e com menor consumo de energia. Começamos o projeto, mas em meados de março, no início da pandemia tomamos a iniciativa de suspender a atividade como medida de segurança para os nossos pacientes e colaboradores.  Nesse período tivemos de repensar e alterar os nossos serviços, adquirir material de proteção individual e desinfetantes, reorganizar o espaço e implementar plano de contingência para fazer face à nova realidade. Já devidamente preparados reabrimos em maio, e temo-nos mantido desde então, tentando manter ao máximo as regras que são ditadas pela DGS com o objetivo de garantir a segurança no tratamento prestado aos nossos doentes e também proteger os funcionários e colaboradores que cá trabalham”, referiu António Bica.

 

A reorganização do espaço para evitar os contágios por Covid19 obrigou ao aumento do distanciamento entre doentes reduzindo a capacidade de atendimento quase para metade.

Apesar de tudo em 2020 foi possível concluir alguns dos objetivos do projeto inicial, nomeadamente um espaço dedicado ao tratamento dos mais pequenos.

“Um dos nossos grandes objetivos era a criação de um espaço exclusivamente para reabilitação Pediátrica. Neste momento já temos uma sala em pleno funcionamento com todas as condições técnicas e de conforto para tratamentos de crianças e bebés.”

 

No balanço que faz destes 25 anos, António Bica esta certo que foi totalmente positivo.

“Embora ao nível da fisioterapia as coisas tenham-se tornando cada vez mais competitivas tendo havido uma evolução positiva da oferta, já ao nível dos preços praticados nomeadamente nos protocolos/acordos com algumas entidades, estes estagnaram não tendo acompanhado a evolução dos custos dos produtos e mão de obra profissional. Este facto foi criando novos desafios e obrigou a repensar a forma de trabalhar.

 

Mas tenho a certeza absoluta que, olhando para estes 25 anos e para o que conseguimos, traz-nos um sentimento de missão cumprida. A nossa missão é prestar cuidados de saúde, e tentar presta-los da melhor forma possível. Ao longo deste percurso houve altos e baixos claro, mas de facto temos o sentimento de missão cumprida. E é isto que nos dá orgulho e alento para continuar”, refere, acrescentando que “a área da saúde é uma área nobre, e como tal dá-nos uma maior responsabilidade”.

 

Para o futuro, António Bica não deixa grandes projetos, até porque o futuro está bastante incerto. Contudo, garante que a Fisávin irá continuar a apostar na qualidade dos serviços prestados, nomeadamente, na Fisioterapia personalizada, tratamentos ao domicílio, tão importantes nesta altura de pandemia, e ainda nos serviços dedicados a crianças e bebés.

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com