Para comemorar o Dia da Liberdade, a União de Freguesias de Sandim, Olival, Lever e Crestuma (SOLC), teve um vasto programa de iniciativas. Além da vertente cultural, também o desporto esteve em foque neste dia em que se comemora a Revolução dos Cravos, com caminhadas, provas de atletismo e o Torneio da Liberdade, organizado pelo Clube União Desportiva Leverense e pelo Sport Clube Os Dragões Sandinenses. A vertente mais institucional contou com o hastear das bandeiras nas quatro freguesias e a romagem, também, aos quatro cemitérios.

 

 

As comemorações do 25 de Abril na União de Freguesias de Sandim, Olival, Lever e Crestuma (SOLC) tiveram o seu auge com o hastear das bandeiras nas Juntas das quatro freguesias, durante a manhã do dia em que se comemora a liberdade, e a romagem aos cemitérios das respetivas localidades, onde foi colocada uma coroa de cravos vermelhos, simbolizando assim a Revolução dos Cravos e homenageando as mais diversas individualidades já falecidas. Em modo de comemoração pelo Dia da Liberdade, a Associação Caminheiros de Lever, associada à iniciativa Plogging Challeng Portugal, que consiste em apanhar lixo enquanto se caminha, organizou uma caminhada, que teve início na Junta de Freguesia de Lever.

O Teatro Amador de Sandim (TAS) também teve um vasto programa de comemoração do 25 de Abril, sendo que no domingo, dia 24, organizou uma Noite Cultural, com cantigas e poemas de abril, e no dia 25 teve atividades de atletismo para todas as idades.

A Comissão de Festas de Santa Marinha de Crestuma 2022 também se quis juntar às comemorações e organizou uma caminhada pela zona ribeirinha, seguida de festa junto da tasquinha da comissão, onde houve música e porco no espeto.

Ainda durante o dia 25 de abril, aconteceu o Torneio da Liberdade, organizado pelo Clube União Desportiva Leverense e pelo Sport Clube Os Dragões Sandinenses, que teve lugar no estádio destes, e que recebeu centenas de pessoas. Os escalões de formação deram tudo dentro do campo, tendo saído vencedora, nos sub6, a equipa do CD Leverense. No escalão sub7, foram Os Dragões Sandienses a levar a melhor, mas no escalão de sub8 foi, novamente, o Leverense a conquistar o primeiro lugar. Os jogadores do FC Avintes levaram para casa o título de campeões do escalão sub11, e foi o FC Pedroso que venceu o escalão sub13.

Manuel Azevedo, presidente da União de Freguesias de Sandim, Olival, Lever e Crestuma, fez questão de referir que estas atividades, além de comemorarem uma data tão significativa, festejam, também, o regresso à normalidade. “Tudo o que se faz é pouco para aquilo que foram estes dois anos, presos”, comentou o autarca. Mas nem tudo são alegrias neste arranque, o presidente da SOLC, garantiu que algumas coletividades estão a ter dificuldades em voltar à atividade. “Tenho pena, algumas coletividades ainda não arrancaram e estão com muitas dificuldades para o fazer, mas eu acho que, aos poucos, vão começar. Tento dar o apoio que posso, mas, estou convencido que vamos arrancar em força, em breve”.

Quanto à Revolução dos Cravos, Manuel Azevedo lembra que é importante celebrar sempre. “25 de Abril é uma data que não pode, nem deve, ser esquecida, é muito importante, não só para as freguesias, como para o concelho, mas também, para Portugal. Basta vermos o está a acontecer lá fora, devia haver muitos 25 de Abril”, disse, referindo, ainda, que é “importante comemorar todos os anos para não nos esquecermos a sorte que temos hoje”. Além disso, o autarca contou que esta é quase a única forma, sem ser na escola, que os mais jovens têm de conhecer esta revolução e o que ela significou para Portugal e os portugueses, e é importante eles saberem, porque, afinal, eles “são o amanhã, são o nosso futuro”.

Passadas as comemorações do 25 de Abril, Manuel Azevedo disse que era tempo de olhar para o futuro e contribuir, ainda mais, para a felicidade do povo, retomando iniciativas das quais sentem saudades. “As tasquinhas têm de existir este ano, o Passeio da 3ª Idade tem de acontecer, as romarias, como o São João, também têm de voltar. A colónia balnear também é uma atividade que queremos que volte já este ano”, deu como exemplos o presidente da SOLC, que garante que “o povo bem merece”, o restauro destas, e outras atividades, tendo em conta as privações em que viveram durante cerca de dois anos. No entanto, o autarca mostrou-se desanimado com a baixa adesão aos Jogos Juvenis, apesar de compreender que as crianças e jovens, hoje em dia, têm vidas cada vez mais ocupadas e agitadas, cheias de atividades extracurriculares, no entanto, não desiste da ideia de participarem e as inscrições estão abertas.